ESPECIAL CHAMPIONS LEAGUE – Eficiência x Eficiência

Dois setores se destacam nos finalistas da Champions League, e são setores que representam bem como cada liga nacional dos times.

 

O PODEROSO ATAQUE MADRIDISTA

O artilheiro da equipe (AP Photo-Francisco Seco)

 

No Real Madrid o ataque famoso pelo trio BBC (Bale, Benzema, Cristiano Ronaldo) teve que se adaptar a ausência do galês que sofre com lesões, mas mesmo assim o ataque conseguiu marcar 32 gols na competição, desses 10 foram feitos pelo português Cristiano Ronaldo que marcou incríveis oito dos últimos 10 tentos merengues.

 

 

 

Porém outra peça chama a atenção pelo lado espanhol da final, o meia atacante Isco, que se revezava com James Rodriguez na vaga de Bale se tornou titular absoluto e graças a ele a criação do time cresceu, com o meia criando chances com passes ou dribles e facilitando a vida de Cristiano Ronaldo e Benzema, o francês sofreu com a constante ameaça do reserva Morata que retornou ao clube depois de um período nos rivais italianos, mas mesmo assim foi importante na segunda semifinal ao fazer a jogada que resultou no gol de Isco em um momento complicado do jogo e chega a final como vice artilheiro do time na competição com cinco gols.

O novo pilar do ataque (Sergio Perez – Reuters)

Além das peças titulares os reservas supriram bem a equipe do Real, os jovens Lucas Vásquez e Marco Asensio tiveram um bom destaque além claro de James Rodriguez que apesar de não ser o jogador que todos esperavam e esperam participou de 14 gols na temporada e de Morata que apesar de não conseguir desbancar Benzema fez 15 gols na temporada.

 

No total a equipe de Zinedine Zidane fez 169 gols na temporada em 59 jogos na temporada, com uma média de 2.86, o grande artilheiro do clube como não podia deixar de ser foi Cristiano Ronaldo com 40 gols na temporada (veja AQUI), além do setor ofensivo o time de Madri conta com seus meias centrais/volantes para distribuição do jogo, Marcelo que a cada dia se torna mais espetacular na lateral esquerda e claro os gols do capitão e decisivo Sérgio Ramos.

A BARREIRA BIANCONERA

Os chefes da defesa italiana (Reuters)

 

Se do lado do Real um trio BBC chamou e chama atenção, do lado da Juventus outro trio BBC atraiu os holofotes quando a equipe disputou a sua última final da Champions, Barzagli, Bonucci e Chiellini os pilares da defesa da então equipe comandada por Antonio Conte e que ainda tinha Buffon como capitão.

 

 

 

Com novas peças e alterações táticas o trio BBC se tornou apenas mais uma alternativa de esquema utilizado por Allegri que também passou a utilizar bastante o esquema 4-2-3-1 marcando com uma linha mais alta os times e que tem Khedira e Pjanic como pontos de equilíbrio no meio da equipe italiana que apesar de não ter nenhum cão de guarda na equipe possui um preenchimento de espaço que deixa o adversário sem muita alternativa.

 

Além dos zagueiros o sistema defensiva ainda consegue conter os ataques laterais com os brasileiros Daniel Alves que fez uma reta final espetacular de Champions e Alex Sandro, que tem o reforço da dupla de defesa que normalmente é formada por Chiellini e Bonucci e ter o grande líder Buffon.

A nova peça da engrenagem bianconera (Getty Images)

Além das peças já habituais a equipe ainda conta com os reservas de luxo Medhi Benatia e Rugani para defesa e Lichtsteiner e Asamoah como reserva nas laterais.

Essa defesa quase que intransponível sofreu apenas 27 gols nas 38 rodadas do campeonato italiano e mais impressionantes três gols em toda Champions League com incríveis seis partidas sem sofre um mísero gol, apenas um gol foi sofrido em todo mata mata, que foi o gol de honra do Mônaco, feito quando a classificação da Juventus já estava assegurada para final.

Foram apenas 35 gols sofridos em toda temporada em 56 partidas, o que resultou em média de apenas 0.62 gols e mesmo assim, algumas das partidas foram disputadas por goleiro reserva e até terceiro goleiro

Por fim ainda tem o comando e a experiência de Gianluigi Buffon que segue no seu caminho para conquistar o único título relevante que ainda não conquistou(veja mais AQUI), apesar de em toda competição europeia ter sido eleito o homem do jogo apenas uma vez, no confronto contra o Lyon na França pela primeira fase da competição foi muito importante em momentos pontuais principalmente nos jogos de ida contra Barcelona e Mônaco nas quartas e semifinais respectivamente.

%d blogueiros gostam disto: