Turnover – A incompetência parece não ter fim

A incompetência na administração do Indianapolis Colts não é novidade. A franquia que conseguiu draftar um dos maiores quarterbacks de todos os tempos, Peyton Manning, só conquistou um mísero Superbowl durante os 14 anos em que o jogador comandou o ataque da franquia. Tudo isso graças a escolhas ruins de draft, ação estéril na Free Agency e algumas escolhas de técnicos, no mínimo, duvidosas (saudades Dungy…).

Se errar é humano, aprender com os erros também é uma característica do homo sapiens médio. Só que este não parece ser o caso do “glorioso” Jim Irsay, dono da franquia. Após uma temporada desastrosa em 2011, sem Peyton que naquele momento tinha dúvidas sobre a sua continuidade na Liga devido a uma lesão no nervo do pescoço, o Colts optou por cortar o jogador e trazer Andrew Luck, na primeira escolha geral do draft seguinte. Entretanto, o filme continua se repetindo.

Luck é o novo Peyton. Não estou comparando as habilidades, obviamente não há comparação, mas Luck é um ótimo jogador que joga praticamente sozinho. A derrota de 46-9 para os Rams de um fraco Jared Goff no ataque é só mais uma prova de que os Colts são uma franquia mal administrada e um time mal treinado. Claro que a perda de um quarterback top pesa demais em qualquer equipe, mas não é possível que uma equipe profissional que tome 46 pontos e só marque 9 esteja sendo bem treinada e trabalhada.

A chegada de Chris Ballard após a demissão de Ryan Grigson, no início da intertemporada, deu um pouco de esperança aos torcedores dos Colts. Entretanto, a manutenção de Chuck Pagano como head coach foi bastante contestada, já que o treinador não consegue fazer com que a defesa da equipe evolua. Pior, o ataque vem caindo de produção, ano após ano. As diversas trocas de coordenadores ofensivos mostram que o Front Office estava perdido na montagem do elenco (saudades Bruce Arians). É impossível vencer na NFL sem o mínimo de organização tática e técnica, coisa que os Colts não conseguem fazer.

Mesmo com as movimentações interessantes após a chegada de Ballard, um bom draft e algumas boas aquisições na Free Agency, o time simplesmente não evolui. O coaching staff parece perdido e com a pressão por resultados, o psicológico de Pagano vem se mostrando fraco para comandar a equipe. O técnico chegou a confundir os Rams com os 49ers na entrevista após o atropelamento em Los Angeles. Mas o leitor deve estar se perguntando: ok, mas o que você faria?

DEMITIR PAGANO é a primeira providência a ser tomada. Um técnico que claramente foi carregado por seu franchise player e quando está sem ele, a equipe não mostra o mínimo de organização e de competitividade. A administração da lesão no ombro de Luck, onde só na semana 4 da pré-temporada perceberam que Tolzien não seria suficiente para comandar a equipe enquanto Luck fica fora por tempo indeterminado, é só mais um elemento de incompetência. E o torcedor dos Colts não quer esperar mais por resultados que não virão sob o comando de Pagano.

%d blogueiros gostam disto: