Pep Guardiola e a seca contra o Chelsea

Por: Lucas Tinôco (Twitter: @lucastinocof)

É verdade que Guardiola se tornou um dos melhores treinadores em relação a resultados nos últimos anos. É verdade também quem em termos de títulos, ninguém chega aos pés dele de alguns anos atrás para hoje. Também é verdade que ele só treinou elencos com estrelas em cada um dos setores do campo e isso, obviamente, ajudou bastante nas suas conquistas. O treinador espanhol de 45 anos foi contratado pelo Manchester City para a temporada 2016/17 em busca de “um novo desafio”, considerado por muitos como o PRIMEIRO desafio. Os primeiros meses de Pep a frente dos Citizens (23J/14V/5E/4D) não foram tão bons quanto os seus inícios com o Barça (23J/18V/3E/2D) e o Bayern (23J/19V/3E/1D), porém uma coisa em comum nestes dois trabalhos se repetiu no terceiro: o Chelsea como pedrinha no sapato.

iniesta-chelsea-fcb_23__r2-v1311765043
Iniesta comemorando gol decisivo

Guardiola enfrentou os Blues pela primeira vez em 2009, pela semifinal da Liga dos Campeões daquela temporada, empatando em 0 a 0 no jogo do ida no Camp Nou, e por 1 a 1 no jogo de volta no Stamford Bridge, com golaços marcados por Essien para o lado azul e por Iniesta, aos 90 minutos, para o lado catalão. A partida de volta ainda ficou marcada por pelo menos 4 lances em que o Chelsea pediu pênalti e o juiz norueguês Tom Henning não assinalou. O Barça passou para a final graças ao gols marcados fora de casa e, alguns dias depois, se sagrou campeão do torneio ao bater o Manchester United por 2 a 0.

Confira matéria da ESPN Brasil sobre a fatídica partida:

O episódio ficou marcado na cabeça dos Blues por algum tempo, mas na temporada 2011/12 veio a redenção de Drogba e companhia. Mais uma vez em uma semifinal, porém, dessa vez, com mandos invertidos em comparação a 2009: primeiro jogo em Londres, segundo em Barcelona. A curiosidade é que o Chelsea nesse período era comandado por Roberto Di Matteo, que substituía André Villas-Boas, demitido por conta dos resultados ruins, assim como 3 anos antes, quando Guus Hiddink treinava os azuis após a demissão de Felipão.

1789043_w2

No jogo de ida, vitória por 1 a 0 com gol marcado por Drogba. No jogo de volta, Busquets e Iniesta (algoz?) marcaram e iam destruindo o sonho do Chelsea pela segunda vez. Porém, nos acréscimos da etapa inicial o brasileiro Ramires diminuiu o placar e colocou a equipe de volta no jogo. Naquela altura, os Blues se classificavam por conta do gol marcado pelo volante e o Barça voltaria para o segundo tempo indo pra cima com tudo em busca do gols que o levasse pra final. E aí vieram as cenas do menino Didier ajudando na defesa, a equipe inglesa se defendendo com tudo e Petr Cech salvando um pênalti cobrado por Messi. E ah, desde os 37′ os visitantes tinha um a menos (Terry expulso). E eis que entra em campo, no lugar do mesmo Droga que havia marcado o gol no jogo de ida e cometido o pênalti perdido pelo craque argentino, aos 80′, Fernando “El Niño” Torres, que ainda marcou o gol de empate no apagar das luzes, tirando ainda quaisquer chances de classificação e de vitória de Guardiola sobre a equipe de Londres. Tá difícil em, Pep?

Confira os melhores momentos do jogo de volta com narração de Galvão Bueno:

Em 2013, pela Supercopa Europeia, treinador e equipe voltaram a se enfrentar. Guardiola, agora treinando o Bayern de Munique, saiu vencedor, é verdade, mas nos pênaltis não conta, tá bom Pep? Jogando na Eden Arena, em Praga, Fernando Torres (algoz?) abriu o placar logo aos 8 minutos. O empate saiu dos pés de Franck Ribéry. A partida foi para a prorrogação, e com gols de Hazard, para os Blues, e Javi Martínez para os Bávaros, a partida foi decidida nas penalidades com vitória por 5 a 4 para a equipe alemã.

josep-guardiola-3368313102Por fim, o jogo que aconteceu no último sábado (03), entre Manchester City e, obviamente, Chelsea. A primeira etapa foi dura, mas com gol contra marcado por Gary Cahill os Citizens foram para o intervalo tomando a liderança da Premier League do próprio time da capital inglesa. Porém, Guardiola e time devem ter subestimado Conte ou algo do tipo, e em uma reação incrível na segunda etapa, Diego Costa, Willian e Hazard viraram para os Blues e garantiram não só a vitória e a liderança, mas a continuação do tabu de 2 empates e 4 derrotas para Josep Guardiola i Sala contra Chelsea Football Club.

Lucas Tinoco

21 anos, baiano e aspirante a jornalista esportivo. Fanático por esportes em geral, principalmente futebol. Adepto das ligas europeias e do futebol alternativo. Líder do Editorial de Futebol Internacional do HTE Sports.

%d blogueiros gostam disto: