CONTRA A TEMPESTADE #01 – Por que Luan é tão amado pela massa?

Nos atuais tempos do futebol Brasileiro, é muito difícil ver jogadores que são unanimidade dentro dos clubes. Alguns jogadores são elogiados e queridos pela torcida pela sua elevada qualidade técnica. Outros pela entrega e raça durante as partidas… E alguns, simplesmente pela grande identificação com a torcida e participação em grandes conquistas do clube… Luan conseguiu de forma incrível unir todas essas qualidades e ser um dos jogadores mais queridos (se não o mais) do atual elenco do Atlético.

 

Luan Madson Gedeão Paiva, ou simplesmente Luan, nasceu no pequeno município de São Miguel dos Campos no estado de Alagoas. Vindo de família simples, Luan começou no futebol em 2008 no Clube Atlético Sorocaba, onde se destacou jogando em várias posições e marcando muitos gols. Depois de ser emprestado para o Comercial de Ribeirão Preto e para o Basel da Suíça, voltou ao Atlético Sorocaba e se destacou no Campeonato Paulista Série A2 de 2011 e 2012 onde foi vice-artilheiro com 12 e 13 gols respectivamente durante dos dois anos seguidos e com isso chamou a atenção de alguns clubes que figuravam na elite do Campeonato Paulista. No meio de 2012, Luan acertou sua transferência por empréstimo até o final daquele mesmo ano para a Ponte Preta, onde disputaria seu primeiro Campeonato Brasileiro da série A. Na Macaca Luan ganhou destaque em alguns jogos da equipe, principalmente pela sua força física nas disputas de bola e grande velocidade tanto no ataque quanto no apoio a defesa. No final de 2012, a Ponte comprou 40% dos seus direitos econômicos junto ao Atlético Sorocaba e depois repassou o atleta ao Galo, onde ele passou pela recuperação de uma lesão durante o mês de dezembro…

Em Janeiro de 2013, durante sua apresentação, Luan se mostrou muito emocionado por estar em um grande clube, e estar tendo a oportunidade de atuar ao lado de Ronaldinho que ele mesmo descreveu como um dos ídolos de sua infância: “Desde pequeno, sou fã do Ronaldinho, pude ter o privilégio de dar abraço nele. Estou muito feliz, muito emocionado por estar em uma equipe grande.

 

No time de Cuca, Luan era tido como um talismã, entrando sempre no decorrer dos jogos e ajudando o time em situações difíceis. Participou de 12 dos 14 jogos da campanha de campeão da Copa Libertadores da América de 2013, e foi importantíssimo no jogo de ida das quartas de final contra o Tijuana do México, marcando o gol do empate em 2 a 2 que foi decisivo no confronto.

 

Depois de passar por um bom tempo com a fama de talismã, sempre entrando no decorrer dos jogos, Luan começou a genhar mais espaço no time do treinador Levir Culpi em 2014. No jogo decisivo da Recopa Sul-Americana de 2014 contra o Lanús, Luan entrou no decorrer do jogo e foi peça muito importante pra virada do placar na prorrogação que garantiu o título. Após algumas lesões e muitas reformulações no elenco e no time titular do Galo, Luan foi se tornando cada vez mais importante pro esquema tático de Levir Culpi, até que naturalmente foi assumindo a titularidade…

Na campanha da Copa do Brasil de 2014, Luan marcou gol em todas as fases da competição, inclusive o icônico gol da classificação no 4 a 1 sobre o Flamengo na Semifinal. Também marcou o gol que abriu o palcar na final contra o Cruzeiro no primeiro jogo da final, além de varias participações decisivas durante toda a temporada de 2014… Durante todo o ano de 2015, Luan foi titular incontestável durante a campanha de vice-campeão brasileiro e seguiu como titular absoluto em 2016 no time de Diego Aguirre. Desde o fim do primeiro semestre de 2016, Luan vem sofrendo com seguidas lesões e ainda não conseguiu ter uma nova sequência no time titular, mas fora de campo, segue sendo um jogador muito importante na parte motivacional do time…

Durante todos esses anos de Atlético, Luan além de ter se mostrado um jogador tecnicamente muito interessante, e taticamente muito completo, também conquistou a torcida por sua grande vontade e vibração… No jogo contra o Tijuana pelas Quartas de Final da Copa Libertadores de 2013, Luan antes de entrar em campo, protagonizou um a cena muito curiosa, onde ficou batendo no banco de reservas e falando “Eu vou entrar e eu vou fazer o gol”, o que realmente acabou acontecendo. Além de tudo, Luan é conhecido por sempre acreditar nas jogadas até o último instante, e se doar 100% pelo time.

 

Por mais que esteja um pouco distante dos campos nos últimos tempos, Luan segue sendo um jogador muito querido pela torcida. Recentemente, em entrevistas, falou sobre a instabilidade do time em 2017 e demonstrou muito de seu amor pela camisa em suas palavras, descrevendo sua sensação ao entrar em campo e ao assistir o Galo jogar.

”Eu vou dar tudo, dentro de campo eu deixo tudo, vou ajudar o zagueiro, o goleiro… Se a gente entrar em campo como se todo jogo fosse o ultimo, a gente ganha tudo… e o Galo é assim.”

 

Pelo Galo, Luan disputou 176 partidas, marcando 37 gols e dando 31 assistências… Conquistou o Campeonato Mineiro (2013, 2015 e 2017), Libertadores (2013), Recopa Sul-Americana (2014), Copa do Brasil (2014), e a Florida Cup (2015).

 

Luan representa muito bem o Atleticanismo, e a forma de pensar do torcedor… Se tornou um dos ícones de uma geração vitoriosa, e continua, mesmo que fora de campo, sendo uma grande bandeira da representatividade do que é ser atleticano.

O Galo é raça, o Galo é superação, o Galo é Luan, e Luan é o Galo!

%d blogueiros gostam disto: