Review Super Bowl XXXIII – A primeira vez do Atlanta Falcons

Próximo domingo teremos Super Bowl L1, com o confronto entre Atlanta Falcons e New England Patriots. Será a segunda aparição dos Falcons no grande jogo. A primeira foi no Super Bowl XXXIII, em 1999, contra o Denver Broncos, disputado no Pro Player Stadium, em Miami, na Flórida. E a lembrança não é das melhores para os torcedores de Atlanta, que viram seu time sair derrotado de campo por 34 a 19, no jogo que marcou a despedida do hall of famer John Elway, então quarterback do Denver Broncos.

Para o público em geral, foi um pouco decepcionante a partida. Atlanta, mesmo abrindo um 3 x 0 logo no começo do jogo, não conseguiu ser páreo para os Broncos durante o confronto. Denver chegou a abrir 31 x 6 e basicamente controlou o jogo.

Elway com 38 e em sua última temporada, estava em boa forma durante a maior parte da temporada de 98, terminando com 2806 jardas de passe e 22 touchdowns e 10 interceptações, recebendo o prêmio de MVP da temporada regular. Dois de seus recebedores (Rod Smith e Ed McCaffrey) passaram de 1000 jardas e os Broncos terminaram a temporada regular com 14 vitórias e 2 derrotas.

Os Falcons, no entanto, fizeram um ótimo trabalho para chegar ao Super Bowl e tiveram Dan Reeves, que tinha sido treinador de Denver nas 3 vezes que a equipe havia chegado ao Super Bowl anteriormente e saiu derrotada. E com derrotas acachapantes, como os 42-10 e 55-10. E a imagem do treinador não seria modificada após o desempenho de Atlanta no Super Bowl 33.

Porém, temos de convir que o trabalho de Reeves nos Falcons não foi ruim naquela temporada. Com alguns bons talentos em ambos os lados da bola, impressionou a liga com campanha igual às dos Broncos (14-2) na temporada regular. Isso vindo de uma equipe que tinha 10 vitórias e 22 derrotas nas temporadas anteriores. Os Falcons eram liderados pelo veterano QB Chris Chandler, reforçado pelo jogo estelar do RB Jamal Anderson, que terminou a temporada regular com 1846 jardas e 14 touchdowns. Na defesa, os Falcons estavam entre as melhores unidades da liga, contanto com Eugene Robinson e Ray Buchanan formando uma das melhores secundárias e Cornelius Bennett e Jessie Tuggle no meio da linha.

Os Falcons venceram o 49ers 20-18 o divisional round e, fora de casa, passaram pelo Minessota Vikings por 30-27, com direito a prorrogação. Já os Broncos, tiveram um caminho mais fácil nos playoffs, vencendo os Dolphins 38-3 e os Jets 23-10 no jogo na final de conferência para chegar ao seu segundo Super Bowl consecutivo.

O primeiro tempo do jogo começou com um bom retorno Tim Dwight colocando os Falcons em uma boa posição de campo. Apesar disso, os Falcons não conseguiram mais do que um FG de Morten Anderson e 3-0 no placar. E a resposta dos Broncos foi imediata. Praticamente sem nenhuma resistência, Elway marcou o campo inteiro para terminar com um TD de uma jarda do FB Howard Griffin colocando 7-3 no placar.

No segundo quarto, Jason Elam aumentou a vantagem para 10 x 3 em FG de 26 jardas. E em passe de 80 jardas de Elway para Rod Smith, o placar ficaria 17 x 3 para os Broncos, para começo do desespero dos Falcons que conseguiram diminuir a vantagem para 17 x 6 em FG 28 jardas momentos antes do intervalo.

O terceiro período começou e o domínio dos Broncos não diminuiu. Dois TDs terrestre, um com Howard Griffith e outro do próprio John Elway colocaram o placar em 31 x 6 e praticamente definiram o jogo. Os Falcons até tentaram se recuperar, com o TD de Tim Dwight no retorno de kickoff, mas um FG de 26 jardas já no último período de Jason Elam deixava tudo mais difícil novamente. Ainda houve tempo para mais um TD dos Falcons, anotado por Terance Mathis, mas foi só. Denver conquistava seu segundo título, Elway seria MVP do Super Bowl na sua última partida e os Falcons esperariam até o ano de 2017 para chegar novamente ao grande jogo.

Dessa vez chegou com mais tranquilidade nos playoffs, mas terá novamente um quarterback veterano e futuro hall da fama do outro lado. Em épocas que os esportes americanos estão quebrando tabus, será que chegou a vez do Atlanta Falcons?

Marcelo Tadeu Parpinelli

Um cara que gosta de opinar sobre tudo, principalmente daquilo que não conhece e não entende. Aspirante a filósofo nas horas vagas.

%d blogueiros gostam disto: