Quem pode destronar o “Rei”?

Texto: Mayron Brito

Podemos dizer que nesta década, o lado Leste da NBA poderia ser renomeado para “Conferência LeBron James”. Afinal, o jogador chegou à NBA Finals nos últimos 6 anos, sendo 2010 a única exceção da década, quando foi eliminado nas Semifinais da Conferência. “The King” também chegou à final em 2007, totalizando assim 7 finais nos últimos 10 anos. Porém, esse ano existe uma forte concorrência pelo posto de melhor time do Leste, uma concorrência que talvez ele nunca tenha enfrentado, por Cleveland ou Miami, nos últimos anos.

Destaco aqui as equipes de Boston Celtics, Washington Wizards e Toronto Raptors. Além de seguir de perto o Cleveland Cavaliers na tabela, podendo se aproveitar de uma semana ruim da equipe de Ohio para tentar chegar ao topo da tabela, também procuram desbancar o favorito esquadrão de LeBron, Kyrie e cia. nos playoffs.

O Toronto Raptors, com uma campanha de 39 vitórias e 28 derrotas é o que se encontra mais distante do primeiro lugar. Muito pelo tempo que passou sem a sua principal estrela, DeMar DeRozan, e agora sem seu principal armador, Kyle Lowry. Os Dinos tem encontrado um pouco de dificuldade em construir sequências grandes de vitórias, por isso não devem ameaçar durante a regular. Já em um possível encontro no mata-mata, a equipe representante canadense na NBA deve contar com força total. A volta de Lowry, as recentes adições de Serge Ibaka e PJ Tucker, juntamente de DeRozan, Valanciunas, Carroll e cia. qualificam o Raptors como potenciais desafiantes aos atuais campeões.

Na capital do país, os Wizards finalmente deram o passo adiante que já prometiam há algum tempo. O time liderado por John Wall enfim tem contado com uma temporada saudável de Bradley Beal, e junto com o ótimo ano de Otto Porter Jr., Markieff Morris e Marcin Gortat, construíram um sólido starting 5, que quando em quadra por muito tempo é capaz de enfrentar os melhores times da liga de igual pra igual. Seu ponto fraco é o banco de reservas, e foi nisso que o time investiu na trade deadline, trabalhando para adquirir o ala-armador croata Bojan Bogdanovic, que começou muito bem seu tempo em Washington tendo média de quase 16 pts por jogo vindo do banco. A aposta do time comandado por Scott Brooks é o forte aproveitamento jogando em casa. Recentemente, tiveram uma sequência de 17 vitórias seguidas jogando no Verizon Center, quebrada apenas pelo próprio Cleveland Cavaliers, de LeBron James. Por isso, seria de suma importância para a caminhada do Wiz, a obtenção de uma vantagem de mando de quadra nos playoffs.

O favorito a desbancar o domínio do “King James” no Leste é justamente o último time a ter ganho a Conferência sem o jogador no elenco: o Boston Celtics. E disso eles entendem, afinal é a franquia com o maior número de títulos da Conferência, 21. Para destronar LeBron, o Celtics conta uma temporada digna de MVP de sua principal estrela, Isaiah Thomas, que vem cada vez mais afirmando seu status de All-Star na liga. Um time entrosado e que joga coletivamente, sempre com inteligência, movimentando bem a bola no ataque e uma forte capacidade defensiva capacitam os C’s a serem o principal obstáculo no caminho do Cavs até uma terceira final seguida. Boston tem ótimos 3-pt shooters como Crowder e Bradley, que também são ótimos defensores de perímetro. À eles junta-se Marcus Smart, o armador que serve tanto para dar respiro a Isaiah nos poucos momentos em que o craque do time fica no banco, quanto para marcar o armador principal do time adversário. Al Horford, principal reforço do maior campeão da NBA, é a força do garrafão da equipe, apesar de não se ater apenas à essa área, afinal também é um bom 3-pt shooter e passador. Todos juntos formam uma equipe bem completa, capaz de ser eficiente em todas as situações do jogo e é por isso acredito que Brad Stevens tem em mãos o melhor material para tirar a coroa da cabeça de James.

Mesmo com tudo isso posto, ainda acredito que seja muito difícil bater o Cleveland Cavaliers em 7 partidas. Em dias bons, um perímetro com Kyrie Irving, Deron Williams, J.R. Smith, LeBron James, Kyle Korver, Richard Jefferson, Kevin Love e Channing Frye chutando pra 3 é dificílimo de marcar, quase sempre sobra alguém livre e equilibrado para o chute. Enquanto isso, Tristan Thompson e Larry Sanders são forças brutas no garrafão, que tornam o time fisicamente complicado de enfrentar. Ainda assim, a temporada dos atuais campeões tem oscilado e as dúvidas que pairam no ar sobre J.R. e Love por estarem voltando de lesão e Deron e Sanders que foram contratações de última hora injetam um pouco de confiança nos desafiantes.

%d blogueiros gostam disto: