Flamengo x Cruzeiro: Uma final injusta?

Na quinta-feira, 07 de setembro, Flamengo e Cruzeiro fazem o primeiro duelo pelo título da Copa do Brasil. Os times de Reinaldo Rueda e Mano Menezes lutaram pela vaga em dois grandes confrontos: o Rubro-Negro passou pelo Botafogo, em dois jogos equilibrados, que foi decidido em uma jogada linda de Berrío, que serviu Diego; Já o Celeste disputou nos pênaltis com o time que muitos afirmam ter o melhor futebol atualmente no Brasil, o Grêmio.

Porém nenhum dos dois times teve momentos brilhantes durante a temporada, seria essa mais uma injustiça dos deuses do futebol? Flamengo e Cruzeiro merecem estar nessa final?

Primeiro vamos analisar o regulamento da Copa do Brasil. 80 times, de todas as divisões, e até mesmo sem divisões, disputaram com todo afinco apenas 5 vagas. Ou seja, 6,25% dos times que iniciaram a competição chegaram as oitavas de final. Em 2016, apenas 5 times garantiram vaga direta as oitavas, em 2017 foram 11 clubes. Nas quartas de final somente o Cruzeiro, dos cinco restantes, avançou, os outros sete clubes foram remanescentes da Libertadores da América.

O regulamento da competição é totalmente equivocado, não é errado dar espaço aos clubes vindo da Libertadores e também aos campeões da Série B 2016, Copa Verde e Copa do Nordeste, porém incluir todos nas oitavas de final, filtrando apenas 5 clubes dos 80 que iniciaram ao meu ver parece injusto. Isso não tira os méritos do Flamengo e nem enaltece os feitos do Cruzeiro que só teve um adversário a altura na Quarta Fase da competição quando eliminou o São Paulo.

O que estou ilustrando aqui é que a CBF cria regulamentos que ferem o próprio campeonato. Quantos clubes desprovidos financeiramente já conseguiram aprontar na Copa do Brasil? Diversos, sempre mostrando muito carisma, deixando sua marca na lembrança de todos os apaixonados pelo futebol. Mas agora, como somente cinco clubes vão às oitavas, dificilmente um clube de pequena expressão chegará longe se o regulamento for mantido para o ano que vem. Isso sem falar da proibição de contratações feita na janela de meio de ano, totalmente patético. Precisamos discutir melhor o regulamento de uma competição tão tradicional no nosso futebol.

CONHECE TUDO SOBRE A COPA DO BRASIL? JOGUE O NOSSO QUIZ SOBRE A HISTÓRIA DO TORNEIO!

Indo à analise de cada clube, o Flamengo teve uma injeção de ânimo com a contratação do colombiano, atual campeão da Libertadores, Reinaldo Rueda. O treinador não alterou a formação implantada por Zé Ricardo e não teve muita opção na escolha dos titulares por conta do problema citado acima da inscrição. Jogadores como Geuvânio, Everton Ribeiro e Diego Alves, contratados para suprir carências no time titular, não foram e não poderão ser aproveitados para a competição que pode salvar o ano flamenguista.

O time oscilou muito durante o ano, eliminação precoce na Libertadores, resultados ruins no Brasileirão, turbulência na direção do clube que teimou em manter o teimoso Zé Ricardo, o alto investimento ainda não se traduz dentro de campo e o clube beirou a eliminação contra Atlético Goianiense e Santos com o antigo comandante. O Flamengo trocou o pneu com o carro em movimento, teve algumas escoriações leves mas não afetou o tortuoso caminho até a final da competição.

O Cruzeiro chega encorpado para final. Volta Redonda, São Francisco-PA, Murici, São Paulo, Chapecoense e o badalado Palmeiras, além do Grêmio, ficaram no caminho do Cruzeiro. Oscilação também é uma palavra que define o 2017 do clube mineiro, colocado entre os principais candidatos ao título nacional e que se vê perdendo pontos que um clube que alça grandes voos não pode perder. Mano Menezes tem um vasto e fortíssimo elenco em suas mãos, caso o momento não fosse positivo (6° lugar no Brasileirão e final da Copa do Brasil) com toda certeza estaria sendo cobrado e balançaria no cargo.

Injustiça no futebol é algo relativo, mas esse esporte é decidido em 90 minutos, no caso foram 180, e triunfa quem foi melhor naquele momento. Cruzeiro e Flamengo foram melhores e merecem de fato disputar a final, não importa regulamento mal feito, troca de técnico, futebol não vistoso, o que importa é se o que time fez durante o jogo foi suficiente para conquistar a vaga e o que os dois clubes fizeram foi. Cruzeiro buscou uma desvantagem que trouxe de Porto Alegre, o Flamengo lutou 180 minutos para furar um bloqueio de um ótimo Botafogo. A final se inicia no feriado, e independente do que aconteça na ida e na volta o time campeão será um campeão merecedor do título.

Renan Thierre

Antigamente comia areia e catarro, futuramente um professor de História, atualmente editor no HTE Sports e finge que entende de futebol e outros esportes.

%d blogueiros gostam disto: