Rugby Mundial: O Primeiro Semestre de 2017 #Torcerépouco

 

Após um longo e tenebroso outono, cá estou novamente para trazer-lhes um compacto com os principais acontecimentos do rugby mundial na primeira metade do ano (e foi bem recheado!). Sem mais delongas, segue abaixo o checklist:

Em Março, a Inglaterra conquistou o bicampeonato do Six Nations e Eddie Jones perde a invencibilidade de 18 jogos para a Irlanda.

Após atropelar a embalada Escócia por 61-21, a Inglaterra esperava superar o recorde dos All Blacks para se tornar a seleção mais longeva em número de vitórias consecutivas, mas a Irlanda, relembrando a água no chope dos All Blacks em Chicago em 2016, derrotou-a de forma melancólica por 13-9. Pelo menos não tirou brilho do campeonato dos olhos de Dylan Hartley e cia.

Hartley e Jones, antes do torneio começar. A Inglaterra manteve o trofeu em Twickenham.

No Six Nations Feminino, Inglaterra consegue se reerguer após dois anos ruins e Sarah Hunter garante a dobradinha feminina/masculina

Depois de cortar a corda de Gales após a vitória por 63-0 e anteriormente 64-0 em cima da Escócia, a equipe de Sarah Hunter dependia de si para conquistar o Grand Slam back to back e sem problemas atingiu tal feito. Com o campeonato nas mãos, as expectativas se voltam para o RWCW2017, que começa dia 9 de Agosto. A Inglaterra defende o título e vai com sangue nos olhos para mais um torneio. As outras equipes são:

Grupo A – Canadá, Hong Kong, Nova Zelândia e País de Gales

Grupo B – Inglaterra, Itália, Espanha e Estados Unidos

Grupo C – Austrália, França, Irlanda e Japão

Ireland Women v England Women - Womens 6 Nations - Donnybrook Stadium : News Photo
LaToya Mason e a capitã Sarah Hunter

Em uma crescente incrível, Tupis terminam o Americas Rugby Championship em terceiro

Depois de terminarem em quarto na edição de 2016 e vencerem os Estados Unidos, os Tupis surpreendem e despacham o Chile e Canadá em casa, com Moisés Duque sendo o dono da seleção, com a artilharia e posição na seleção do campeonato. O Brasil terminou o torneio invicto em casa, no Estádio do Pacaembu.

Moisés comemora mais um try no Pacaembu, a casa do Brasil Rugby desde 2016

Tupis vencem Portugal e se veem pela primeira vez no Top30 mundial

Foi bonito, foi sofrido, foi incrível, foi inédito! Os Tupis receberam Portugal no Pacaembu e quase deixaram escapar o triunfo sobre os Lobos, mas os irmãos Sancery e Moisés Duque disseram: AQUI NO MEU PUXADINHO NÃO, O PÁ! e enterraram as esperanças lusas com ataques aos espaços, técnica apurada e pés calibrados. 25-21 com direito a try de Daniel Sancery após o tempo regulamentar se esgotar, com Moisés convertendo. Foi maravilhoso!

O capitão Ige com a bola. O terceira é sempre um dos melhores em campo. O cara é embaçado mesmo!

Tours pelo mundo, com direito a British and Irish Lions apanhando e triunfando na Nova Zelândia

A Inglaterra visitou a Argentina e os Pumas venderam as derrotas bem caro. Mesmo com os principais jogadores do outro lado do mundo(com exceção de Joe Launchbury por motivos de #descubra), a seleção de Eddie Jones é fatal no jogo aberto e doída nos tackles e contrarrucks. Com duas vitórias sofridas por 35-25 e 38-34, a seleção de Eddie Jones se reconstroi aos poucos, mas jájá os Lions terminam o tour pela NZL e seus jogadores reintegrarão times e seleções.

Nathan Hughes não teve vida fácil contra Los Pumas

O Brasil visitou a Romênia e mesmo enfrentando uma seleção quase dez posições acima, não abaixou a cabeça e lutou até o fim. Apesar do placar de 56-05, há muito que aprender neste confronto. Em Novembro tem mais, a confirmar. Bélgica, Espanha ou o próprio Portugal novamente estão na possível lista(tomara que sejam os três!).

Os British and Irish Lions começou o tour enfrentando os Provincial Barbarians, abrindo uma série de 10 jogos, sendo 3 Test Matches contra os poderosíssimos All Blacks e até o presente momento, jogou 2 Test Matches, perdendo o primeiro e empatando o segundo. Os jornais neozelandeses estão em polvorosa como nunca, reclamando da arbitragem francesa escolhida para intermediar as 3 partidas. Apesar de alguns erros claros e omissões, os árbitros estão bem neste tour e não comprometem pela consistência e critérios adotados. Abaixo segue o retrospecto dos Lions na Nova Zelândia:

  • NZ Provincial Barbarians 7-13 British and Irish Lions
  • Auckland Blues 22-16 British and Irish Lions
  • Crusaders 3-12 British and Irish Lions
  • Highlanders 23-22 British and Irish Lions
  • Maori All Blacks 10-32 British and Irish Lions
  • Waikato Chiefs 6-34 British and Irish Lions
  • All Blacks 30-15 British and Irish Lions – Test 1
  • Hurricanes 31-31 British and Irish Lions
  • All Blacks 21-24 British and Irish Lions – Test 2
  • All Blacks v British and Irish Lions – Test 3 – 08/07/2017

O próximo fim de semana(dias 08 e 09 de Julho) tem jogos decisivos pelo Brasil e pelo mundo, com a fase final do mata-mata da Taça Tupi 2017 (Brasileiro Série B) com os seguintes jogos:

  • Joaca [SC] (44) v (17) Brummers [RS]
  • Itaguaí [RJ] (08) v (24) São Bernardo Templários [SP]
  • Pé Vermelho [PR] (19) v (13) São Carlos [SP]
  • Rio Rugby [RJ] (32) v (18) Inconfidentes [MG]
  • SC (Serra-Charrua) Rugby [RS] (19) v (22) Chapecó [SC]

O Torneio da série A, o Super 8, também começou!

  • Desterro [RS] 39-35 Politécnica USP [SP]
  • Curitiba [PR] 17-23 Jacareí [SP]
  • Farrapos [RS] 13-12 Pasteur Athlétique [SP]
  • São Paulo Athletic Club (SPAC)[SP] 21-10 São José [SP]

 

Fiquem ligados para mais informações após este fim de semana E L E T R I Z A N T E, com chances de eu me classificar com meu time pela Taça Tupi contra os Templários!

Vinícius Guedes

Administrador de Empresas pela UFRRJ, Segurança Privado, Árbitro de Rugby pela RioRefs, jogador pelo Itaguaí Rugby. Gosta de esportes, filmes, séries e muita música.

%d blogueiros gostam disto: