Craques do Futuro – Wendel, cria de Xerém

Normalmente temos garotos que chegam com 10/12 anos e crescem dentro do clube até chegar aos profissionais, conseguindo mostrar o seu valor, com Wendel foi diferente. Desde menino o garoto buscava chance nos clubes do Rio de Janeiro, até mesmo o próprio Fluminense o rejeitou. Partiu para Portugal para buscar oportunidades e lá também recebeu uma negativa do Benfica, clube que agora vê os dois principais rivais Porto e Sporting monitorarem a joia.

VEJA MAIS – Cantinho do Torcedor do Fluminense 

Aos 17 anos, Wendel vestia a 10 do Tigres-RJ e sabia que com a idade que tinha dificilmente teria a oportunidade nas categorias de base de times grandes, poucos contratam jogadores para a base com uma idade avançada. Humberto Rocha, ex-dirigente de bases, atual professor na PUC-Rio e que tem contato com alguns dirigentes de futebol no Rio telefonou a Marcelo Veiga e indicou o jogador. Chegando ao jogo Tigres x Fluminense, Veiga viu Wendel marcar um gol de fora da área após uma sobra de escanteio.

“Eu cheguei lá e o jogo já tinha começado. Mas ele foi muito bem e combinamos dele ir a Xerém já na outra segunda-feira.“ Marcelo Veiga ao portal UOL. 

Wendel só não subiu aos profissionais do Fluminense como uma grande promessa perante a mídia porque pouco tempo passou em Xerém, se juntou ao time campeão brasileiro sub-20, integrou o Fluminense na Copinha 2016 e durante o jogo que o Fluminense aplicou o sonoro 10 a 0 sobre o Capivariano viu Pedro marcar 5 vezes, mas também deixou 3 por lá.

O clube o adora, Marcelo Veiga e Abel Braga se derretem pelo menino natural de Duque de Caxias que viu sua vida se transformar em menos de 2 anos, frustrado por negativas em testes no Rio de Janeiro e na Europa se transformou no xodó da torcida tricolor. Muitas vezes promessas vindas da base não amadurecem da maneira que se espera, mas Wendel com pouca bagagem já se estabilizou como um dos principais jogadores do time e prestes a fechar com um clube recheado de estrelas e de brasileiro na Europa, o PSG.

Se tudo ocorrer conforme o script e o planejado, Wendel daqui alguns anos vestirá a camisa 8 da Seleção Brasileira e nos trará muitas alegrias, fiquem de olho no garoto.

Renan Thierre

Antigamente comia areia e catarro, futuramente um professor de História, atualmente editor no HTE Sports e finge que entende de futebol e outros esportes.

%d blogueiros gostam disto: