Retrospectiva 2016 – Ligas Americanas

Está chegando o final do ano e com ele, aquela vontade de visitarmos tudo o que aconteceu em 2016 para recordar os grandes momentos do ano. A equipe do HTE preparou uma retrospectiva esportiva dividida em 4 tópicos, e eu fiquei com a responsabilidade de falar sobre o 2016 nas grandes ligas esportivas dos Estados Unidos: NHL, MLB, NBA e NFL.

O ano de 2016 nos Estados Unidos foi marcado principalmente por despedidas e por um final de grandes secas de títulos. Cleveland voltou a vencer um campeonato em qualquer liga desde 1964, os Cubs saíram de uma fila que já durava mais de um século e os Broncos voltaram a vencer um título depois de quase 20 anos. Vamos conferir o que de mais importante aconteceu em torno das principais ligas profissionais americanas.

NHL

Os Penguins conquistaram a Stanley Cup em 2016

Numa temporada bastante competitiva, onde o Chicago Blackhawks tentava reconquistar a Stanley Cup, o Pittsburgh Penguins acabou levando a taça diante de um surpreendente San Jose Sharks. Patrick Kane foi o MVP da temporada regular. Nas finais, o craque Sidney Crosby foi considerado o jogador mais valioso dos playoffs, quando os Penguins bateram os Sharks por 4-2 na série melhor de 7 jogos e venceram a Stanley Cup pela quarta vez em sua história.

Destaque também para a aposentadoria do defensor Barret Jackman, do St. Louis Blues, se despediu da liga após 14 anos como profissional. O jogador recebeu o prêmio de calouro do ano em 2003, após ser escolhido na 19ª posição do draft da NHL em 1999.

MLB

Os Cubs saíram da seca de 108 anos e levaram a World Series

A maldição do bode acabou. Se pudéssemos resumir todo o ano de 2016 na MLB em uma frase, essa seria a escolhida. O Chicago Cubs saiu de uma fila de 108 anos e voltou a vencer uma World Series. Após bater na trave na temporada passada, onde perdeu para o New York Mets na final da Liga Nacional, os Cubs voltaram com tudo nessa temporada, mantendo a base do ano anterior e trazendo novas peças pontuais que fizeram dos Cubs o melhor time da temporada regular, conseguindo confirmar o favoritismo nos playoffs.

A final teve contornos épicos, com 7 jogos contra o Cleveland Indians, outra equipe que estava na fila há 68 anos. No jogo 7, em Cleveland, os Cubs precisaram de 11 entradas para confirmar o título da World Series, com uma vitória por 8-7. Foi a coroação do trabalho de Theo Epstein, General Manager que tirou o Red Sox da fila em 2004, quebrando a maldição do “Bambino” que durava desde 1918. Nomes como Jake Arrieta, Javier Baez, Kris Bryant, Kyle Hendricks, Jason Heyward, John Lester, Aroldis Chapman e Kyle Schwarber ficarão eternizados no Wrigley Field.

Big Papi fez história nos Red Sox

Para além do título dos Cubs, outro destaque no ano do baseball americano foi a despedida de um mito: David Ortiz, ou como a torcida dos Red Sox o apelidou, o Big Papi.  Sua carreira começou no Minnesota Twins em 1997, mas foi a partir de 2003, quando Ortiz chegou ao Fenway Park que sua carreira tomou proporções épicas. Ele foi peça chave no título de 2004, quando os Red Sox saíram da fila, além de ter conquistado a World Series em 2007 e 2013. Papi também foi o MVP da World Series em 2013, além de ter sido escolhido para o jogo das estrelas da MLB em 10 oportunidades.

NBA

Kobe Bryant disse adeus a NBA

A temporada 15-16 foi histórica na NBA. O Golden State Warriors bateu o recorde de vitórias em temporada regular que pertencia ao Chicago Bulls de Michael Jordan, estabelecendo a marca de 73 vitórias na mesma temporada. O ano também foi marcado pela última temporada de Kobe Bryant na liga, que apesar de ter tido um ano ruim, encerrou sua última partida com um jogo épico diante do Utah Jazz, quando Kobe marcou 60 pontos que foram fundamentais para a vitória de 101-96. A histórica carreira do “Black Mamba” chegava ao fim após 20 anos, onde Kobe conquistou 5 títulos da liga (99-00, 00-01,01-02, 08-09 e 09-10), 1 MVP da NBA (2007-2008), 1 MVP das finais (2010), 18 vezes convocado para o All Star Game.

Tim Duncan foi outro que se despediu das quadras

Outro ícone que se despediu das quadras em 2016 foi Tim Duncan. O jogador atuou por 19 anos no San Antonio Spurs, onde venceu 5 títulos da liga (98-99, 02-03, 03-04, 06-07 e 13-14), foi MVP da liga por duas vezes (01-02 e 02-03), além de 3 MVP’s das finais da NBA (98-99, 02-03 e 03-04). Duncan,  escolhido por 15 vezes  para o all star game da NBA, se aposentou como um dos maiores alas-pivôs da história da liga, sendo responsável inclusive pela revolução na posição, pois unia sua força física com uma grande habilidade e inteligência sobre o jogo.

Kevin Garnett foi ídolo nos Timberwolves e nos Celtics

Para terminar a pauta aposentadoria, outro grande jogador que anunciou sua despedida das quadras foi Kevin Garnett, que atuou na NBA desde 1995. Draftado pelo Minnesota Timberwolves, o jogador atingiu seu auge pelo Boston Celtics, onde venceu um título da NBA na temporada 07-08. Garnett também foi o MVP da liga na temporada 04-05, além de ter sido convocado para o All star game por 15 vezes. Garnett ainda teve uma passagem discreta no Brooklyn Nets, onde jogou por 3 temporadas mas sem grande brilho, já numa fase final da carreira, antes de voltar para Minesotta e encerrar sua carreira profissional na sua franquia de origem.

O duelo entre Lebron e Curry marcou as finais da NBA

As finais da temporada 15-16 tiveram a reedição da temporada anterior. Cleveland Cavaliers enfrentaram o Golden State Warriors em um duelo eletrizante de 7 partidas. O Cleveland conseguiu um feito inédito, virar uma desvantagem de 3-1 na série, e conquistou o primeiro título da franquia, o primeiro da cidade de Cleveland em 64 anos. O termo “believeland” nunca foi tão bem empregado, mas com o trio Kevin Love, Kyrie Irving e Lebron James, o sonho se tornou realidade.

NFL

Peyton Manning terminou sua carreira vencedora com as mãos no Vince Lombardi

A temporada regular da NFL se desenrolou toda em 2015, mas os playoffs aconteceram já em 2016. E foi lá que a liga viu o último ato de um dos maiores, senão o maior, jogador da história. Peyton Manning não foi brilhante, não foi decisivo, mas ajudou o Denver Broncos a conquistar o SuperBowl diante do Carolina Panthers, que só havia perdido um jogo durante toda a temporada. Disputado em Santa Clara, o último capítulo da carreira de Peyton Manning foi a edição 50 do Superbowl.

Com uma atuação defensiva espetacular, os Broncos venceram por 24-10 e conquistaram o troféu Vince Lombardi, encerrando a carreira de Peyton Manning de forma épica. Ele deixou a liga como o primeiro em número de touchdowns, jardas lançadas, segundo em passes completos e uma média de 96,5 de rating nos 18 anos de carreira. 15 nomeações para o Pro Bowl, além 5 MVP’s da liga e um MVP de SuperBowl (LXI).

Marshawn Lynch foi outro que se despediu da NFL em 2016

Uma outra aposentadoria que ganhou bastante destaque foi a do Runningback Marshall Lynch. Lynch jogou pelo Buffalo Bills e pelo Seattle Seahawks, sendo uma das estrelas da franquia de Seattle. Ele ficou marcado como um dos principais corredores da NFL de sua época, conquistando o SuperBowl 48 contra o Denver Broncos.  Ele também foi convocado para o Pro Bowl por 5 vezes.

 

 

 

%d blogueiros gostam disto: