MR. WES”TD”BROOK

Texto: Mayron Brito

ACONTECEU! HISTÓRICO! INACREDITÁVEL! Palavras faltam para definir o que estamos presenciando durante essa temporada da NBA, especialmente os feitos de Russell Westbrook III, filho de Russell Westbrook Jr. e Shannon Horton. Isso mesmo, até seu nome sugere o número 3. Três, The Third, Triple. Triple-double. A expressão que até 2016, ao menos no círculo de amantes do basquete significava Oscar Robertson, ganhou uma nova definição. Agora “TD” é sinônimo de RUSSELL WESTBROOK!

42! Sim, 42! Você não leu errado! O armador do Oklahoma City Thunder anotou dígitos duplos em 3 fundamentos em mais da metade dos jogos da temporada (80, até agora), e isso porque ela ainda não acabou. Um feito que jamais esperaríamos acontecer outra vez na NBA, já que o recorde anterior durava 55 anos, desde a temporada 1961-62, quando o “Big O” terminou com médias de 30.8 pts, 12.5 reb e 11.4 ast, anotando incríveis 41 triple-doubles nas 79 partidas que disputou naquele ano. Russ, além de ter coletado 10.7 rebotes e dado 10.4 assistências por jogo até aqui, ainda é o líder de toda a liga em pontuação com 31.9 pontos.

Russell acaba de quebrar o recorde de TDs conseguidos em uma temporada e de maneira espetacular. Na metade do último quarto da partida contra o Nuggets, em Denver, o armador explodiu para uma infiltração, mas percebendo o companheiro livre na zona morta, passou para Semaj Chrinston que acertou o chute de 3 e deu assim a 10ª assistência para Westbrook. Não satisfeito com apenas o recorde, ele ainda liderou a equipe a uma virada espetacular no último quarto. Pegou o rebote do lance que poderia ter dado a vitória aos donos da casa e ainda meteu a bola de 3 pontos que virou a partida no estouro do cronômetro. Um detalhe: QUASE DO MEIO DA QUADRA! Terminou a partida com absurdos 50 pontos, 16 rebotes, 10 assistências E a vitória.

Agora, vamos a grande discussão que tem tomado conta de grande parte da temporada: quem é o seu MVP? Admito que na maioria do tempo eu defendi o prêmio para James Harden, inclusive achava absurdo quem argumentava a favor de Russell Westbrook. Por causa da colocação? Porque triple-doubles são apenas números, o que importa são as vitórias? Mas afinal, mais vitórias também não são “APENAS” números? Comecei a me perguntar algo diferente: PORQUE NÃO? Porque muitos outros jogadores com estatísticas superiores aos que levaram MVP não ganharam? E daí? Porque Oscar Robertson em sua temporada de TD também não levou o prêmio? E daí? Bom, à esses fatos eu só posso lamentar.

 

Russ é abraçado pelos companheiros após acertar game-winner contra o Nuggets

 

James Harden faz realmente uma temporada espetacular com seus 29.3 pontos, 8.1 rebotes e 11.2 assistências, levando o Houston Rockets, que parecia um time à deriva no começo da offseason com a saída de Dwight Howard, a ter a terceira melhor campanha da liga com 54 vitórias e 26 derrotas. Porém, ao contrário de Westbrook, o Barba, contou com uma ótima movimentação do front office da franquia e do técnico Mike D’Antoni, que montaram uma equipe perfeitamente compatível com o seu estilo de jogo. Eu sou a última pessoa que diria que o camisa 13 de Houston não merece ser o MVP, porém, não vejo nenhum problema em dividi-lo, ou então, dá-lo apenas para Russell. Ambos merecem, e de longe, mais do que qualquer outro jogador da liga, ambos fazem temporadas acima de qualquer normalidade que vemos ano após ano. O camisa 0 de OKC não contou com uma boa montagem de elenco (e ao contrário de muitos, não acho que seja porque faltam jogadores bons ao seu lado, mas sim jogadores que complementem melhor suas características), teve de lidar com a saída inesperada de Kevin Durant e ainda assim, está levando a equipe à uma classificação sem sustos para os playoffs, em um confortável 6º lugar.

Finalmente, comparando com a temporada de Oscar Robertson, é possível concluir que o feito de Westbrook hoje é muito mais difícil do que o de 55 anos atrás. “Big O” jogava em uma liga com cerca de 30 posses de bola a mais do que a atual, o que permitia uma possibilidade maior de arremessos, ou seja, chances de pontuação, e de tentativas de passes. Ao mesmo tempo que naquela época, a média de acertos de chutes de um time era de 42.6% e a média de arremessos errados por jogo era de 61.8, contra 46.4 nos dias de hoje, possibilitando assim um número maior de rebotes. É basicamente por isso que ninguém, de 1962 para cá, terminou com média de TD, ou conseguiu completar mais que Robertson na mesma temporada.

Temos que reconhecer o tamanho do que está realizando Westbrook, talvez nossos filhos não cheguem a ver algo parecido. Robertson terminou a corrida para MVP em 3º lugar naquele ano, porém, devido ao pace maior, seus concorrentes também tinham médias extraordinárias, como os 50.4/25.7 de Wilt Chamberlain e 18.9/23.6 de Bill Russell, que foi o vencedor do prêmio. Os 30.8 pontos por jogo de “Big O” representavam apenas a 5ª melhor marca da liga e 20 pontos atrás do líder Wilt, enquanto West lidera a NBA com 2 pontos de vantagem sobre seu rival, enquanto ainda é espetacular nas outras estatísticas.

Além de conseguir uma temporada com média de e conseguir fazer 42 triple-doubles em 80 jogos, Russ ainda tem o recorde de jogador com o maior número de TDs anotando mais de 30 pontos. Passou Harden como jogador a fazer mais partidas de 40 pontos e 10 assistências, são 9 agora, contando com a partida de hoje. E ainda quebrou o recorde de pontuação ao anotar um TD, ao marcar 57 pontos (acompanhados de 13 rebotes e 11 assistências) contra o Orlando Magic, em 29 de março. Hoje também deixou pra trás James Harden, Wilt Chamberlain e Elgin Baylor em número de triple-doubles anotando 50 pontos na carreira, já são 3, contra 2 dos outros. Westbrook ainda teve 7 partidas em que deixou de anotar um triple-double por apenas um rebote ou uma assistência e já teve duas sequências em que conseguiu 7 TDs seguidos, além de ter passado Wilt Chamberlain e assumido a quarta posição em número de triple-doubles na carreira com 79, ficando atrás apenas de Oscar Robertson, Magic Johnson e Jason Kidd.

Se isso não é uma temporada digna de MVP para você, eu não sei o que mais pode ser. Defender o título para James Harden, OK, agora não admitir que Russell é tão merecedor quanto é apenas insano. Que dividam! Mas se hoje eu tivesse que escolher um, com certeza escolheria o melhor jogador da melhor temporada regular de todos os tempos.

%d blogueiros gostam disto: