Basquete Nacional – Habemus Treinador

Depois de alguns mistérios e atrasos a CBB anunciou finalmente essa semana o treinador que comandará a seleção masculina no ciclo olímpico de Tóquio/2020. Trata-se do croata Aleksandar Petrovic. Ex-treinador da seleção de seu país, “Aco”, como é conhecido, foi apresentado nesta terça-feira, em São Paulo. Atencioso, falou em espanhol e deixou claro que conta com todos os jogadores que forem liberados pelos clubes para seu primeiro desafio nesse empreitada, a disputa das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2019, na China. Seus auxiliares brasileiros serão compostos pela comissão que trabalhou na campanha da Copa América desse ano, liderada por César Guidetti.

Falando sobre os aspectos de jogo, Petrovic comentou que dará enfasa no caráter defensivo da equipe e no uso dos pivôs: “Conheço e gosto muito do grupo do Brasil. Chego aqui preparado. Pouca coisa será mudada no ataque nesse início. Foco será na defesa. Joguei contra e identifiquei alguns problemas. Acho que o time defendeu mal nas Olimpíadas. Meu foco além da defesa será na intensidade do jogo. Nesse primeiro momento acho que isso irá agregar mais. Um dos problemas que eu percebi na Seleção é que os pivôs não arremessam muito e no basquete atual é preciso chutar. Só tinha o Guilherme (Giovannoni) para essa função. Gosto muito do Rafael Mineiro também e ele estará na minha convocação”

Em princípio, achei o nome interessante. Pelas suas declarações e pelo modo de jogo da Croácia nas Olímpiadas do Rio de Janeiro e no Eurobasket esse ano, podemos ver que temos um treinador estudioso e antenado com a forma de jogar basquete nos tempos atuais, com espaçamento de quadra, pivôs arremessando de fora e intensidade no jogo de transição. Também se mostrou conciente de que não deve contar com jogadores veteranos como Nenê, Leandrinho e Varejão nesse ciclo. Preocupado com a renovação e maior conhecimento dos jogadores que poderá contar nos primeiros jogos das Eliminatórias, contra Chile e Venezuela, já esteve em Franca para as finais do campeonato paulista entre o time local e o Paulistano e estará também nos torneios preparatórios do NBB que começa no dia 04/11.

vejo alguns jogadores que podem ganhar muito espaço com Petrovic. Lucas Dias, do Paulistano, Léo Mendl, de Franca, além de Benite e Fischer que estão na Europa, são jogadores que se encaixam muito bem no perfil de jogo pretendido pelo treinador croata. Um jovem que merece muito a atenção e o trabalho da comissão técnica da seleção brasileira é o armador Yago, do Paulistano que terminou muito bem o NBB na temporada passada e fez um bom campeonato estadual. Creio que esse ano terá mais espaço no Paulistano durante o NBB e pode ser um nome a ser trabalhado não só para esse ciclo olímpico, mas visando também Los Angeles e Paris, uma vez que Yago tem apenas 19 anos e muito talento.

 

Marcelo Tadeu Parpinelli

Um cara que gosta de opinar sobre tudo, principalmente daquilo que não conhece e não entende. Aspirante a filósofo nas horas vagas.

%d blogueiros gostam disto: