Vem de 5: jogadores estrangeiros que decepcionaram no futebol brasileiro

(Foto: Getty Images)

Os gringos estão tomando conta do futebol brasileiro. Na Série A do Brasileirão em 2017, até julho, 68 jogadores estrangeiros tinham contrato registrado no BID (Boletim Informativo Diário) da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), conforme levantamento realizado pelo site SuperEsportes DF. Esse número é superior ao do ano passado, onde ao todo foram 66.

Apesar de muitos terem feito sucesso em solos brasileiros, boa parte dos jogadores estrangeiros que se aventuram pelo Brasil não obtém sucesso. Nesse Vem de 5 listamos os gringos que não mostraram a que vieram dentro do campo e decepcionaram as torcidas.

LEIA TAMBÉM: Estrangeiros que brilharam nos clubes brasileiros

JOHNNY HERRERA (Corinthians)

Foto: Djalma Vassão / Gazeta Press

Quem vê hoje o goleiro Johnny Herrera, titular absoluto da Universidad de Chile e reserva imediato da seleção chilena, não imagina o quão ruim foi a sua passagem no futebol brasileiro. Torcedores mais saudosos, principalmente os corinthianos, lembram do ano de 2006, quando o arqueiro foi contratado pelo Tião. Após se destacar pela La U, onde ganhou alguns campeonatos nacionais, Herrera chegou ao Corinthians sob boas expectativas. O que se viu, no entanto, foi decepcionante. Ele atuou em apenas 9 partidas e falhou em várias delas. Acabou sendo o terceiro goleiro do clube paulista, ficando na reserva de Marcelo e Silvio Luiz. O próprio Johnny Herrera reconhece como foi ruim a sua passagem no Brasil, apontando que jogou pouco, mas guardou carinho pelo clube corinthiano.

  • Números no futebol brasileiro:
    – Corinthians: 9 jogos e nenhum título

MICHAEL JACKSON QUINOÑEZ (Santos)

Foto: Reprodução / Blog Outros Meninos da Vila

Quinõnez chegou ao Santos em 2008 após se destacar com a camisa do Espoli, do Equador. O atleta chegou em um “pacotão” de gringos trazido pelo peixe, que contava com o meia Mauricio Molina e os atacantes Sebástian Pinto e Mariano Tripodi (todos esses podem aparecer em uma futura lista de piores gringos no Brasil, não é mesmo?). Michael Jackson foi importante ao marcar o gol que livrou o Santos do rebaixamento no Brasileirão de 2008 (e olhe que foi um gol muito sem querer, se não fosse o desvio no adversário sairia pela lateral!). Apesar disso, nunca fez muito pelo clube, sendo praticamente reserva em todos os 15 jogos onde atuou. Teve seu contrato rescindido no começo de 2009 e retornou ao futebol do Equador, de onde nunca mais saiu.

  • Números no futebol brasileiro:
    – Santos: 15 jogos, 2 gols marcados e nenhum título

SERGIO ESCUDERO (Corinthians, Coritiba e Criciúma)

Foto: Divulgação / SC Corinthians Paulista

O polivalente argentino Sergio Escudero, conhecido por sua versatilidade e regularidade (ruim na zaga, ruim na lateral), atuou em três clubes no Brasil. Sua primeira passagem foi entre 2009 e 2010, quando jogou pelo Corinthians. Seu maior destaque, até então, tinha sido com a camisa do Independiente-ARG. No Timão, estreou no Paulistão no triunfo por 2×0 em cima do Mogi Mirim. Conquistou o Estadual e a Copa do Brasil naquele ano. Uma grande lesão o afastou do gramado por sete meses. No retorno teve poucas chances e acabou saindo em 2010. Em 2012 voltaria a jogar no Brasil, dessa vez no Coritiba. No clube do Alto da Glória foi onde deve mais oportunidades. Em 2014 foi para o Criciúma, sua última experiência no país. Apesar de ser admirado por sua raça, Escudero sempre foi um jogador muito violento. Na sua passagem pelo Corinthians, por exemplo, teve a boa média de um cartão por jogo nas suas seis primeiras partidas pelo clube. De fato, não deixou saudades…

  • Números no futebol brasileiro
    – Corinthians: 11 jogos, 0 gols e 2 títulos
    – Coritiba: 33 jogos, 0 gols e 1 título
    – Criciúma: 20 jogos e 1 gol

FREDDY ADU (Bahia)

Foto: GloboEsporte.com

“Pelé norte-americano”. Esse foi o precipitado apelido dado a Fredua Koranteng Adu, conhecido popularmente como Freddy Adu. Nascido em Gana e naturalizado estadunidense, o atleta surgiu como uma jovem promessa, porém… sem comentários! Sua única aventura no Brasil foi em 2013, quando defendeu as cores do Esporte Clube Bahia. Na equipe baiana atuou em 2 jogos, totalizando 130 minutos em campo. Nenhum gol marcado. Nada que agradasse a torcida. E para piorar, ainda cobrou ganhou 900 mil reais de uma dívida na Justiça. A carreira de Adu é tão fracassada que ele chegou a ser rejeitado por uma equipe da Polônia.

  • Números no futebol brasileiro:
    – Bahia: 2 jogos, 0 gols, 0 títulos

NELSON SAAVEDRA (Vitória, São Paulo e Atlético/GO)

Foto: Fernando Pilatos / Gazeta Press

Até me deu uma dúvida se esse jogador merecia entrar na lista. Mas a história é tão bizarra que merece ser contada. Destaque do Palestino – time que chamou atenção ao eliminar o Flamengo na Copa Sul-Americana de 2016 e ser eliminado pelo rubro-negro carioca na mesma competição em 2017 – Saavedra despontou no ano de 2007. O polivalente atleta, que atua tanto na zaga, quanto na lateral, foi contratado pelo Vitória em 2009. No mesmo ano se transferiu para o São Paulo. Já em 2010, foi para o Atlético/GO por empréstimo e retornou ao São Paulo, onde ficou até o final do ano. Agora vem a parte interessante: ELE NÃO JOGOU UMA PARTIDA SEQUER. Isso mesmo. Três clubes brasileiros em 2 temporadas e nenhum segundo em campo. Completamente bizarro.

  • Números no futebol brasileiro:
    – Vitória: 0 jogos, 0 gols, 0 títulos
    – São Paulo: 0 jogos, 0 gols, 0 títulos
    – Atlético/GO: 0 jogos, 0 gols, 0 títulos

Você lembra de outros gringos que decepcionaram demais no futebol brasileiro? Deixe um comentário, pois com certeza teremos uma parte 2 dessa lista!

Heider Mota

Baiano, 21 anos, estudante de jornalismo e amante dos esportes.

Twitter: @heiderzito

%d blogueiros gostam disto: