NFL – Monólogo e as finais de conferência

Neste último domingo, 22/01, tivemos o confronto das finais de conferência para saber os finalistas do Super Bowl LI. Pela NFC tivemos o embate entre Green Bay Packers @ Atlanta Falcons, já pela AFC o duelo foi entre Pittsburgh Steelers @ New England Patriots.

Green Bay Packers 21 @ 44 Atlanta Falcons

Talvez o jogo que se esperava mais equilíbrio entre equipes nas finais de conferência. Apesar da fragilidade defensiva de Green Bay, uma franquia que possui Aaron Rodgers tudo pode se esperar, e este, estava em uma sequência de apresentações monstruosa. Do outro lado, o provável MVP da temporada, o quarterback Matt Ryan e seu ataque recheado de opções. Atlanta contava com o apoio da torcida e isso poderia ser o diferencial para um confronto tão equilibrado.

Na primeira posse de bola da partida, o Atlanta Falcons já mostrou seu cartão de visitas. Após caminhar por todo o campo, convertendo terceiras descidas, Matt “Ice” faz uma conexão de 2 jardas com o recebedor Mohamed Sanu na end zone. Touchdown para os Falcons em campanha de 6 minutos, neste momento era nítido que os Packers teriam uma noite com grandes dificuldades. Do outro lado da bola, Aaron Rodgers tentava comandar a sua unidade ofensiva, apesar dos seus esforços o pass rush eficiente do Atlanta Falcons começava a aparecer. O quarterback não tinha tempo para executar suas jogadas, que em grande maioria, foi apressado ou tentou resolver com as pernas. Após um FG convertido pelo kicker do Atlanta, Matt Bryant, os donos da casa terminaram o primeiro quarto na frente, 10 a 0. O segundo quarto foi praticamente uma cópia do primeiro, a secundária do Green Bay não era páreo para o explosivo ataque de Kyle Shanahan, coordenador ofensivo dos Falcons. Foi nítido durante quase toda a partida de como o safety dos Packers, Micah Hayde, estava perdido em suas marcações, sendo extremamente dominado pelos recebedores adversários. Os Falcons ainda anotaram mais dois touchdowns ao final do segundo quarto, indo para os vestiários vencendo por 24 pontos a 0.

Após uma bronca pesada de Mike McCarthy, técnico dos Packers, os visitantes voltaram para o jogo almejando o improvável, encostar no placar e vencer a partida. Só esqueceram de avisar os Falcons, que continuaram com sua fórmula de sucesso: Pressão no pocket e queimando tempo no ataque. No terceiro quarto os visitantes tentavam de todas as formas correr atrás do tempo, conseguiram anotar dois touchdowns, porém de nada adiantou, o Atlanta Falcons respondia na mesma moeda, sempre pontuando em suas campanhas. Início do último quarto e os Falcons não descansavam, Tevin Coleman correu até a endzone, mais um touchdown e o placar apontava 44 a 15. Até mesmo Aaron Rodgers lutava para encontrar motivação e dar continuidade na partida, até que o jogo se encerrou com o final do cronômetro, vitória imponente dos Falcons que vão extremamente confiantes para o Super Bowl.

Pittsburgh Steelers 17 @ 36 New England Patriots

Após o monólogo apresentado na final da NFC, muitos fãs do esporte estavam ansiosos para a segunda partida da noite, esperando maiores emoções. Os Patriots contavam com a mística de se jogar em Foxborough tendo Tom Brady como seu comandante, pouquíssimas equipes vencem os Patriots nessas condições. De outro lado o badalado trio ofensivo dos Steelers era sua principal arma no jogo, Antonio Brown, Ben Roethlisberger e Le’Veon Bell.

No primeiro tempo da partida já tivemos uma panorama do que seria o principal confronto do jogo, secundária dos Patriots contra os recebedores dos Steelers, principalmente o astro Antonio Brown. De toda forma, os primeiros pontos vieram dos donos da casa, o kicker Stephen Gostkowski anotou um FG inaugurando o placar, 3 a 0. Do outro lado, a ofensiva dos Steelers parecia travada, o jogo terrestre com Le’Veon Bell não funcionava, muito menos os passes em terceiras descidas. Restou então a Tom Brady aumentar a diferença no placar, em sintonia com o recebedor Chris Hogan, a dupla somou 4 recepções e 57 jardas em apenas uma campanha para aumentar a diferença para 10 a 0 com o TD do wide-receiver. Pouco antes do final do primeiro quarto, os Steelers perderam o running back Le’Veon Bell por contusão, dificultando ainda mais suas pretensões.

No segundo quarto as tentativas de Pittsburgh enfim tiveram resultado, após boa campanha conduzida pelo quarterback Ben Roethlisberger, o running back reserva DeAngelo Williams finalizou a campanha com uma corrida para touchdown de 5 jardas. Depois de erro no extra-point do kicker Chris Boswell, o jogo apontava 10-6 para Brady e companhia. New England ainda responderia com mais um TD de Chris Hogan, lembrando que este jogo de mais de 300 jardas de Brady,  foi o seu 11º na pós-temporada, estendendo seu recorde sobre Peyton Manning, com 09 jogos. Após um FG convertido por Boswell, New England foi para o intervalo em vantagem de 17 a 9.

Na volta dos vestiários, os Patriots voltaram no modo “on fire”, aproveitando a fragilidade do jogo terrestre dos Steelers e o duelo entre secundária e Brown. O ataque dos donos da casa resolveram impor seu jogo agressivo. Foram dois touchdowns nesse quarto, sendo o último decorrente de um fumble sofrido por Eli Rodgers, na linha de 28 do seu campo de defesa. Final de terceiro quarto e New England sobre vantagem de 36 a 9. No final da partida, Big Ben tentava mover as correntes do Pittsburgh Steelers e a improvável classificação para o Super Bowl, porém de nada adiantou: fora interceptação e 4ª descidas não convertidas. Restou a Brady administrar o jogo nos minutos finais, e sair com a vitória com recordes quebrados e mais uma aparição na final da NFL.

Mateus Maia

Estudante de jornalismo da UFOP e fanático pelo mundo dos esportes. Tudo na vida é certeiro, menos o chute de 27 jardas do Blair Walsh

%d blogueiros gostam disto: