HTE na Torcida #4 – Estádio Manoel Barradas

Vitória e Vitória da Conquista se enfrentaram na tarde do último domingo (23), pela segunda partida das semifinais do Baianão 2017. O Bode, precisava de uma vitória para se manter na competição, já que o Rubro-Negro da capital havia empatado em 1×1 na partida de ida, dando o direito de jogar por 2 resultados iguais, para se garantir na final do estadual.

Para um público de pouco mais de 5 mil pagantes, a partida começou equilibrada no início, com ambas equipes tendo chances de gol. Até que, após jogada dentro da área, a bola sobra pra David, que tem calma pra ajeitar a bola e mandar no ângulo de Rodolfo, abrindo o marcador da partida.

A partir desse momento, o Vitória da Conquista já demonstrava suas fragilidades, dando espaço para a equipe da capital trabalhar a bola. Após a parada para hidratação, o Leão conseguiu um pênalti duvidoso, para a arbitragem, que mesmo assim marcou. Cleiton Xavier fez 2×0, destruindo qualquer tipo de chances da equipe do interior. No final do primeiro tempo, ainda vimos a expulsão do zagueiro Lúcio, que já havia tomado cartão amarelo no lance da penalidade; o zagueiro havia cometido falta sem bola em David, e logo em seguida recebeu o segundo cartão, ocasionando a expulsão do atleta.

O Conquista se perdeu após os gols tomados. Vimos uma equipe apática, que raramente chegava ao gol do Vitória, e quando chegava, pouco perigo oferecia ao goleiro Fernando Miguel. Ficou clara mais uma vez, a superioridade tanto física, quanto técnica dos times da capital, com relação às equipes do interior.

O segundo tempo foi de uma equipe só. Tatu se machucou em um lance, obrigando o técnico Guilhermino Lima a queimar a primeira substituição, que parece não ter dado muito certo. O treinador alviverde colocou Kléber na partida, meia que na maioria das vezes cadencia o jogo, e foi o que aconteceu. O Vitória partiu pra cima, e como se fosse um rolo compressor, finalizava pro gol em todo espaço que o Conquista deixava. O resultado disso, já ficou claro. Paulinho, Uilian Correia e Geferson ampliaram o marcador, goleando a equipe alviverde por 5×0.

A polêmica da partida, ficou por conta da arbitragem de Johnn Herbert Alves Bispo, que deixou a bola rolar por muito tempo, não marcando faltas óbvias, e se complicando no lance duvidoso da penalidade.

Sempre há especulações de que o árbitro favorece a equipe da capital em alguns lances da partida, e essa escrita parece ter sido mantida. Talvez se a penalidade não tivesse gerado o cartão de Lúcio, e consequentemente a expulsão no lance posterior, o Vitória da Conquista teria mais oportunidades. Com um homem a menos, ficou difícil, e o Vitória sufocou o Conquista até o final da partida.

Classificado para a final, o Vitória agora enfrenta o Bahia na decisão do Campeonato Baiano. A primeira partida acontecerá no dia 03 de maio, no Barradão. Por sua vez, o Vitória da Conquista encerra o seu calendário em 2017, já que a equipe optou por não participar da Copa Governador do Estado, que pela primeira vez, não dará vaga a nenhuma competição nacional em 2018.

 

Rafik Oliveira

Amante de várias modalidades esportivas, trago á tona diversos temas que abordam o cenário nacional, sempre com uma visão diferenciada para cada tipo de situação.

%d blogueiros gostam disto: