Quanto vale um bom trabalho no futebol brasileiro?

Recentemente, o jornalista Jorge Nicola, publicou em sua coluna no Yahoo, uma lista com os salários dos principais treinadores no Brasil. Os valoressão interessantes e proporcionam reflexão. Afinal, pagar mais ao treinador tem garantido um bom trabalho?

A resposta para a pergunta é não e sim. Tem sido relativo, alguns treinadores melhores remunerados estão fazendo um bom trabalho e outros não. Para ilustrar melhor, confira a lista abaixo:

– Cuca (Palmeiras): R$ 525 mil

– Mano Menezes (Cruzeiro): R$ 500 mil

– Abel Braga (Fluminense): R$ 500 mil

– Renato Gaúcho (Grêmio): R$ 450 mil

– Vanderlei Luxemburgo (Sport): R$ 350 mil

– Guto Ferreira (Internacional): R$ 350 mil

– Levir Culpi (Santos): R$ 330 mil

– Roger Machado (Atlético-MG): R$ 300 mil

– Milton Mendes (Vasco): R$ 220 mil

– Jair Ventura (Botafogo): R$ 140 mil

– Fábio Carille (Corinthians): R$ 100 mil

– Zé Ricardo (Flamengo): R$ 100 mil

Sobre esse tema, o que tem que se considerar é a relação custo-benefício. Fica claro que os salários dos treinadores são baseados na “grife” e nos trabalhos recentes de cada um.

O técnico Cuca voltou ao Palmeiras no mês de maio, após curto período sabático. Seu salário está estimado em 525 mil reais mensais e com isso tem o maior vencimento do país. De fato seu trabalho no alviverde em 2016 foi muito bem feito e contribuiu para uma pedida maior do treinador em seu retorno, antes recebia cerca de 500 mil.

O nome mais discutível da lista é do técnico Vanderlei Luxemburgo. Ele que chegou ao Sport no fim de maio, recebendo 350 mil mensais. Luxemburgo tem grande história no futebol brasileiro na década de 90 e no início dos anos 2000, porém vem de um período longo sem conseguir emplacar grandes trabalhos. Considerando que o Sport deve brigar na parte debaixo da tabela, o salário é elevado para os padrões do clube.

Os menores salários dentre os principais clubes brasileiros ficam com Fábio Carille e Zé Ricardo, recebendo 100 mil reais por mês. Eles que já estavam nos clubes em cargos menores, receberam reajustes salariais assim que foram efetivados.

O técnico Fábio Carille vem fazendo trabalho louvável à frente do Corinthians, que é líder do campeonato. Até a rodada 11, o alvinegro paulista faz a melhor campanha da história dos pontos corridos, com 9 vitórias e 2 empates em 11 jogos.

Já Zé Ricardo tem desempenho discutido por parte dos torcedores, principalmente após a eliminação na Libertadores. Porém, tem todo o amparo da diretoria rubro-negra e parece estar entrando nos trilhos no Campeonato Brasileiro.

Outros treinadores merecem ser pontuados, como Jair Ventura, Milton Mendes e Abel Braga. Jair subiu o Botafogo de patamar no futebol brasileiro, de candidato ao rebaixamento em 2016 às oitavas da Libertadores em 2017. Milton Mendes vem com um trabalho sólido no Vasco, que muitos apontavam como time para brigar pra não cair, o técnico vai provando que não. Já Abel Braga, que tem o segundo maior salário, faz o possível e o impossível com o seu Fluminense repleto de garotos de Xerém.

Os treinadores de Minas Gerais, não estão justificando os seus salários. O técnico Roger Machado chegou ao Atlético-MG exaltado, recebeu um grande elenco, mas ainda não conseguiu regularidade, nem extrair o melhor de alguns de seus melhores jogadores. Já Mano Menezes, terminou bem 2016, começou bem 2017, porém se perdeu na temporada e seu trabalho vem sendo muito questionado por torcedores e imprensa. É candidato forte a não ficar até o fim da temporada.

Por fim, temos Renato Gaúcho. Personagem folclórico do futebol brasileiro, o técnico chegou ao Grêmio em setembro de 2016 muito contestado e com vencimentos de cerca de 250 mil mensais. Com o bom desempenho do time, principalmente tirando o clube da fila de 15 anos ganhando a Copa do Brasil, recebeu um aumento para 450 mil reais. E em 2017, faz o tricolor gaúcho jogar o futebol mais vistoso do Brasil, extraindo o máximo de seus comandados.

O futebol brasileiro tem provado que nem sempre pagar mais é garantia de retorno em campo. O mais importante é a quem pagar, fazer a decisão correta na escolha do nome e dar todo o suporte para que o investimento seja recompensado. Esse é o mundo ideal, não tem funcionado assim, mas quem chega o mais perto possível dessa “fórmula” tem conseguido colher bons frutos.

Linekher de Andrade

16 anos. Jogador de futebol do Anápolis FC, sub17. Goiano com orgulho. E nome inspirado no artilheiro da Copa de 1986, o inglês Gary Lineker.

%d blogueiros gostam disto: