CANTO DO MANTO #10 – Melhorou, mas pode ser melhor

Na última vez que escrevi para o Canto do Manto, logo após a estreia do Flamengo no Cariocão 2017, estava bastante insatisfeito. O time não jogou absolutamente nada e goleou o Boavista por 4 a 1 só depois de ter ficado com uma vantagem numérica. Alguns me chamaram de apressado, mas os erros que eu vi no primeiro jogo e as atuações fracas continuaram ao longo da temporada. Como ponto positivo, destaco o elenco com novas opções boas para diferentes situações de jogo como Berrío, Renê, Paquetá, Cafu, dentre outros jovens e contratações que somaram bastante ao elenco. Somos o melhor time e o melhor elenco do campeonato carioca no momento, logo, acho que temos a obrigação de sermos campeões esse ano.

A invencibilidade do Flamengo se dá ao fato de que o time ainda não ter enfrentado um adversário que seja um desafio. E é por isso que esse time, mesmo sendo bom e com muito potencial, ainda não me convence. Vamos aos jogos: pelo Carioca enfrentamos e ganhamos de Macaé, Nova Iguaçu, Botafogo reserva, Madureira e Vasco na semifinal não foram desafios para testar o time. Botafogo fez jogo duro contra o Mais Querido, mas ganhamos com um 2 a 1 apertado. Vasco ainda está com um time muito ruim e em fase de montagem com Cristóvão e ganhamos com 1 a 0 de pênalti, perdendo muitos gols e fazendo partida razoável. Pela primeira liga Grêmio reserva e América-MG vitórias tranquilas. E empate contra o Ceará, mas com o nosso time alternativo.

Classificados em ambas as competições (Taça Guanabara e Primeira Liga), o Flamengo não fez mais que sua obrigação.

Vamos as análises das peças do time. A zaga se mostrou sólida e os quatro começaram o ano muito bem, tanto a titular com Rever e Rafael Vaz quanto a zaga reserva com Juan e Donatti. Repito que não tiveram grandes ataques contra, mas demonstraram solidez. Muralha jogou todas as partidas e permanece muito bem, tomando apenas dois gols no ano.

William Arão e Romulo não me convencem de jeito nenhum. Oscilam demais e as vezes fazem partidas preguiçosas errando passes bobos e somando em nada ao time. Para Libertadores ambos tem que entrar com sangue nos olhos e muita vontade de vencer. No momento, para mim, são o ponto fraco do time. Já mais na frente ofensiva do meio de campo, Diego, Everton e Mancuello são o ponto forte do Flamengo até esse momento da temporada. Juro que era crítico demais ao Diego, mas o esforço, a raça e a determinação de vencer dele me convenceram. Faltam títulos, mas tem tudo para ele se tornar rapidamente ídolo da torcida do Mengão.

Guerrero está acertando tudo e fazendo excelentes partidas. Tem tudo para quebrar o seu recorde de gols em uma temporada e ser o goleador do ano do time. Não tenho o que reclamar do peruano que começou o ano ‘on fire’. Damião e Vizeu não são as opções ideais, mas o menino tem feito boas partidas e o Zé Ricardo tem muita confiança no potencial dele. Eu não. Mas eu não sou o “treineiro”, então, que tudo dê certo.

Falando no técnico, eu vou falar que preferia um técnico mais experiente para essa disputa de Libertadores, mas como temos um bom histórico de interinos recém promovidos fazendo história, vamos deixar o Zé por lá. E desejar muita sorte e torcer muito pelo nosso time. Melhorou, mas pode ser melhor. E não importa onde esteja estaremos com eles. Saudações rubro negras!

Lucas Farias

Carioca, 25 anos, nem um pouco jornalista, mas apaixonado por esportes, principalmente futebol. Flamengo, Tottenham, Miami Heat e New Orleans Saints.

%d blogueiros gostam disto: