RECANTO DA COLINA #8 – A saída de Rodrigo pode se transformar em terror num futuro próximo

Meu amigo vascaíno, o nosso Xerife pode estar de saída. Diversas fontes divulgam que esta quinta-feira (03/05) pode ser o último dia dele em São Januário. Estou acompanhando a repercussão da possível rescisão de Rodrigo desde que o assunto foi lançado pela mídia e vendo diversos torcedores agradecendo aos céus por não contar mais com o futebol do nosso zagueiro para o restante da temporada. Afinal, essas reações são mesmo justas e necessárias?

Rodrigo chegou ao Vasco em 2014, após atuações de destaque por Vitória e Goiás. Suas partidas eram sólidas contra qualquer adversário e, aos poucos, foi se tornando um jogador muito querido pela torcida vascaína. Virou titular absoluto em São Januário, com status de um dos jogadores mais importantes do clube na disputa da Série B. Guerreiro defensivamente, no modo ofensivo também mostrava habilidade: 6 gols na 2ª divisão, número considerado alto para um zagueiro.

Após um ano inicial sensacional, Rodrigo começa 2015 diferente. Mais estabanado que o normal, sem confiança e segurança. Não foi um início legal para o Xerife, que logo começou a receber duras críticas, como: “jogador aposentado”, por exemplo. Suas atuações contra atacantes de times médios a fracos eram horrorosas. Um verdadeiro fiasco.

Mas tinha um porém que sempre aumentava sua credibilidade com parte da torcida e da diretoria: aparições contra Flamengo e Fluminense. Quem acompanha o Vasco nos últimos tempos percebe que nosso zagueiro sabe os ingredientes de se fazer um bom jogo e uma marcação sólida contra Paolo Guerrero e Fred. Parece que esses jogadores são o incentivo de Rodrigo em continuar jogando futebol, pois diante dos atacantes de times inferiores simplesmente vemos um zagueiro sem raça ou amor pela camisa; um preguiçoso!

Lembram? Em meio a críticas e elogios, teve seu contrato renovado por Eurico Miranda após ser taxado de “aposentado” pelo próprio Fred e por Enderson Moreira (técnico do Fluminense na época). Um erro? Parece que sim, pois a partir dessa época não se viram mais as boas atuações de Rodrigo. Sua idade avançada não é um problema, entretanto sua falta de vontade em jogar futebol, sim. As quedas seguidas do Vasco para a 2ª divisão e a falta de confrontos contra grandes centroavantes acabaram com a vontade do zagueiro em jogar futebol, consequentemente suas atuações ficavam cada vez mais fracas.

É inegável que Rodrigo já prestou bons serviços ao Vasco. Porém nosso clube precisa de um atleta como ele durante os jogos. Algumas críticas são merecidas, mas não podemos nos desfazer dele num momento em que falta zagueiro experiente no mercado. Quantos clubes anseiam por alguém como o Xerife e não tem? E vamos nos livrar dele assim, de graça? É certo que nosso zagueiro já causou muitos problemas em São Januário, no entanto sua saída neste momento pode não ser boa, uma vez que se tem no elenco Jomar e Rafael Marques e ainda especula-se Anderson Martins, que vocês sonham em ver aquele de 2011 de volta, mas se esquecem que 2011 foi há 6 anos atrás. Toda a expectativa da volta de Martins pode se tornar uma baita decepção.

A saída de Rodrigo pela porta dos fundos não deve ser comemorada. Torcedor, nossos nomes para a defesa são péssimos. Rafael Marques, Jomar, Bruno Gallo… E ainda fala-se em Julio dos Santos como zagueiro. Num time em que essas opções são as únicas, Rodrigo é rei! Não podemos desfazer desse nome da maneira que está sendo. É óbvio que a personalidade forte dele e o estilo chefão rigoroso e exigente de Milton Mendes podem acabar se chocando de uma maneira nem tão legal no futuro, mas é um risco que o Vasco tem que correr pelo bem da instituição.

Ao contrário de nossas opções para a zaga, Rodrigo já viveu bons momentos no futebol e uma conversa franca com ele pode ser a resolução do problema. Mas sua saída? Péssimo negócio! Usamos como defensor um ex-meia ofensivo e isso sim é um terror. As atuações de Rodrigo perto da teoria de ver Julio dos Santos na zaga parecem as melhores possíveis. Não toco no nome do Ricardo Graça – da base vascaína – pois é uma incógnita de 20 anos. Não há semelhanças entre o futebol sub-20 e o profissional, portanto tudo pode acontecer com ele. Ou Rodrigo fica para auxiliar a defesa do Vasco ou Milton Mendes terá que operar milagres defensivos durante 2017.

 

GIGANTE desde 1898! #PopularSemSerPopulista

Siga: @Igor_Calazans | Nós nos vemos em São Januário!

– Saudações Vascaínas!

Foto do título da matéria: Divulgação/Flickr oficial do Vasco

 

%d blogueiros gostam disto: