HOSPÍCIO #113 – Sempre com o Corinthians

(Foto: Futura Press)

 

O Corinthians é o time mais odiado do Brasil. Isso não é uma afirmação jogada ao vento, é fruto de uma pesquisa realizada ano passado. Na pesquisa da “Paraná Pesquisas”, 14,6% dos entrevistados afirmaram odiar o Timão, dentre todos os clubes do país. Isso, de certa forma, é motivo de orgulho para nossa torcida. Mas a Fiel não é boba, e já percebeu que esse ódio passa das barreiras de outras torcidas, e atinge a imprensa e até nossa querida Confederação Brasileira de Futebol.

Pode ser a maior rivalidade regional, jogo de final de campeonato, mas ainda haverão gremistas torcendo pro Inter, colorados torcendo pro Grêmio, vascaínos torcendo pro Flamengo, flamenguistas torcendo pro Vasco e etc. Quem nunca viu tal situação? O ódio parece ser também da imprensa. Ou seria só uma forma de ganhar audiência, cliques ou o que seja?

Nas últimas semanas, tivemos uma clareza imensa quanto a esse cenário. O braço no gol do Jô ganhou todas as esferas televisas. Até no programa da Fátima Bernardes o assunto foi discutido. Enquanto, alguns dias depois, Bruno Henrique, do Santos, cuspiu na cara de um colega de trabalho, e o tema não ganhou nem uma linha nos jornais, e não mais do que alguns minutos – normais – nos programas esportivos oportunistas. Então, vimos o Gabriel comemorando de forma em que os mais conservadores em relação ao futebol chamariam de “raiz” e gostariam, pois traz um pouco do que era o futebol, contra o “futebol moderno”. Seria. Se não fosse jogador do Corinthians. Outras críticas vieram. E falaram que jogador de futebol tem que ser espelho pra sociedade. Sim, jogador de futebol tem que ser espelho pra sociedade. Não há palavras pra descrever o quanto essa frase é ridícula. Mas é assunto pra outro post. Do lado oposto dessas atitudes “horríveis”, Fagner devolveu uma bola pro São Paulo, após um passe mal dado pelo jogador tricolor, achando que o seu companheiro de time estava em campo, enquanto o mesmo estava do lado de fora, ainda esperando para entrar. O lance de Fair Play foi totalmente ignorado. São dois pesos e duas medidas. E, como se não bastasse, Maycon foi denunciado e será julgado pelo STJD por um pisão em Petros, que foi totalmente desproposital. Já o apedrejamento do ônibus do Corinthians por parte de torcedores do São Paulo foi absolvido.

Sempre o Corinthians. Sempre com o Corinthians. Não é exagero falar que somos, sempre, contra tudo e contra todos. E vamos assim. E vai Corinthians

Thiago Cunha Martins

Paulistano, alvinegro, co-fundador e Diretor-geral do HTE Sports. Jornalismo por paixão, Psicologia por vocação. Adorador do futebol e tudo o que o rodeia. Fã curioso da NFL, UFC e eventual seguidor de outros esportes

%d blogueiros gostam disto: