CLUBE DO POVO #11 – Empate a ser comemorado, sim

“Não teve festa, não teve nada demais. Jogamos bem, muito bem. Alguns errinhos que não acertamos. Eles têm qualidade, jogam juntos há um ano e meio e vem de ganhar título. Que vai jogar a Séria A, o time da Série B jogou muito bem aqui dentro”

Brenner é um dos destaques colorados no inicio de ano, marcou um dos gols

“Jogamos melhor, com um a menos muito tempo. O importante é que mostramos que o Inter é muito grande. Muita gente e da mídia também achava que teria festa. E a festa está do nosso lado. Não pelo empate, mas porque o Inter é muito grande”

Após as comemorações realizadas por parte dos jogadores colorados, D’Alessandro ao ser perguntado o porquê de tanta comemoração bradou as palavras acima, ele no papel de ídolo buscou inflamar a torcida, contudo tem certeza em vários pontos. O primeiro tema a ser abordado é o futebol apresentado pela equipe, principalmente no início da segunda etapa onde com as substituições realizadas por Zago a equipe melhorou e dominou o jogo. A movimentação, as triangulações e o nível de envolvimento que o ataque colorado apresentou até metade do 2º tempo foi de clube que brigaria por títulos importantes no Brasil, isso demonstra a evolução do time, com o decorrer dos jogos Zago começa a organizar uma equipe fortíssima e que tem como ponto forte as triangulações ofensivas e os passes curtos.

Roberson entrou bem e mudou o ritmo da equipe, marcou o primeiro gol colorado

Obviamente, o Inter ainda tem problemas e só o tempo e entrosamento irão resolve-los, um deles foi os problemas defensivos da primeira etapa, o jovem volante Charles teve péssima partida, sentiu a pressão do clássico, Carlos teve atuação apagada e acabou substituído no intervalo, o centroavante ex-Atlético Mineiro fica perdido atuando ao lado de Brenner, precisa ser utilizado como atacante de área para funcionar. O grande problema do segundo tempo foi o volante Anselmo que entrou no lugar do lesionado Brenner e errou em quase todos os lances, além de ficar próximo de ser expulso.

O balanço do GreNal para o lado colorado é positivo, o time apresentou evoluções e fez partida parelha contra um time já formado a tempos e que acaba de ser campeão, o Inter ainda em formação deve comemorar o empate, seja pela maneira como buscou o placar com a virada ou como o manteve com um a menos em campo por cerca de 20 minutos, Carlinhos sentiu lesão e Zago já havia realizado todas as substituições.

D’Alessandro está certo em dizer que o empate merece ser comemorado, serve para elevar a moral e demonstra que coisas boas estão por vir no lado vermelho do Rio Grande do Sul.

Leonardo Pereira

Estudante de jornalismo e criador de teses sem noção nos momentos vagos. Twitter: @oOutroLeo

%d blogueiros gostam disto: