Brasileiros que representam outras seleções

(Foto: Reuters)

 

Semana passada, o atacante Marlos, que teve passagens no Brasil por Coritiba e São Paulo, conseguiu o visto ucraniano e passou ser cidadão ucraniano. Inclusive, já foi convocado pelo técnico Shevchenko, aquele mesmo ex- Milan, e fez sua estreia em jogo das Eliminatórias. Lembramos então outros brasileiros que defendem ou que defenderam outras seleções no futebol.

LEIA TAMBÉM: Melhores seleções que não conquistaram a Copa do Mundo

RODRIGO TABATA – CATAR

36 anos e o melhor do futebol no Catar. Tabata rodou muito o interior de São Paulo e o Nordeste até ter uma boa oportunidade no Goiás. Em 2006 ele chegou ao Santos e deixou por lá 42 gols, seu auge no Brasil. Depois se transferiu para a Turquia e ficou por lá até 2011. Após isso, rumou ao Catar. Hoje, é ídolo por lá, camisa 10 da seleção desde 2015, sua estreia.

Foto: Wikipedia

GUILHERME E MÁRIO FERNANDES – RÚSSIA

Lembra do Mário Fernandes? Se não, não deve nem lembrar do goleiro Guilherme também. O goleiro jogou pelo Atlético Paranaense até 2017 e se transferiu para o Lokomotiv. Conseguiu chegar à seleção russa no ano passado, e é só mais um que sofre preconceito no futebol russo pela sua cor. O Mário é lateral direito e já foi convocado por Dunga para o Brasil, mas recusou o chamado. Chegou a jogar ainda um amistoso pela seleção brasileira. O ex-Grêmio estreou esse ano com a camisa russa.

Foto: ESPN – Reprodução

EDUARDO DA SILVA – CROÁCIA

Eduardo da Silva saiu do Brasil novinho, 19 anos, para o Dinamo Zagreb, na Croácia, em 2001, e por lá conseguiu naturalidade. Jogou pelo Arsenal de 2007 a 2010. Teve duas passagens pelo Shakhtar Donetsk, com um tempo (2015) no futebol brasileiro pelo Flamengo. Com 34 anos hoje, defende o Atlético Paranaense. Figurou na seleção croata primeiramente em 2004 e participou da Copa do Mundo de 2014.

Foto: Estadão

DIEGO COSTA – ESPANHA

De Lagarto, Sergipe, para a Espanha. Diego Costa não teve fama no Brasil e teve sua primeira oportunidade no Penafiel, de Portugal, cujo passe pertencia ao Braga. Com 14 jogos e 5 gols, agradou de alguma forma o Atlético de Madrid. Rodou bastante na Espanha até se firmar no Atleti, ter sua melhor fase da carreira e decidir por Brasil ou Espanha, ambas seleções necessitando do atacante para a Copa no Brasil.

Foto: Fox Sports

DECO – PORTUGAL

Lembra do camisa 20? Deco é das categorias de base do Corinthians e deu início à sua carreira por lá em 1996. Foi transferido para o CSA no ano seguinte, se destacou e rumou ao Benfica de Portugal em 98, mas foi emprestado duas vezes. Se destacou mesmo foi no Porto, de 99 a 2004, ganhando até Champions League. Jogou no Barcelona até 2008 ainda e até 2010 no Chelsea. Se aposentou no futebol brasileiro pelo Fluminense, em 2013, com dois títulos brasileiros.

Foto: Getty Images

E são tantos outros. A Itália, por exemplo, tem à sua disposição bons nomes como Thiago Motta, Éder e Jorginho. Essa grande fábrica de jogadores chamada Brasil sempre forneceu bons jogadores às outras seleções. Não é a toa que são 5 títulos de campeão do mundo.

Igor Paulinelly

20 anos, estudante de engenharia e natural de Currais Novos/RN. São-paulino e amante do futebol desde Brasil vs Costa Rica às 3 da manhã em 2002. Social: @igorpaulinelly

%d blogueiros gostam disto: