UMA RAZÃO PARA VIVER #3 – Derrota chata, mas não é o fim do mundo

Na noite desta quarta-feira o Sport foi ao Rio de Janeiro e perdeu de 2-1 de virada para o Botafogo. A partida foi válida pela ida das oitavas de final da Copa do Brasil. A volta está marcada para o dia 31/05, na Ilha do Retiro. Com o gol fora de casa, o Sport precisa apenas de uma vitória simples por 1-0 para se classificar. Mas poderia ser melhor…

Ney Franco surpreendeu todos ao sacar o atacante André e iniciar o jogo com Reinaldo Lenis no ataque. Em entrevista no início da partida, ele justificou a mudança dizendo que queria ter dois jogadores caindo pelas pontas, por isso preferiu o colombiano. A troca deu certo. Mesmo com o Botafogo tendo certo controle do jogo no início e tentando mais, o Sport abriu o placar logo aos 6 minutos. Lenis ajeitou uma bola que veio alta para Samuel Xavier que bateu com a parte externa do pé direito, da entrada da área, e fez um golaço.

O Botafogo sentiu o golpe e o jogou bem controlado pelo Sport, que não chegava com muita força, mas também não corria muitos riscos. Aos 42′ veio o lance que mudou o jogo. Bruno Silva, volante alvinegro, foi expulso após cometer uma falta em Fabrício. Ele tinha recebido o primeiro amarelo minutos antes e esta falta lhe rendeu o segundo amarelo e consequentemente o vermelho. Não é querendo culpar o árbitro por nada, mas ficou visível que após a expulsão ele quis “compensar” e começou a distribuir amarelos para os jogadores do Sport, em lances que não pediam tal punição. Ronaldo fez uma falta simples no meio e ele já chegou dando cartão. Pouco antes Fabrício matou um contra-ataque e, dessa vem justamente, também foi amarelado. Rodrigo que entrou no intervalo também recebeu amarelo.

Logo após a expulsão, Ney Franco tirou o amarelado Fabrício e pôs André, visando se aproveitar da vantagem numérica. Na teoria era perfeito, mas na prática não foi tão útil assim. Na volta para o segundo tempo, ele tirou Ronaldo que também tava amarelado e colocou Rodrigo. Pouco adiantou estas substituições – que segundo o treinador, não foram motivadas pelos cartões – pois Rodrigo também recebeu cartão amarelo após a bola bater em sua mão, num lance fortuito no meio de campo. Exagero do árbitro ao punir o volante rubro-negro, pois no lance seguinte a bola bateu na mão do meia Camilo do Botafogo e o árbitro não o puniu igualmente.

Com as mudanças, o Sport se portou no 4-2-3-1, com Rithely e Rodrigo como volantes, Rogério, Diego Souza e Lenis no meio e nas pontas e André na frente. Essa é uma das formações aceitáveis do Sport e que funciona. Aí vem a pergunta: como o Sport perdeu esse jogo se a formação funciona? É onde entramos nos erros e problemas do time no jogo.

A formação com 3 volantes é ótima para liberar os laterais, pois eles vão ter cobertura quando descerem ao ataque. Com apenas 2 volantes, Ney Franco não corrigiu e deixou os laterais descendo sem cobertura. Resultado: os dois gols do Botafogo saíram de contra-ataques pela direita da defesa do Sport, quando Samuel Xavier estava no ataque. O rápido atacante Guilherme do Botafogo ficou duas vezes no mano-a-mano com Matheus Ferraz que é aquela beleza na marcação 1×1 e sacramentou a virada. E olhem que a culpa dos dois gols NÃO É de Matheus! Podemos cobrar um retorno mais rápido de Samuel? Sim. Mas a ausência da cobertura de volantes e o fato da formação para essa cobertura existir ter sido alterada, impedindo essa movimentação, são mais preponderantes para termos tomado a vidada.

Guilherme aproveitou dois contra-ataques e virou o jogo para o Botafogo.

Vi algumas pessoas reclamando do pênalti de Diego Souza que Gatito Fernandez defendeu. Minha gente, foi mérito do goleiro e não culpa de Diego. Vão procurar os problemas/causas de verdade, como a atuação nula de Rogério. O próprio Diego foi para o intervalo dando um esporro no camisa 17 por ele não estar tocando a bola lá na frente. Ney Franco também errou ao tirar Lenis para colocar Everton Felipe. Everton entrou muito bem, mas não fez a função que Lenis vinha fazendo. A mudança correta seria manter o camisa 7 e tirar Rogério. Acima eu tinha dito que a entrada de André pouco adiantou. E foi pouco mesmo. Ele sofreu o pênalti que Diego cobrou para defesa de Gatito e minutos depois errou um passe na entrada da área do Botafogo que gerou o contra-ataque do gol da virada. Não acrescentou muito ao jogo mesmo.

Sobre Ney Franco, foi o primeiro jogo que os erros dele influenciaram no resultado da partida. Mas ele vem mostrando que não se apega aos erros e sempre busca melhorar e isso é o que tranquiliza este torcedor que vos fala. Como está no título deste texto não é o fim do mundo. O Botafogo é um time bem ajustado e tem um técnico que enxerga bem o jogo. Mesmo assim, marcamos um gol fora de casa e temos tudo para fazermos um bom jogo e conseguir a classificação para as quartas de final desta Copa do Brasil.

 

VIDA QUE SEGUE

No próximo sábado temos um jogo importantíssimo pela ida da semifinal da Copa do Nordeste, contra o rival Santa Cruz, que está em crise após a eliminação no estadual para o Salgueiro. Não poderíamos pedir coisa melhor, pois o jogo ainda por cima será na Ilha. A torcida está abraçando o time, pois as bilheterias da Ilha estavam lotadas no primeiro dia de venda dos ingressos para sábado, neste jogo que é a chance de corrigir os erros e ainda por cima tentar encaminhar a classificação e um jogo mais tranquilo na volta, quarta que vem. Para esta partida não teremos Rogério, que está suspenso. É a chance para Lenis se firmar no time titular. Provavelmente teremos o retorno de Ronaldo Alves na defesa. Fica a dúvida se no lugar de Matheus ou de Durval. Minha aposta é que seja no lugar do primeiro.

Ney Franco viu seu time perder o controle de jogo quando a formação com 3 volantes foi desfeita. Com isso, deve manter o trio formado por Ronaldo, Fabrício e Rithely. A única dúvida é quem substituirá Rogério: André ou Everton Felipe? Se André for o escolhido, Diego e Lenis ficaram flutuando sem um lado fixo, mas o colombiano caindo pela direita sempre produziu mais. Se Everton Felipe for o escolhido, Diego jogará como falso 9, com os volantes e os pontas se movimentando muito. Particularmente, acho que o escolhido será André. Para mim, o time sábado deve entrar em campo com esse XI: Magrão; Samuel Xavier, Ronaldo Alves, Durval e Mena; Ronaldo, Fabrício e Rithely; Diego Souza, Lenis e André.

Nos resta digerir esta derrota chata e amarga. Após isso, não temos motivo para desespero. É parar para enxergar que foi apenas uma derrota e que nada está perdido e que ainda por cima temos mais uma decisão, já neste próximo sábado. O Sport, mesmo com os erros, vem evoluindo bem e ainda vai nos dar muitas alegrias (e, na mesma proporção, raivas) neste ano!#PST

%d blogueiros gostam disto: