Uma temporada de reparos e aproveitamentos para a Internazionale

Faltando duas semanas para o início da Serie A TIM, Roberto Mancini foi demitido. Frank de Boer veio, não conseguiu dar futebol a seu time e rodou com três meses de trabalho. De agosto a novembro foi caótico e conturbado o futebol para a Inter de Milão, que nem passou de fase na Liga Europa. Mesmo com boas contratações – João Mário, Candreva, Banega, Gabriel, que segue com poucas oportunidades entretanto – e a permanência dos destaques da temporada passada, como Icardi, a equipe estava decepcionante.

Stefano Pioli, que estava desempregado, veio e vem fazendo um bom trabalho de recuperação até o momento no maior desafio de sua carreira até então. Solução caseira e uma aposta da diretoria, pois o técnico italiano teve boas passagens mas não possui títulos. Seu melhor desempenho foi o segundo lugar na Copa Itália com a Lazio em 2015, seu último clube.

Mesmo sem o bom volante pra distribuir o jogo e sem um armador clássico camisa 10, o italiano foi arrumando seu time como pôde, às vezes com João Mário ou Banega para essa função de armador, alternando o sistema com 3 e 4 defensores, Perisic e Candreva abertos e Icardi na frente, que segue muito bem no campeonato: 15 gols e 7 assistências em 20 partidas no italiano. Com apenas duas competições para participar até o final da temporada, é provável que essas dúvidas quanto ao esquema tático e o time usual da equipe seja definido. A ideia é trabalhar com 24, 25 jogadores contando os da base que ajudam no treino e têm chances vez ou outra.

Icardi se mantém como o destaque da equipe

Enquanto o trabalho em campo da Inter vem funcionando na medida do possível, a diretoria segue ajustando o elenco, se desfazendo das peças de grandes salários e que não devem ser aproveitadas, já satisfazendo seu técnico. É o caso, por exemplo, de Felipe Melo e Jovetic, que saíram pra Palmeiras e Sevilla. Mas o objetivo principal mesmo é livrar um pouco a folha salarial e gastar mais na próxima janela de verão, que somados aos investimentos dos chineses do Grupo Suning, podem trazer bons ares na próxima temporada. Grandes contratações, reforços em posições carentes e atletas de preferência com nacionalidade italiana para deixar o elenco um pouco mais patriota é o desejo dos chineses. De exemplo, a chegada de Gagliardini, jovem, destaque da Atalanta no primeiro turno e se figurando na seleção italiana, e os rumores por Bernadeschi e Verratti, o volante regista que o time de Milão precisa.

Investidores do Grupo Suning

A última derrota da Internazionale foi na primeira semana de dezembro, para o Napoli por 3 a 0. Até então a equipe só venceu, mesmo que às vezes vitórias mais sofridas, pecando nas falhas individuais, na falta de criação, exposto quando não tem todas as peças disponíveis e abusando do cruzamento. E mesmo em ainda em sexto lugar com 36 pontos, pode-se esperar alguma coisa boa da temporada. Mesmo que não seja uma boa posição na tabela, talvez uma vaga numa competição europeia, a equipe já tem muito o que levar para o planejamento da próxima temporada.

Igor Paulinelly

20 anos, estudante de engenharia e natural de Currais Novos/RN. São-paulino e amante do futebol desde Brasil vs Costa Rica às 3 da manhã em 2002. Social: @igorpaulinelly

%d blogueiros gostam disto: