QUEREMOS A COPA #6 – Solidez coletiva

Embora o meu destaque seja a solidez coletiva do Grêmio no jogo contra o Atlético Paranaense na Arena da Baixada, preciso ser coerente e citar também as individualidades do time tricolor, que surgiram com ênfase.

Luan, o craque do time e melhor jogador em atividade no Rio Grande do Sul por dois anos seguidos, marcou um golaço e foi intenso como de hábito. Engana-se quem pensa que ele é dorminhoco, muito pelo contrário, o atleta é talvez o jogador de maior movimentação no Grêmio.

Ramiro é sem dúvidas o jogador mais regular do Grêmio em 2017, participando quase sempre dos gols e sendo peça chave da equipe. Segundo dados do Footstats , o jovem meia deu 57 passes, sendo 56 corretos. Isso é assustador no bom sentido.

Arthur se firmou e não tem como tirá-lo do time. Fato que chama atenção no Grêmio é a grande quantidade de desfalques que o clube tem, sendo jogadores titulares e muito importantes como por exemplo, o capitão Maicon, Miller Bolaños, Marcelo Oliveira, Edílson e o meia Douglas.

Praticamente meio time e mesmo assim o Grêmio fez três ótimos jogos, enfrentando times difíceis como o Botafogo, Fluminense e Atlético-PR.  Com o coletivo forte, individualidades aparecendo e eficácia, o Tricolor venceu o bom time do Atlético e conseguiu a segunda vitória em duas rodadas no Campeonato Brasileiro, jogando de forma autoritária e segura.

Cada vez mais o coletivo gremista se solidifica, exemplo disso foi a atuação segura de Bruno Cortez. Por outro lado, as peças que sempre se destacam foram novamente importantes. Ramiro, Arthur e Luan se movimentaram muito e tomaram conta do jogo. O setor defensivo foi praticamente perfeito, isso explica o primeiro tempo do jogo, que foi de muita marcação e truncado.

Lucas Barrios marcou novamente e chega na impressionante marca de 16 jogos ( 9 como titular) e 10 gols. Entretanto, Pedro Rocha está com os dias contados no time titular. Quero deixar claro que defendo-o e o aplaudo pelos gols na final da Copa do Brasil. Só que a questão hoje é merecimento e não podemos tirar Ramiro ou Arthur, tampouco Lucas Barrios.

Minha solução quando Maicon e Bolaños voltarem  é a seguinte: Ramiro, Maicon e Arthur no meio, talvez com um losango com Luan, Bolaños e Barrios na frente. As últimas atuações empolgam a torcida tricolor e com razão. O time está desfalcado e mesmo assim vem vencendo e convencendo. Méritos para nosso maior ídolo Renato Portaluppi e o elenco. Queremos a Copa!

Renato Portaluppi orienta o elenco gremista para a sequência de jogos.
%d blogueiros gostam disto: