NFL – Divisional Round

Estamos quase chegando no momento mais aguardado da temporada. Nesse fim de semana conhecemos as equipes que farão as finais de conferencia. Na NFC, o Green Bay Packers terá pela frente o Atlanta Falcons no Georgia Dome. Já na AFC, o New England Patriots receberá em Foxboro os Pittsburgh Steelers. Vamos ao resumo dos quatro jogos do Divisional Round.

Atlanta Falcons 36 x 20 Seattle Seahawks

Abrindo a rodada no sábado, o Atlanta Falcons não deu chances para o Seattle Seahawks. Com Matt Ryan jogando em nível MVP, uma defesa que não espaço para o jogo terrestre dos Seahawks, os Falcons foram soberanos no Georgia Dome.

Seattle começou o drive apostando no jogo terrestre. Depois passou a oscilar com o jogo aéreo e logo saiu na frente com Jimmy Graham marcando um touchdown, depois de um primeiro e bem administrado drive comandado por Russell Wilson. Devolvendo no mesmo tom, Matt Ryan atravessou todo o campo administrando as descidas até fechar com um touchdown de Julius Jones, empatando para Atlanta.

No início do segundo quarto, os Seahawks chegaram a ter um touchdown marcado, mas depois da revisão a marcação de campo foi revertida. Na sequência do drive, eles se contentaram com um field goal de Steven Hauschka.

Uma das principais jogadas do primeiro tempo, aconteceu as 9:20 do segundo quarto, quando à beira de sua end zone, Russell Wilson sofreu uma queda e cedeu um safety para a equipe de Atlanta. Com isso, Atlanta recebeu a bola, mas não conseguiu mais que um field goal de Matt Bryant, de 35 jardas.

No final do segundo quarto, depois de começar o drive na jarda 1 de seu campo de defesa, os Falcons chegaram ao touchdown com um belo lançamento de Matt Ryan para a end zone, com recepção de Tevin Coleman, fechando o primeiro tempo em 19 a 10, para o time da casa.

Voltando para a segunda parte do jogo, o Atlanta Falcons continuou dominado a partida e mantendo Russell Wilson fora de campo. Aos 9:12, os Falcons buscaram mais um touchdown com Devonta Freeman correndo com a bola. Depois de sofrer uma falta no punch e recuperar o first down, os Seahawks fecharam o drive com um field goal de 26 jardas. Com mais uma big play, Atlanta avançou ainda no final do terceiro quarto, mas também não chegaram ao touchdown e novamente Bryant garante 3 pontos no drive.

Aos 8:16 do último quarto, Russell Wilson pressionado, acabou lançando uma intercepção, que culminou num touchdown dos Falcons. Correndo contra o tempo, os Seahawks devolveram o touchdown aos 3:21, mas não conseguiram garantir a posse de bola no onside kick. A partir daí, o Seattle Seahawks sofreu mais uma interceptação, para fechar a partida.

A atuação de Matt Ryan foi mais uma vez brilhante. Completou 26 passes, de 37 tentativas, marcou 3 touchdowns e novamente não sofreu nenhuma intercepção.

New England Patriots 34 x 16 Houston Texans

Pela sexta vez consecutiva os Patriots estão na final da AFC. Domínio total na conferência da dupla Bill Belichick e Tom Brady. E não era difícil prever esse resultado antes do início do jogo. Texans venceu a divisão mais franca da NFL com uma defesa muito forte mas um ataque medonho. E, pelo menos na primeira etapa, a defesa quase consegui deixar o jogo engraçadinho.

Com menos de seis minutos de jogo, o Patriots já havia anotado seu primeiro touchdown, com Dion Lewis, que após receber passe curto de Tom Brady, se livrou do marcador e invadiu a endzone adversária. O Texans até chegou próximo da endzone dos Patriots, mas não conseguiu converter a chance em touchdown e teve de se conformar com um Field Goal. E ainda na hora de repor a bola em jogo, nas mãos de quem ela foi parar? Dion Lewis, que avançou sem medo, deixou todos para trás e ampliou a vantagem dos donos da casa para 14 a 3.

No segundo quarto, o Texans ameaçou reagir, apesar de logo no inicio ter mais desperdiçado mais uma chance de chegar a endzone adversária, e se contentar com mais um Field Goal. E na hora de repor a bola em jogo, adivinha em que mãos ela foi parar? Sim, Dion Lewis de novo, porém desta vez, o running back dos Patriots não se deu bem, e sofreu um fumble, próximo da linha de dez jardas do campo de defesa. E com isso, finalmente o Houston Texans anotou um touchdown no jogo, com C.J. Fiedorowicz, e diminuiu a diferença para 14 a 13. No finalzinho do segundo quarto, o Patriots converteu um Field Goal e foi para o intervalo com o placar de 17 a 13.

No retorno do intervalo, a impressão é de que as coisas ficariam complicadas para o Patriots, já que na primeira jogada do terceiro quarto, Tom Brady teve o passe interceptado. Era a primeira chance do Texans de passar o time da casa no placar. Mas, Brock Osweiler também teve o passe interceptado, e logo o time de New England voltou a ter o controle da partida. E desta vez, James White recebeu um belo passe de Tom Brady dentro da endzone e aumentou a vantagem no placar para 24 a 13.

O último quarto começou com mais um field goal convertido pelo Texans, diminuindo a diferença no placar para 24 a 16. Porém, o Patriots estava com o jogo nas mãos, e novamente se aproximou da endzone adversária, o que facilitou a situação para Dion Lewis anotar seu terceiro touchdown no jogo, e deixar a vaga na final praticamente assegurada, com 31 a 16. A franquia de New England ainda converteu mais um field goal, e terminou o jogo com uma vitória incontestável: 34 a 16.

Dallas Cowboys 31 x 34 Green Bay Packers

Meu Deus, que jogo foi esse? Não faz nem 24 horas que a partida terminou mas não tem outra coisa para dizer: Esse jogo entre Packers e Cowboys já é histórico. Com final emocionante, com direito a quatro FG acima de 50 jardas (um deles não valeu por pedido de tempo) nos 3 minutos finais do confronto, os Packers de Aaron Rodgers,  um dos melhores quartebacks a jogar esse esporte, estão na final da NFC.

Com menos de quatro minutos de jogo, o Cowboys saiu na frente do placar, com o Field Goal convertido por Dan Bailey. Mas poucos minutos depois, os Packers chegaram a endzone do time da casa, e Richard Rodgers garantiu o primeiro touchdown da partida, a favor do time de Green Bay.

No segundo quarto, o jogo se tornou mais veloz, e parecia que os donos da casa era os Packers. A defesa do time de Green Bay não deu a menor chance para Dak Prescott, enquanto Aaron Rodgers teve uma atuação que beirou a perfeição, e com Ty Montgomery afinado com o quarterback dos cabeças de queijo, foram dois touchdowns em sete minutos, e uma vantagem impressionante de 21 a 3. Porém, o dallas Cowboys reagiu, e Dez Bryant conseguiu um touchdown na campanha seguinte, diminuindo a diferença. Antes do intervalo, tivemos mais um Field Goal convertido por Dan Bailey, e o jogo ficou com o placar de 21 a 13 para os Packers.

As duas equipes voltaram para o terceiro quarto um pouco mais cuidadosas, com suas defesas segurando os ataques adversários. A unica campanha que resultou em pontos foi a favor do Green Bay, com Jared Cook recebendo mais um passe de Aaron Rodgers, e garantindo mais um touchdown. A vantagem foi para 28 a 13, e parecia que dificilmente o Cowboys conseguiria reagir…

Porém, o último quarto foi eletrizante. Para aqueles que duvidavam da capacidade do time de Dallas, Prescott mostrou que jamais se deve duvidar de seu potencial, e aliado a uma defesa que não facilitou em nada a vida do ataque dos Packers, os Cowboys fizeram o impensável até então: buscaram o empate. Primeiro, com um touchdown anotado por Jason Witten. Depois da defesa do time da casa segurar o ataque de Green Bay, foi a vez de Prescott dar um belo passe para Dez Bryant marcar seu segundo touchdown. E após isso, foi a vez de arriscar a conversão de dois pontos, que graças a Prescott, deu muito certo.

Restava então, menos de cinco minutos, e as duas equipes estavam empatadas com 28 a 28. A bola estava coms os Packers, que não conseguiam avançar, e o jeito foi se contentar com um Field Goal convertido por Mason Crosby. A bola voltou para os Cowboys, que faltando pouco mais de dois minutos e meio, também converteu um Field Goal e empatou novamente a partida. A bola voltou para as mãos de Aaron Rodgers, e todo estádio ficou tenso. E sem conseguir chegar próximo da área do time de Dallas, o jeito foi arriscar um Field Goal de 51 jardas, no último segundo de jogo. Sorte do time de Green Bay, que Mason Crosby estava em uma noite inspirada, e conseguiu converter e garantir a presença dos cabeças de queijo na final da NFC contra o Atlanta Falcons.

Kansas City Chiefs 16 x 18 Pittsburgh Steelers

Não será dessa vez que veremos um brasileiro no Super Bowl. O Kansas City Chiefss, de Cairo Santos, até segurou o ataque dos Steelers fora da endzone. Os 18 pontos da equipe de Pittsburgh vieram dos pés do kicker Chris Boswell. Os Chiefs quase conseguiram o empate no fim do jogo, mas uma falta na jogada de conversão de dois pontos colocou por terra as esperanças da equipe de Kansas chegar ao grande jogo da temporada.

Os Steelers começaram a partida na frente do placar, com um field goal de 22 jardas convertido por Boswell. Mas, na primeira campanha dos Chiefs, o time da casa conseguiu um touchdown em apenas seis drives com um passe de cinco jardas do quarterback Alex Smith para o wide receiver Albert Wilson. Mas, Boswell novamente acertou um FG, desta vez de 38 jardas, para colocar a diferença da partida em apenas um ponto.

A primeira pontuação do segundo quarto foi outro FG de 36 jardas de Boswell, que virou o placar da partida para o time visitante. Porém, faltando oito minutos para o fim do quarto, a forte defesa de Pittsburgh apareceu e o linebacker Bud Dupree desviou um passe de Smith, que foi interceptado por Ryan Shazier. Quando as coisas pareciam ir bem para Ben Roethlisberger conseguir seu primeiro touchdown da partida, a defesa dos Chiefs apareceu e, após um passe desviado, Eric Berry interceptou o passe de Big Ben e agachou na endzone, não permitindo nenhuma pontuação dos Steelers. Como se não fosse pedir mais ainda do seu kicker, a equipe visitante aumentou a vantagem no quarto FG convertido por Boswell (45 jardas), terminando o primeiro tempo com 12 x 7 no placar.

No segundo tempo da partida, as coisas não mudaram muito e, sem obter sucesso para conseguir um TD, Boswell acertou um FG de 43 jardas, colocando uma vantagem de oito pontos para os Steelers contra os Chiefs em Kansas City. Até então, o ataque da equipe da casa estava tão abaixo da média que o running back Bell, no jogo terrestre, tinha conseguido mais jardas que os anfitriões. Faltando 15 segundos para o final do quarto, o brasileiro Cairo Santos teve sua primeira chance de um field goal, que foi convertido com um chute de 48 jardas. Ao final do quarto, a diferença caiu para cinco pontos.

Já no último quarto do jogo,  os Steelers ainda não tinham conseguido um touchdown com Big Ben. Mas, por outro lado, Boswell acertou seu sexto FG da partida, em um chute de 43 jardas, colocando a diferença novamente na casa dos oito pontos. Os Chiefs ainda conseguiram uma esperança na partida com uma quarta decida para oito jardas com sucesso, que agitou seus torcedores no estádio. Com aproximadamente três minutos e 30 segundos para o final, Kansas City arriscou de novo uma quarta decida, desta vez para duas jardas, que também deu certo e colocou a franquia na linha de três jardas para a endzone.

Na jogada seguinte, o running back Spencer Ware correu e anotou o TD que colocou o time de volta no jogo. Em seguida, a conversão de dois points foi boa, mas um holding de Eric Fisher fez voltar a jogada. Com a falta, a conversão foi para a linha de 12 jardas, mas não foi sucedida, deixando uma pequena vantagem de dois pontos para o time de Pittsburgh: 18 x 16. Com apenas dois minutos e 30 segundos, a bola voltou para os Steelers, que garantiram uma primeira decida decisiva para a vitória no confronto em Kansas City. Assim, Big Ben só teve que ajoelhar três vezes para garantir a vitória e a classificação para a final da AFC contra os Patriots.

 

Marcelo Tadeu Parpinelli

Um cara que gosta de opinar sobre tudo, principalmente daquilo que não conhece e não entende. Aspirante a filósofo nas horas vagas.

%d blogueiros gostam disto: