Basquete nacional – Guy Peixoto é o novo presidente da CBB

Em uma assembleia tumultuada, o paraense Guy Peixoto, ex-jogador com passagens pela Seleção Brasileira, foi eleito nesta sexta-feira, no Rio de Janeiro, o novo presidente da Confederação Brasileira de Basquete (CBB). Aos 55 anos, ele assume o posto que era de Carlos Nunes desde 2009 e ficará à frente da entidade no quadriênio 2017-2021.

O cartola venceu a disputa contra o paranaense Amarildo Rosa, da Chapa Bola na Cesta, com 17 votos, contra nove do adversário. Houve uma abstenção. Durante a assembleia na sede do Comitê Olímpico do Brasil (COB), a defesa do candidato derrotado tentou impugnar a chapa de Peixoto sob alegação de que ele teria dívidas trabalhistas. A mesa rejeitou o pedido, por entender que o caso deveria ter sido levantado antes da votação.

O grande desafio de Guy será colocar a CBB ( entidade devastada com a péssima administração de Carlos Nunes que deixou dívidas na casa dos 17 milhões de reais, segundo levantamento do blog Bala na Cesta do mais que excepcional Fábio Balassiano) com a Federação Internacional de Basquete (FIBA). Por conta das dívidas, a CBB deixou de organizar eventos do mundial de 3×3, de enviar seleções de base para as competições sul-americanas e deixou o basquete brasileiro sob a intervenção da FIBA. Enquanto não temos competições de seleção, quem sofreu por conta da intervenção e suspensão da CBB foram os clubes, principalmente Flamengo, Mogi das Cruzes e Buaru, impedidos de disputar a Liga das Américas desse ano.

Guy disse estar aberto a negociar a proposta da Fiba de uma força-tarefa para auxiliar na reconstrução da entidade, que deverá contar com uma gestão conjunta do Ministério do Esporte, Comitê Olímpico Brasileiro e também de um profissional da própria FIBA. Também precisará indicar os treinadores das seleções adultas para o ciclo olímpico de Tóquio que, por conta de todas as dificuldades citadas, começa com grandes chances de não obter classificação para a disputa no Japão.

O basquete brasileiro ainda está na lama. Será que Guy conseguirá recolocar o esporte no nível que merece dentro e fora do Brasil? Aguardemos as cenas dos próximos capítulos.

Marcelo Tadeu Parpinelli

Um cara que gosta de opinar sobre tudo, principalmente daquilo que não conhece e não entende. Aspirante a filósofo nas horas vagas.

%d blogueiros gostam disto: