United precisou ser goleado para se aprumar

4 a 0 no Stamford Bridge para o Chelsea no dia 23 de outubro foi o ponto mais baixo de José Mourinho em sua passagem pelo Manchester United, pois foi quando sentiu a derrota contra um grande depois de altos e baixos na temporada, em que a equipe de Manchester vencia seus jogos mas não convencia e perdia pontos importantes com times da parte de baixo da tabela. De lá pra cá a equipe foi se arrumando, não perdeu mais na Premier League e sua última derrota foi fora de casa contra o Fernebahce, no início de novembro. Desde esse jogo na Europa League, contando todas as competições, são 14 jogos de invencibilidade, com 8 vitórias consecutivas. No momento, difícil criticar ou apontar melhorias para a equipe, tirando a chegada de reforços na janela de inverno, que são sempre bem-vindos.

Kante fechou a conta naquela goleada

O sistema como jogava antes do período ruim do United pouco foi alterado. Ficou claro que Mourinho teve que fazer alguns sacrifícios pra banca-lo. As variações nos esquemas 4231 e 433 não davam pra ser atendida colocando os melhores jogadores do elenco. São esquemas que precisam de velocidade e amplitude, que não podem ser atendido com Mata em uma ponta e Rooney na outra, o que vinha acontecendo. E o pouco entrosamento para conter e atacar da trinca Ander, Pogba e Fellaini prejudicava ainda mais o desempenho da equipe.Demorou um pouco para Mou entender que precisava de um volante como Carrick na equipe, tirando Fella, justamente. A entrada do inglês no setor deu controle à equipe, agora titularíssimo e regista do meio campo Red Devil.

Esse ajuste fez com que as rotações que o português tanto gosta começassem a funcionar. Tanto atrás, mesmo com as poucas opções e os desfalques que repentinamente acontecem, quanto na frente, cadenciando jogadores mais velozes e mais técnicos nos flancos.

Quando Carrick esteve presente em campo, o United não perdeu

Outros pontos importantes foram a recuperação de bons jogadores da equipe que não se apresentavam tão regulares mas faziam alguns bons jogos na temporada passada, como Valencia, Mata, Herrera e Blind  (na verdade, poucos foram regulares com Van Gaal), como conseguir que as principais contratações conseguissem desempenhar seu melhor futebol, casos de Pogba e Ibrahimovic, 13 gols no campeonato inglês. Martial, o mais importante da temporada passada, sofreu um pouco com as rotações mas vem voltando a desempenhar seu futebol nos últimos jogos.

Tempos bons e de esperança no lado vermelho de Manchester que há um tempo não se via. O próximo jogo é pela semi final  da Copa da Liga contra o Hull City na terça. Pela Premier League, com 39 pontos e na sexta colocação, bom jogo contra o Liverpool, candidato ao título e um clássico inglês. Depois dessa fase boa, talvez os próximos jogos sejam os mais importante do Manchester na temporada em termos de definição das competições que disputa. E seu futebol é de bons desfechos.

Igor Paulinelly

20 anos, estudante de engenharia e natural de Currais Novos/RN. São-paulino e amante do futebol desde Brasil vs Costa Rica às 3 da manhã em 2002. Social: @igorpaulinelly

%d blogueiros gostam disto: