Grêmio campeão: méritos de Renato Gaúcho ou de Roger Machado?

Na última quarta-feira (07), o Grêmio encerrou um jejum que durava 15 anos e conquistou a sua quinta Copa do Brasil em cima do Atlético-MG. O tricolor venceu o jogo de ida no Mineirão por 3 a 1 e na volta, bastou apenas um empate em 1 a 1 para se sagrar campeão.

A equipe do Grêmio não era a favorita ao título, nem mesmo quando chegou a final. O tricolor gaúcho foi conquistando seu espaço e valor durante a competição e despertou a atenção após as vitórias fora de casa contra Cruzeiro (na semifinal) e Atlético-MG (na final). Nas ocasiões, o time comandado por Renato Gaúcho sobrou nas partidas mesmo atuando longe de seus domínios.

Com o bom futebol apresentado, o técnico Renato Gaúcho, que chegou em setembro ao clube, ganhou destaque. Seu antecessor, Roger Machado, estava no Grêmio desde 2015 e já chamava a atenção com seu padrão de jogo implantado, porém, após uma sequência de 6 jogos sem vencer, entregou o cargo. Todos esses fatos, geraram uma dúvida: Grêmio campeão. Méritos de Renato Gaúcho ou de Roger Machado?

Grêmio de Roger Machado: 4-2-3-1 moderno e agressivo

Escalação de Grêmio 5 x 0 Internacional – 2015

Ação defensiva

Jogo: Grêmio 5 x 0 Internacional – 2015 (Foto: Reprodução YouTube)

Luan e Douglas fazem a linha de frente, com a intenção de pressionar o zagueiros e forçá-los a quebrar a bola. Giuliano, Maicon, Edinho e Pedro Rocha formam a primeira linha de 4, balanceando conforme o lado que está a bola. A bola vai para a direita, Giuliano recua e Pedro Rocha dá o combate.

Bola parada defensiva

Jogo: Ponte Preta 3 x 0 Grêmio – 2016 (Foto: Reprodução YouTube)

No último jogo sob o comando de Roger Machado, a defesa voltou a falhar na bola parada. A linha de impedimento não deu certo, a marcação por zona não funcionou e acabaram sofrendo o gol de cabeça.

Saída de bola

Jogo: Grêmio 5 x 0 Internacional – 2015 (Foto: Reprodução YouTube)

Maicon recebia a bola entre os zagueiros, formando uma linha de 3 e fazia a saída de bola. Os laterais avançavam e jogavam quase que como alas.

Ação ofensiva

Jogo: Grêmio 5 x 0 Internacional – 2015 (Foto: Reprodução YouTube)

Douglas buscava jogo, Luan saía da referência e Giuliano flutuava pelo meio. Laterais seguem bem agudos.

 

Grêmio de Renato Gaúcho: 4-2-3-1 reativo e contra-ataque eficaz

Escalação de Atlético-MG 1 x 3 Grêmio – 2016

Ação defensiva

Jogo: Atlético-MG 1 x 3 Grêmio – 2016 (Foto: Reprodução YouTube)

Nesse quesito, nada mudou. Luan e Douglas dando o primeiro combate nos zagueiros (em especial na final da Copa do Brasil). Desta vez, Pedro Rocha, Maicon, Walace e Ramiro formam a primeira linha de 4, balanceando conforme a posição da bola.

Bola parada defensiva

Jogo: Atlético-MG 1 x 3 Grêmio – 2016 (Foto: Reprodução YouTube)

A primeira mudança do técnico Renato Gaúcho. A bola parada defensiva deixa de ser por zona e passa a ser individual. Um método mais antigo, porém mais simples de ser implementado. Ainda assim, o Grêmio acabou sofrendo gol contra o Atlético-MG num escanteio.

Jogo: Atlético-MG 1 x 3 Grêmio – 2016 (Foto: Reprodução YouTube)

Contra-ataque veloz

Jogo: Atlético-MG 1 x 3 Grêmio – 2016 (Foto: Reprodução YouTube)

Retomando a bola, seja Douglas ou Maicon, a ligação sai rápida e os pontas fogem nas costas da marcação. Nesse lance acima, demoraram apenas 4s para os jogadores saírem do campo defensivo para o ofensivo.

Um outro Maicon

Primeiro gol de Pedro Rocha em Atlético-MG 1 x 3 Grêmio. (Foto: Reprodução YouTube)

Se antes ele recebia entre os zagueiros para qualificar a saída de bola, agora ele ajuda Douglas na armação mais a frente. No lance do gol, Maicon encontra Pedro Rocha nas costas da zaga.

Sai Giuliano, entra Ramiro

Jogo: Atlético-MG 1 x 3 Grêmio – 2016 (Foto: Reprodução YouTube)

Um é meia, armador. O outro é volante, multifuncional. Com a saída de Giuliano, o Grêmio perdeu um armador que atuava pelos lados, mas ganhou um forte marcador pela ala com a entrada de Ramiro, que explora mais as costas dos laterais, como na imagem.

Renato Gaúcho assumiu o Grêmio e tinha como ambição o título da Copa do Brasil, que veio. Teve muitos méritos na conquista, mas herdou um bom trabalho de mais de um ano do técnico Roger Machado. Sua declaração, foi oportunista e equivocada. O futebol, precisa sim, ser estudado. Se ele foi campeão, pode colocar mais da metade na conta do ex-treinador.

O Grêmio campeão da Copa do Brasil teve a base armada por Roger Machado e com adaptações pontuais do Renato Gaúcho. Os méritos vão para os dois, mas acima deles, estão os jogadores, principais responsáveis por tirar o clube do jejum de 15 anos.

Linekher de Andrade

16 anos. Jogador de futebol do Anápolis FC, sub17. Goiano com orgulho. E nome inspirado no artilheiro da Copa de 1986, o inglês Gary Lineker.

%d blogueiros gostam disto: