Luta e superação: o 2017 do Atlético Acreano

Mesmo com apenas 65 anos de idade, o Atlético Acreano é um dos clubes mais tradicionais do Acre. Com a conquista do Campeonato Acreano em 2016, título que quebrou um jejum de 25 anos, o clube garantiu uma vaga na Série D do Campeonato Brasileiro em 2016, bateu na trave. Reconquistou o Campeonato Acreano e novamente disputou a Série D em 2017, dessa vez conseguindo o acesso.

Contudo, essa classificação veio no drama, em campanha até mais fraca do que a anterior. Com dificuldades para passar por São Francisco – PA e Gurupi logo no início do mata-mata, por exemplo. Contudo, a superação apareceu no confronto contra o São José – RS, vitória dentro do Passo D’Areia por 1 a 0 e empate em 1 a 1 dentro do Florestão, resultado que coloca um time do Acre na Série C após 5 anos. E que colocou o clube pela primeira vez na Série C do futebol nacional e um acesso inédito para o Acre em uma divisão do Campeonato Brasileiro.

Com uma folha salarial de apenas R$ 60 mil, a situação financeira do clube é modesta. Durante a reta final da Série D, foram recebidos pelos jogadores bônus de R$200 a R$300, um valor discrepante com as altas cifras do futebol atual. Segundo o presidente Elisson Azevedo, 40% do valor é pago através dos patrocinadores e o restante é completado por ele, pelo vice-presidente e pelos diretores do time.

Outro ponto a se destacar da montagem do Atlético-AC é que de todo o elenco que conquistou o acesso apenas três jogadores foram contratados: o goleiro Miller, o zagueiro Ruan e o atacante Rafael. O restante dos atletas é da cidade. O Galo tem um projeto que visa revelar jogadores da base, do qual vem dando frutos desde a sua criação em 2009.

Conheça a história de alguns jogadores do Galo, entre eles um frentista e um entregador

Outra questão que dificulta a vida do Atlético são as grandes distancias, mesmo que a CBF pague a viagem, o clube sofre para manter os salários em dia após grandes viagens como a realizada para enfrentar o São José no Rio Grande do Sul.

O Atlético Acreano é um exemplo de gestão para os clubes pequenos do Brasil. É um exemplo de superação e de como é possível realizar muito com pouco. É mais uma daquelas grandes histórias que ficam pouco conhecidas pelo povo brasileiro, e, que deveriam receber grande prestigio, mas acabam caindo no anonimato.

Leonardo Pereira

Estudante de jornalismo e criador de teses sem noção nos momentos vagos. Twitter: @isentoever

%d blogueiros gostam disto: