Mogi conquista título invicto e inédito da Sul-Americana

O Mogi das Cruzes/Helbor venceu o Bahia Basket por 81 a 84 e conquistou o inédito título da Liga Sul-Americana de Basquete, ontem, na Argentina. O time encerrou a série final em 3 a 0 contra os argentinos, tendo vencido todas as partidas do campeonato internacional. Assim como os dois jogos anteriores, em que o Mogi das Cruzes/Helbor venceu com placar apertado, a partida da noite de ontem foi bastante dura como já era previsto. Apesar de ficar atrás no placar durante boa parte do jogo, os mogianos lutaram até o último minuto e levaram a melhor no último quarto. O time deve chegar em Mogi das Cruzes hoje. Este é o segundo título do Mogi das Cruzes/Helbor na temporada, que conquistou também o Campeonato Paulista.

Todo o time titular do técnico Jorge Guerra, o Guerrinha, marcou mais do que dois dígitos em quadra. O ala-pivô Tyrone Curnell foi o cestinha do jogo, com 23 pontos e nove rebotes, seguido pelo ala Shamell Stallworth, com 21 pontos, o pivô Caio Torres e o ala Jimmy Dreher, ambos com 14 pontos, e o armador Larry Taylor, com 12. Shamell também foi eleito o MVP do torneio.

O Mogi das Cruzes/Helbor começou bem o jogo e fechou o primeiro período com vantagem (20 a 24), no entanto, no segundo quarto os argentinos dominaram e terminaram vencendo por 24 a 12. No intervalo, melhor para os donos da casa, que venciam por 44 a 36. O terceiro quarto foi mais equilibrado, mas desta vez o Mogi das Cruzes/Helbor foi melhor e abriu 21 a 26 no placar parcial, se aproximando mais no marcador e deixando a decisão para o último período. No último quarto, os mogianos impuseram sua experiência em quadra e conseguiram administrar o placar parcial, que terminou em 16 a 22.

O grande destaque foi Shamell. O norte-americano, de 36 anos, mostrou toda sua experiência e liderança dentro do grupo e foi, sem dúvida alguma, um dos grandes responsáveis pela histórica e inédita conquista do Mogi das Cruzes/Helbor na Liga Sul-Americana. Com média de 19,0 pontos por jogo, o camisa 24 foi eleito o MVP do torneio e acrescentou mais um troféu à sua coleção.

Dentre os atletas que ultrapassaram a fase de grupos da competição, Shamell foi o segundo cestinha, atrás apenas do astro uruguaio Leandro García-Morales, da Hebraica Macabi (URU), que somou 23,3 pontos por partida. No entanto, não foram apenas os expressivos números que fizeram do experiente ala um merecedor do troféu de MVP.

Marcelo Tadeu Parpinelli

Um cara que gosta de opinar sobre tudo, principalmente daquilo que não conhece e não entende. Aspirante a filósofo nas horas vagas.

%d blogueiros gostam disto: