Backcourt NBA – The Big Fundamental

Vinte e seis mil, quatrocentos e noventa e seis pontos. Décimo quarto maior da história. Quinze mil e noventa e um rebotes. Sexto maior da história. Três mil e vinte tocos. Quinto maior da história. Líder do seu time nestes quesitos e em número de jogos. Atuou no total em mil trezentas e noventa e duas partidas. Duas vezes MVP, três vezes o jogador mais valioso das Finais, quinze presenças no All-Star Game, dez no time ideal da NBA, oito no time defensivo. Cinco anéis de campeão.

Este é o currículo de Timothy Theodore Duncan. Formado em psicologia pela universidade de Wake Forest e melhor jogador universitário no ano de 1997, Tim Duncan foi a primeira escolha geral do draft em 97 e, logo em sua primeira temporada, guiou o Spurs aos playoffs com médias de 21.1 pontos por jogo. O menino nascido nas Ilhas Virgens Americanas e que queria virar nadador teve a sua camisa 21 aposentada neste domingo, após vitória do San Antonio Spurs sobre o New Orleans Pelicans.

Foi uma noite emocionante no AT&T Center. Afinal, os torcedores do San Antonio Spurs finalmente puderam se despedir do maior jogador da história da equipe, já que Tim Duncan anunciou sua aposentadoria de maneira bem discreta, característica marcante do maior ala-pivô da história da NBA. Ele, que nunca causou alarde, sempre com a humildade de fazer o simples muito bem feito, extremamente eficiente, deixou seu legado na liga e fez parte da construção de toda a tradição que vemos do San Antonio Spurs hoje.

Gregg Popovich não poupou elogios a Tim:

– “Eu nem quero falar sobre rebotes, pontos e esse tipo de coisa. Esse indivíduo fez com que fosse possível que todos as pessoas que nós trouxemos ao longo desse ano pudessem fazer parte desta cultura e deste programa. É como todos dizem: sua empatia, sua habilidade de fazer com que todos sejam bem-vindos, seu jeito de liderar quieto, mas com dignidade, faz com que ele seja mais especial do que qualquer um de vocês possa imaginar”.

Tim Duncan é um jogador único na história da NBA. Dominante nos dois lados da quadra, somente na sua última temporada não fez parte dos times defensivos da liga. Não temos muito mais a dizer, a não ser obrigado, Timmy.

 

Geisson Pereira Miranda

Mineiro, 21 anos. Estudante de Administração na Universidade Federal de Ouro Preto. Acompanha especialmente basquete, futebol americano, tênis e, claro, futebol.

%d blogueiros gostam disto: