Diário de um treinador #4 – Mais uma derrota no futsal, mas com melhoras em alguns aspectos

Amigos, estou de volta para mais um episódio da nossa série. Hoje, conto pra vocês como foi a nossa partida de ontem pela segunda rodada da Copa dos Comerciários de futsal.

Enfrentamos o Supermercado Monte Rey, e como eu já havia adiantado para os leitores que a equipe deles é muito entrosada, e vem jogando há muito tempo juntos. O confronto foi realizado às 20:30 com o ginásio lotado, e muitas pessoas torcendo pelo nosso time. Um momento que me marcou, foi a entrada da nossa equipe em quadra, com uma faixa feita pelo nosso amigo Alberto. A torcida nos aplaudiu, como forma de incentivo, em busca da vitória.

E, que tal começar ganhando dos favoritos? Tarcísio, logo no primeiro minuto de partida, abriu o placar para o Celtic (Açougue do Xuxa), mas logo em seguida, tomamos o empate, e depois a virada. Até que ouço um barulho ao meu fundo, era a torcida cantando “Ê, vamos virar Celtic”. Aquilo motivou a equipe, que em sequência empatou a partida em 2×2, levando a galera ao delírio. Mas a reação parou por aí, e não conseguimos parar o bombardeiro do Monte Rey que fez abriu 3 gols de vantagem, fazendo 5×2 no marcador.

Na segunda etapa, comecei a ouvir da arquibancada mais uma vez como no jogo passado: “Tu é treinador onde, Rafik?” “Tira fulano de tal aí, porque está morto”, aí minha resposta foi essa: “Monta um time de quadra, e vem jogar em meu lugar, então!”. Aquela altura do jogo eu já não estava aguentando a pressão, e foi o jeito responder dessa forma.  Voltando ao jogo, tive que manter o Tarcísio até o final da partida, pois era quem chamava o jogo e fazia as jogadas de maior perigo, também destaco o Matheus que finalizou duas vezes com perigo ao gol, e junto com o nosso camisa 7, criou a nossa ‘dupla dinâmica’, rs.

O que pecou foi a questão da marcação, já que tínhamos estabelecido na preleção, que cada atleta nosso pegaria um jogador que estivesse mais próximo, para acompanhá-lo até o final da jogada, mas infelizmente, na maioria das vezes isso não aconteceu, fazendo com que o Monte Rey chegasse diversas vezes com perigo na nossa meta. Houve sim, problemas individuais com nossos jogadores, e tive que chamar a atenção por conta disso. No final do jogo perdemos por 7×3, mas disciplinados até o final. Olhei as demais partidas realizadas anteriormente, e somos a equipe que menos faltas cometeram durante a partida, e nenhum cartão tomado.

Houve uma melhora com relação a última partida, mas ainda não foi o suficiente. O time ainda depende muito dos gols de Tarcísio para marcar, e isso atrapalha o conjunto que deve finalizar mais ao gol. A marcação ainda é algo que ainda não conseguimos achar uma resposta definitiva, mas precisamos que todos os atletas em quadra colaborem, dando o seu máximo com e sem a bola.

Fomos elogiados ao final da partida, e estamos conquistando os torcedores a cada jogo que fazemos. Dizem que o nosso projeto há de se estender por muitos anos, graças ao comprometimento de cada um de nós, estando presentes nos jogos. Eu como fundador do clube, só tenho a agradecer pelo apoio de cada um que esteve e continua torcendo por nós.

Finalmente conseguimos marcar um treino, que vai ser realizado no próximo domingo, visando a partida contra a equipe da Farmácia Menor Preço, que será realizada na sexta-feira que vem às 19:30 da noite. A expectativa é que a partir do treino que iremos fazer, possamos corrigir os erros cometidos na última partida. O grupo ainda está muito aberto, pois apenas 2 equipes pontuaram, das 6 presentes. Embora estejamos na degola, com duas derrotas e saldo de -13 (risos), mas uma vitória ou duas nas próximas partidas e podemos ficar com uma vaga na próxima fase da competição.

Até a próxima!

 

Rafik Oliveira

Amante de várias modalidades esportivas, trago à tona diversos temas que abordam o cenário nacional, sempre com uma visão diferenciada para cada esporte.

%d blogueiros gostam disto: