O clássico das cores: 83 anos de muita história

O ano de 2017 tem um sabor muito especial para dois times muito tradicionais do nosso estado. Eles tem tanta semelhança que foram criados na mesma data, porém a diferença entre Bahia e Galícia são de dois anos. No dia 1º de janeiro de 1931 nascia o Esquadrão de aço, o único bi-campeão brasileiro da região nordeste e ainda assim na sua galeria ainda possui 46 títulos estaduais, e mais 6 conquistas regionais. Já o Granadeiro como é conhecido, foi fundado por uma colônia de espanhóis e seu primeiro presidente foi Eduardo Casto Iglesias. Na sua primeira década de existência foi campeão baiano em 1937 e quatro anos depois conquistou o estadual por 3 vezes (1941,1942,1943), um feito inédito naquela época. Voltou a erguer uma taça em 1968, porém amargou os vice-campeonatos de 1967,1980,1982 e 1995.

Sabemos que no futebol e igualmente na vida, existem os altos e baixos. Ao findar a década de 90, o Galícia licenciou-se de atuar profissionalmente no campeonato baiano, somente disputando em categorias inferiores do certame, principalmente quando o clube foi rebaixado para a segunda divisão estadual em 1999. Após muito tempo por lá, o azulino subiu em 2013 e parece que o retorno para a série B do baiano vai acontecer outra vez, nesse período em que ocupa a última posição na tabela com apenas 1 ponto ganho e saldo negativo de 12 gols sofridos.

Em um lado oposto, o Bahia está na terceira colocação com 14 pontos conquistados e quer voltar a gritar campeão nessa temporada. A recente glória do tricolor foi no ano de 2015, quando goleou o Vitória da Conquista por 6 a 0 na Fonte Nova, após ter sido derrotado por 3 a 0 na partida de ida no sudoeste baiano. E justamente a dois anos atrás que ocorreu o último encontro do Bahia com o Galícia, no estádio de Pituaçu pelo placar de 5 a 0 em favor do Esquadrão com gols assinalados por Kieza, Léo Gamalho, Tiago Real (2) e Titi, onde naquela oportunidade a equipe era comandada pelo Sérgio Soares.

E porque esse clássico tem essa alcunha “das cores”? Pois bem, como havia dito que a década de 30 foi muito significativa para as duas agremiações, nessa altura havia um amplo domínio de Bahia e Galícia no futebol baiano por suas conquistas e também pelo motivo de se enfrentarem várias vezes. Para se ter uma ideia, naqueles dez anos entre 1936 e 1945, o granadeiro jogou contra o Bahia em 27 ocasiões pelo campeonato baiano com 13 vitórias do Galícia, 4 empates e 10 triunfos do tricolor, mostrando muito equilíbrio entre as duas principais forças até então. No entanto, o “Clássico das Cores” acabou perdendo prestígio com o passar dos anos, sendo gradativamente suplantado pelo Ba-Vi, que atualmente sem dúvidas é o principal derbi do estado.

A grande aparição desse confronto aconteceu no fim da década de 80, quando o Bahia vivia a conquista do brasileiro de 1988 com aquele time espetacular orquestrado pelo craque Bobô e o grande mestre Evaristo de Macedo. Na estreia do tricolor no baiano de 1989, o granadeiro venceu por 1 x 0 diante de uma Fonte Nova lotado e naquele 12/03 a data no qual ocorreu o jogo, passou ser chamado de o “Demolidor de Campeões”. E não parou por aí, em 95 o Galícia voltou a incomodar a vida do Bahia e naquela temporada o derrotou por cinco vezes (3×0,2×0,1×0,1×0 e 2×1) e só conseguiu empatar em uma vez por 0x0. Infelizmente o título não veio por ser tido superado pelo Vitória nas finais.

Em 2014 houve o reencontro e dessa vez a Arena Fonte Nova foi o palco. É amigos o Galícia mais uma vez aprontou das suas e de virada derrotou o Bahia por 2 a 1, se a missão é demolir pode chamar o granadeiro do Parque Santiago que ele resolve. No próximo sábado (18) ás 18:30 um novo capítulo será escrito nessa historia belíssima. Existe um ligeiro favoritismo do Bahia. Mas pra quem vive e conhece de futebol, será que vai existir alguma surpresa?. Façam suas apostas!

Curtas: São 237 jogos sendo que o Bahia tem 131 vitórias. Já o Galícia possui 48 triunfos e ainda houveram 58 empates. O tricolor balançou as redes em 440 oportunidades, enquanto que o granadeiro fez 267 gols.


Baiano, publicitário e apaixonado por futebol. Escreve todas as terças-feiras na coluna sobre futebol nacional, com ênfase em Bahia e Vitória. Siga meu perfil no twitter (@cezarr__)

Lucas Cezar

Baiano, publicitário e apaixonado por futebol. Escreve todas as terças-feiras na coluna sobre futebol nacional, com ênfase em Bahia e Vitória.

%d blogueiros gostam disto: