VIVO ESSA PAIXÃO #10 – Se não for sofrido… Também é BOTAFOGO!

   Vindo de resultados negativos pelo Campeonato Brasileiro, o Botafogo voltava suas forças para a Taça Libertadores. Dessa vez o adversário era o tradicionalíssimo (ASSIM QUE A GENTE GOSTA!) Nacional-URU. Apesar da vantagem adquirida no primeiro confronto em Montevidéu (vitória pelo placar mínimo), nem o mais otimista dos botafoguenses esperava por um jogo fácil.

   Aliás, as palavras “otimista” e “botafoguense” aparentemente não tem feito muito sentido juntas nos últimos anos. O torcedor do Botafogo tem passado por maus bocados quase que frequentemente em temporadas anteriores. O azar, as frustrações e as decepções foram uma constante. Porém, parece que este elenco está determinado a fazer tudo diferente e reverter esse panorama que nos assombrou por muito tempo. E a partida contra o Nacional evindenciou ainda mais a diferença de postura do grupo atual em relação a outros.

   Em mais uma oportunidade o time foi recepcionado com uma lindíssima festa. O mosaico 3D, as bandeirinhas, os adereços de mão pintaram o Niltão de preto e branco. Sem falar da tão esperada “chuva” (de papel picado) prometida pelo VP de Marketing, Márcio Padilha. Mas, parece que quem realmente preparou uma chuva foi Jair Ventura. Os jogadores do Glorioso entraram determinados a “fazer chover”! Logo aos 2 minutos, Bruno Silva (OLHO NELE, TITE!), inspirado na velocidade de Bolt, que consagrou-se próximo dali, na pista de atletismo, abriu o placar para o Alvinegro.

   Não parou por aí. A torcida esperou apenas mais 3 minutos para comemorar mais um tento. Dele, que encarna Cristiano Ronaldo em jogos de Libertadores, o Exterminador de Titãs, Rodrigo Pimpão. Gol importantíssimo para equipe e que colocou o atleta na vasta história do Botafogo de Futebol e Regatas como o maior artilheiro do clube em edições de Taça Libertadores, ao lado de Dirceu e Jairzinho “Furacão”, agora mais conhecido como Pai do Jair Ventura™.

   Empolgada com o início avassalador, a torcida esperava agora por uma “chuva de gols”, algo que não veio a acontecer. Pouco importava. O Botafogo estava garantido nas quartas de finais! Era só festa! Um pouco ofuscada pela lamentável postura dos torcedores e jogadores uruguaios que não aceitaram a derrota e partiram para pancadaria, é verdade. Mas foi sensacional ver os jogadores indo para a galera, comemorando com bandeirões e tudo mais. Revivendo o clipe postado* pelo clube durante a semana.

Em tempo:
*Ponto positivo para a equipe de segurança presente no estádio que conteve rapidamente a ação dos “hermanos”;
*Ponto negativo para o árbitro Wilmar Roldán que expulsou sem motivo algum o lateral Victor Luís, vulgo Neto de Nilton Santos e filho de Marinho Chagas. Wilmar, o senhor é um
“vacilón”!
*Próximo adversário será o Grêmio. Grêmio? Bi-campeão do Torneio. Alguém disse “campeão de Libertadores”? Interessante. 

*Link do excelente clipe citado no texto: https://www.youtube.com/watch?v=8UbYL2Cv9iE

Por Bernardo Claro

 

AVALIAÇÃO INDIVIDUAL

 

GATITO FERNÁNDEZ: 6.5

Nem precisou trabalhar muito, mas quando acionado foi frio e calmo.

LUIS RICARDO: 6.0

Ainda fora de ritmo, foi uma boa saída pela direita. Mas teve alguns erros bobos de marcação.

IGOR RABELLO: 6.5

O General “de Severiano”  demonstrou segurança, e justificou mais uma vez porque deve ser titular.

CARLI: 7.0

Fechou bonitinho a defesa, raramente entrava uruguaio na área. Ainda protegeu João Paulo durante a confusão. QUE HOMBRE!

VICTOR LUÍS: 6.5

Vitão não precisou apoiar muito, regular como sempre. Expulso injustamente pelo senhor Wilmar Roldán.

RODRIGO LINDOSO: 7.0

Importante na saída de bola, errou poucos passes e poderia ter feito o 3º gol, se não fosse a interceptação na tentativa de passe do Roger.

MATHEUS FERNANDES: 7.0

Mais uma brilhante partida da nossa joia! Muita técnica e raça. Tem futuro, moleque!

JOÃO PAULO: 7.5

Não teve a touquinha da sorte, mas nem precisou. Como é bom ter um cobrador de escanteio haha’.

BRUNO SILVA: 8.5

Que partida impecável, está provando que é um dos melhores volantes da América, cresceu muito.

PIMPÃO: 8.0

Quem busca consegue, na raça, na vontade, mais 1 gol do nosso artilheiro na Liberta. 5 gols igualando Jairzinho.

ROGER: 6.5

Tentou e o gol quase saiu. No final da partida ainda foi comemorar com a torcida, pegou até bandeirão. Valeu Roger!

DUDU CEARENSE: 6.0

Acá no! Só entrou pra bater mesmo kkk’, ainda deu bronca em uruguaio.

GILSON: 5.5

Não teve muito tempo em campo, no mais correu bastante.

GUILHERME: 6.0

Correu, driblou, poderia ter tocado mais a pelota, mas foi fominha como de costume.

JAIR VENTURA: 7.5

Estava só o estilo, arrebentou professor. Merece muito. Rumo à Abu Dhabi!  

Por Marco Eduardo

%d blogueiros gostam disto: