CLUBE DO POVO #12 – Primeira taça do ano e o drama do Gauchão

Existe alguma explicação para uma equipe estar bem em todas as competições com exceção do campeonato estadual? Provavelmente não, mas o Inter consegue isso nessa temporada, a equipe tem 100% de aproveitamento fora do Gauchão, no estadual tem míseros 40.7%, uma campanha pífia que teve mais um capítulo na noite dessa quarta (22), o colorado visitou o Ypiranga em partida válida pelo estadual e pela Recopa Gaúcha, sai de Erechim com o empate e o título conquistado nos pênaltis.

Danilo pegou dois pênaltis

A atuação do time foi horrorosa, principalmente na primeira etapa em decorrência da mudança de esquema realizada pelo treinador Antônio Carlos Zago, Zago decidiu utilizar um padrão tático que deixava os atletas e a torcida confusa, revezava entre um 3-5-2 e um 4-4-2 com o zagueiro Victor Cuesta jogando na lateral direita e com o lateral Uendel jogando pelo meio, não deu certo. Zago consertou seu erro com a entrada de Valdivia e Roberson para o segundo tempo; já com a equipe perdendo por 1 a 0 em gol após falha de Léo Ortiz; apenas na etapa final que o time começou a apresentar um futebol digamos que decente.

O empate viria com o artilheiro Brenner batendo pênalti com extrema tranquilidade, é preciso dar um destaque também para o gol mal anulado para o colorado e um outro pênalti sonegado para a equipe. 1 ponto para o estadual e pênaltis para a Recopa. E nas penalidades apareceu a estrela de Danilo Fernandes, o arqueiro colorado defendeu dois pênaltis e colocou mais um troféu na galeria do Beira Rio.

A torcida colorada compareceu ao Colosso da Lagoa

A taça, apesar de ter pouca relevância, põe moral numa equipe que estava abalada pelos resultados conquistados no campeonato, contudo, é alarmante ver o time sofrer para se classificar para as quartas de final em um torneio que tem apenas 12 equipes, isso sem comentar na diferença técnica e econômica entre o Inter e os times do interior.

Contra o Ypiranga, o empate passa pelas mãos de Zago que inventou um esquema bizarro no primeiro tempo e precisou resolver no final, mesmo que o período seja para testes, a posição da equipe necessita de um esquema tático padronizado e de vitorias urgentes. O cargo de Antônio Carlos não está ameaçado, mas com um vexame do nível de não classificar no Gauchão pode mudar a situação do treinador colorado.

Leonardo Pereira

Estudante de jornalismo e criador de teses sem noção nos momentos vagos. Twitter: @oOutroLeo

%d blogueiros gostam disto: