QUEREMOS A COPA #18 – Rumo ao tri

Apesar de não ter jogado bem os 90 minutos, o Grêmio mostrou ser um time acima de tudo experiente e equilibrado emocionalmente. Diante de 50 mil torcedores, o tricolor viu um Botafogo valente, ousado e agressivo. Após sofrer nos primeiros 20 minutos de jogo, inclusive com bola na trave no chute do Bruno Silva, Renato mostrou humildade e reconheceu o erro. Sacou Léo Moura e colocou Everton. Feita a substituição, o Grêmio não assumiu o controle do jogo, entretanto, controlou mais a partida e estancou boa parte de seus problemas defensivos e centrais. Veio o segundo tempo e a pressão só aumentava. O 0x0 levava a decisão para os pênaltis. Aos 18 minutos da etapa complementar, veio o gol da classificação em lance de bola aérea com Lucas Barrios.

Torcedor gremista se acostumou nesses últimos meses com belas atuações do time, no entanto, sem Pedro Rocha ( sim, foi vendido mas preciso destacar que a ausência do jogador é decisiva para a queda de rendimento) e Luan, fica difícil repetir aquele desempenho fantástico de alguns jogos no Campeonato Brasileiro.  Mas, qual foi o jogo que o Grêmio repetiu o desempenho de jogos no Brasileirão e Copa do Brasil na Libertadores? Querendo ou não, Libertadores é uma competição totalmente diferente. Mesmo enfrentando uma equipe brasileira, a motivação de jogar um torneio continental é outra. Somente qualidade técnica e futebol bonito não basta. Exige também a malandragem e experiência. Esses dois quesitos não faltaram ao Grêmio.

A tão sonhada classificação veio com suor e garra, eliminando um grande adversário, que pecou na ineficiência. Muita coisa precisa ser corrigida, principalmente no setor do meio campo. Além disso, esse tempo que o Grêmio tem até o jogo de ida em Guayaquil, dia 25/10, será importante para recuperar atletas, entre eles Luan e Douglas. Faltam 4 jogos para o tri da América e estamos vivo na competição. QUEREMOS A COPA !

%d blogueiros gostam disto: