HOSPÍCIO #89 – A vaga na Libertadores seria realmente boa para o Corinthians?

Última rodada do Brasileirão, e a iminência da vaga na primeira fase da Libertadores para o Corinthians deixa alguns torcedores ansiosos, mas divide opiniões. Precisando vencer o Cruzeiro e torcer para que Atlético-PR e Botafogo não vençam, o Corinthians pode se classificar para a maior competição de clubes da América do Sul. Mas, afinal, isso seria realmente bom para o Corinthians?

 

 

Investimento, público na Arena e outros fatores respondem afirmativamente para a resposta anterior. Porém, não é uma certeza. O patrocínio poderia ser maior numa Libertadores. A diretoria poderia contratar jogadores de maior peso para a competição. Poderia, não é certo. O certo seria que a Arena Corinthians teria mais jogos, e todos (ou quase todos) sabemos que o que paga o valor anual da dívida de 1,6 bilhão é a venda de ingressos, que vai para o fundo que arremata, aos poucos, o valor exorbitante. E que a televisão pagaria uma cota um pouco maior em relação a competir só o Paulistão ou só a Copa do Brasil e Sul Americana. Mas, aí cabe outra dúvida. Nunca se sabe para onde vai o dinheiro do Corinthians, o dinheiro da Arena e etc. As contas são pouco ou quase nada quitadas (respaldando no que aparece na imprensa, já que o clube não se pronuncia) em relação ao que é arrecadado.

Por outro lado, as incógnitas apresentadas acima podem ir para um lado diferente. E se o clube não investir, ao contrário, fizer como fez na Libertadores desse ano e vender jogadores, sem contratar outros à altura? O time que já não é dos melhores, ficaria pior, e a possibilidade de vexame na Pré-Libertadores é real (até mesmo se nenhum jogador for vendido, e o elenco for mantido para 2017). O que pode acontecer, já que a diretoria atual foca apenas nos problemas, e não na solução. Visto isso, o Corinthians poderia sair logo na primeira fase, sendo a Libertadores irrelevante para os fatores econômicos em 2017, mas o vexame ficaria para a história.

A Libertadores pode ser desastrosa. Não dá para confiar que quem está no comando irá mudar em 2017, ou que esse time, com esse técnico, irá jogar melhor numa competição internacional, pelo contrário. O melhor seria, então, jogar  Copa do Brasil desde o começo, levar à sério o Paulista e a Sul Americana. Se reestruturar no próximo ano, conquistar a vaga para 2018, preferencialmente, com algum título na conta e, aí sim, pensar em Libertadores.

 

Thiago Cunha Martins

Paulistano, alvinegro, co-fundador e Diretor-geral do HTE Sports. Jornalismo por paixão, Psicologia por vocação. Adorador do futebol e tudo o que o rodeia. Fã curioso da NFL, UFC e eventual seguidor de outros esportes

%d blogueiros gostam disto: