Duelo Defensivo: Dan Quinn vs Bill Belichick

Após definição das equipes que irão fazer a grande final, podemos dizer que teremos um combate entre  duas das melhores mentes defensivas da liga. Bill Belichick e Dan Quinn irão ter a difícil missão de parar o ataque da equipe adversaria, cada uma de suas armas e seus esquemas defensivos para tentar surpreender o rival e levar o Vince Lombardi no dia 5 de fevereiro em Houston.

O New England Patriots tem uma das defesas mais subvalorizadas da NFL, não por nomes, mas pela sua atuação, afinal, foi a única equipe que levou apenas uma vez mais de 30 pontos além de diversas vezes segurar adversários abaixo dos 20 pontos, tornando-se, assim, a franquia na qual menos levou pontos na temporada regular. Os números são mais impressionantes se analisarmos que da última ida ao SuperBowl restaram apenas quatro jogadores titulares naquela final contra o Seahawks. A defesa era formada por Ninkovich – Siliga – Wilfork – C. Jones – Hightower – J. Collins –  Revis – Browner – Arrington – McCourty – Chung. Percebe-se que, em relação à hoje,  apenas os Safeties são os mesmos e, em apenas dois anos, tem-se uma defesa muito melhor com nomes bem mais questionáveis em qualidade. E isso só ocorre por causa da Rip/Liz defesa criada por Nick Saban e implementada por Belichick em New England.

Resultado de imagem para patriots vs steelers 2017 defense

A Rip/Liz é como uma mistura de cover 3 ou cover 1, dependendo da rota do recebedor. Aí que esta a importância dos Safeties do que em relação a outras posições defensivas. Em resumo, necessita mais da inteligência do jogador do que da própria técnica de jogo. Outro fator importante nesta defesa foi a saída de Jamie Collins que, a principio pode ser considerada insana, mas não fez com que a equipe perdesse um  grande LB. Pelo contrario, a equipe ganhou  três LBs dividem snaps fazem uma rotação importantíssima: Sean  McClellin, Elandron Roberts e Kyle Van Noy trazem consigo características diferentes, trazendo o fator imprevisibilidade que Belichick tanto gosta principalmente quando ambos alinham na linha de scrimage. Outra troca não muito comentada que a ajudou a equipe foi Eric Rowe, mudando Logan Ryan para slot onde o jogador se tornou essencial. A defesa dos Patriots é uma incógnita para qualquer equipe, afinal, eles anulam o principal alvo do adversário (e não escondem que façam isso) e tem de vencer com opções inferiores. Matt Ryan vai ter muito trabalho para ter a leitura correta, mas é o melhor QB que a equipe irá enfrentar na temporada.

Dan Quinn, por outro lado, é a grande mente defensiva da década, com a Legion Of Boom criada quando era ainda um coordenador Defensivo em Seattle. Ele trouxe um esquema que gerou muita dor de cabeça para as equipes da liga, fazendo com que nos últimos anos os Seahawks tenham uma das melhores defesas da NFL. Em campo, a defesa se porta a grosso modo em uma cover 3 ou seja os dois CB e o FS dividem o fundo do campo, e os LBs e o SS ficam encarregados do meio do campo e das rotas curtas. Isso ajuda bastante em combater o jogo terrestre e também pressionar o QB adversário, fazendo com que ele arrisque passes longos, uma vez que a pressão é grande, tonando a vida mais fácil dos CB. Em termo de números, a defesa do Falcons não é a mesma de Seattle pois não tem jogadores do mesmo nível porém, a longo prazo, esta defesa tem tudo  para ser uma das mais mortais da liga.

Resultado de imagem para falcons defense 2017

Lembramos acima do Superbowl 49, na qual Quinn estava presente como DC dos Seahawks  e Bill Belichick encontrou a falha da marcação da então temida defesa de Seattle: os passes curtos para RBs, que levam vantagens contra MLB e SS pois são mais rápidos e os que poderiam pará-los estão no fundo do campo, propiciando, assim, um avanço de cinco a oito jardas de média. Isso foi comprovado pelas inúmeras recepções de Vereen naquele jogo. O Patriots de hoje tem mais RBs capazes de receber passes, por isso é bom Dan Quinn pensar em uma variação para corrigir este erro. A vitória contra Aaron Rodgers foi impressionante. As Blitz acabaram com o poder ofensivo dos Packers e a Deep Ball do Rodgers. Entretanto, esse esquema dificilmente poderá ser implementado contra os Pats, pois a situação de Blitz e marcação com zona é a especialidade do Brady (o exemplo do Steelers está aí). Para os Falcons, a chave do jogo é pressionar Brady sem Blitz, apenas com a linha dominando, ou uma simples Zona sem erro, afinal, Brady em suas duas interceptações na temporada regular foram em situações na qual teve muito tempo no pocket.

Uma coisa é certa: Os treinadores tem de trazer algo para superar dois dos melhores ataques da liga e no SuperBowl tudo pode acontecer!

Remisson Negreiros

Um brasileiro, louco por NFL e adora uma boa discussão, fala umas groselhas em outros sites. e no twitter @remissonplay10

%d blogueiros gostam disto: