Senhoras e Senhores: a maratona de Ba-Vis

O torcedor será presenteado nesse mês de abril. Isso porque teremos muitos clássicos pela frente e sem dúvida a paixão e a emoção, que são ingredientes fundamentais no futebol, estarão postos a prova. No último final de semana foram definidas as semifinais da Copa do Nordeste, e as duas capitais ( Salvador e Recife), terão os dérbis como prova para saber quem irá as decisões do certame regional. Particularmente, eu torci para que isso acontecesse em virtude de que nossos torneios sempre são tidos como inferiores pela mídia sulista, e agora todas as atenções estarão voltadas para a cidade do axé e do frevo nos dias 23 e 26/04, quando ocorrem as partidas.

Mas antes, nesse domingo (9), teremos o Ba-Vi na Fonte Nova pelo Campeonato Baiano. Tanto Bahia, quanto Vitória já estão garantidos na próxima fase do torneio, porém nada disso interessa quando essas dois rivais históricos se encontram, até porque quem em sã consciência perguntaria ao torcedor se ele quer sair derrotado?. No tricolor de Guto Ferreira, existe um time mais compactado e obediente ao esquema tático. Sabe bem o que quer nas quatro linhas, entende que o passe é a arma para envolver o adversário e conta com a boa fase de Régis, o qual deixou de ser apenas coadjuvante como em 2016 e hoje é protagonista sendo um dos líderes de assistência na temporada. O setor ofensivo até o momento seria o ponto fraco do Esquadrão, onde o atacante Hernane está em descrédito com o torcedor e segundo ele está prometendo gols nesse clássico. Será que ele desencanta?

A defesa passa segurança ao comandante tricolor. Segundo os números no Baianão, foram apenas 2 gols sofridos no ano, porque na “Lampions League”  como é carinhosamente apelidada pelo torcedor, o Bahia não sofreu nenhum tento assinalado pelo adversário. No Vitória de Argel é oposto. O quarteto formado por Gabriel Xavier, Cleiton Xavier, Kieza e David estão bastante entrosados. É perceptível a evolução gradual do Leão que passou algumas dificuldades neste início de temporada, ao ponto de questionar a permanência de Argel no comando técnico rubro-negro. Desses jogadores citados, podemos citar o crescimento do David que com sua velocidade dá uma inspiração ao time e pode ser um elemento para decidir a partida de domingo. Vale ressaltar também a recuperação de José Welisson, que passou de desacreditado para ser também um homem de confiança nesse esquema do Vítória.

Esse Ba-Vi é tido como uma experiência, saber como cada um sabe jogar. É evidente que tanto Guto quanto Argel vem acompanhando as partidas de seus oponentes e disso colher as virtudes e defeitos para explorar nos treinamentos da semana e ao longo dos 90 minutos. A partir daí, ambas as equipes estarão mais acostumadas nos próximos clássicos a lidar com as dificuldades e artimanhas do rival.

A estimativa de sete encontros nesse ano. Somente nesse intervalo de jogos do estadual, Copa do Brasil e do Nordeste haverão no mínimo cinco Ba-Vis, caso os dois times avancem as finais do Campeonato Baiano, fora os embates da Série A que está por vir. E você torcedor? Se preparou para as maratonas de Ba-Vi?. Não se preocupe, eles estão disponíveis nos melhores cinemas, digo, estádios, porque o seu lugar já está reservado no Barradão e também na Fonte Nova, uma vez que é seu direito de fazer a festa.


Baiano, publicitário e apaixonado por futebol. Escreve todas as quartas-feiras na coluna sobre futebol nacional, com ênfase em Bahia e Vitória. Siga meu perfil no twitter (@cezarr__).

Lucas Cezar

Baiano, publicitário e apaixonado por futebol. Escreve todas as terças-feiras na coluna sobre futebol nacional, com ênfase em Bahia e Vitória.

%d blogueiros gostam disto: