A má fase dos pernambucanos na Série B

No início da temporada, a expectativa para a participação de Santa Cruz e Náutico na Série B era totalmente diferente da realidade vivida atualmente. Os dois clubes, outrora tidos como candidatos ao acesso à elite do futebol brasileiro, hoje amargam as 18ª e 19ª colocações, respectivamente. A que se deve essa má fase dos clubes pernambucanos na segunda divisão do Campeonato Brasileiro? Vamos analisar time a time e tentar descobrir o que está levando a campanhas tão sofríveis.

LEIA TAMBÉM: Na nova Copa do Nordeste, oprimidos realizaram seus sonhos e se tornaram opressores

SANTA CRUZ

(Foto: Santa Cruz / Divulgação)

O time Coral não marca mais de um gol há oito jogos na segunda divisão do Brasileiro (a última vez foi no empate em 2×2 com o Luverdense, no dia 11 de julho). Os números ofensivos são tão preocupantes quanto os defensivos, e a falta de gols aponta outro problema que vem atrapalhando o time até há mais tempo do que neste período: falta de chances criadas.

Neste período o Santa Cruz também deixou de somar pontos por se contentar com um gol. Por pelo menos três vezes, contra Boa Esporte, Paysandu e Criciúma e CRB, jogos em que foi mandante, o Tricolor Pernambucano esteve à frente do placar e permitiu o empate ou a virada.

Com a chegada do novo técnico, Marcelo Martelotte, mudanças já são notadas, principalmente no esquema tático, saindo do 4-3-3 e passando a jogar no 4-4-2, com Grafite, que retornou ao time, e Ricardo Bueno centralizados.

NÁUTICO

(Foto: Marlon Costa/ Pernambuco Press)

Empatar em casa é decepcionante. Perder fora e jogando mal, frustrante, essa é a cara do Náutico na série B. Esperar boas notícias e receber apenas dores de cabeça é o maior desencanto dos alvirrubros atualmente. O Timbu está adiando constantemente sua reação, pois quando dá pintas de que vai melhorar, volta a perder jogos importantes, e continua ladeira abaixo no torneio. Quanto mais o tempo passa, mais a situação assusta.

Para unir ainda mais o grupo, uma reunião entre os próprios jogadores foi feita. Os atletas do elenco cobram os erros e promovem um pensamento mais unido, visando deixar o clube em uma melhor situação e com um melhor prognóstico.

Mesmo na 23ª rodada, os alvirrubros já calculam as possibilidades para evitar a queda para a terceira divisão. Estima-se que uma campanha com 65% deve ser construída pelos comandados de Roberto Fernandes até o final do ano, fugindo da degola.

Atualmente, o Náutico tem apenas 26.1% de aproveitamento e, para conseguir a campanha que precisa para escapar do rebaixamento, precisa de números melhores que o que o líder Internacional tem atualmente. A situação está muito complicada.

HÁ ESPERANÇAS?

(Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)

Santa Cruz e Náutico se encontram nessa situação principalmente por conta de gestões muito mal planejadas. Desde os insucessos nos Campeonatos Estaduais e na Copa do Nordeste, os dois clubes já passaram pelas mãos de diversos treinadores, contrataram e dispensaram inúmeros atletas, e nada melhorou. Como o futebol funciona à base da matemática, e essa ainda permite sonhar, os dois clubes têm chances de fugir do fantasma da Série C, mas será preciso muito trabalho, dedicação e competência para não colocar mais uma grande mancha na história de dois grandes times do estado de Pernambuco.

%d blogueiros gostam disto: