CONTRA A TEMPESTADE #02 – O que ainda dá pra tirar de 2017?

Texto: Mateus Souza

2017, foi sem dúvidas um ano estranho pra torcida atleticana… Depois de um 2016 irregular, mas que ainda assim terminou com uma classificação direta pra Libertadores e o vice campeonato da Copa do Brasil, 2017 veio lotado de expectativas, por conta da manutenção do elenco (considerado por muitos um dos melhores do Brasil) e da contratação de jogadores que pareciam ser as peças que faltavam pra fechar o elenco, principalmente o volante Elias, contratado a peso de ouro, junto ao Sporting de Portugal.

Eis que chegamos em Outubro, e o ano não foi nada daquilo que esperávamos… O inicio do trabalho de Roger Machado, foi lento, mas parecia estar dando algum tipo de resultado. Apesar de ser questionado por parte da torcida pelo futebol apresentado pelo time, a conquista do Campeonato Mineiro em cima do rival e a classificação em primeiro lugar geral na primeira fase da Libertadores acabaram dando um ‘fôlego’ para o trabalho de Roger, que meses depois, acabou não resistindo a um sequência de maus resultados no Campeonato Brasileiro e no primeiro jogo das oitavas de final da Libertadores… Após a demissão de Roger, o que já não estava bom, piorou mais e mais. A contratação de Rogério Micale, pareceu absurda em vários aspectos, e mostrou que a direção do clube, tinha perdido completamente as rédeas e a orientação do trabalho que pretendia fazer… Micale como sabemos hoje, durou apenas 13 jogos a frente do Galo, e colecionou eliminações na Libertadores e na Copa do Brasil, e uma campanha extremamente irregular no Brasileirão…

 

Contratado como ultima esperança pra conseguir extrair algo de bom do ano de 2017, Oswaldo de Oliveira, começou com uma vitória importante sobre o Atlético-PR jogando fora de casa, mas logo em seguida, acabou perdendo a final da Primeira Liga para o Londrina nos pênaltis, num jogo muito apático de boa parte do time… Obvio que não da pra cobrar que Oswaldo tivesse mudado o time da água pro vinho em uma semana de clube, mas as dúvidas continuam pairando sobre tudo que envolve o fim de ano na Cidade do Galo.

 

Não é novidade que em 2018 o clube passara por grandes mudanças, tanto internas quanto externas, desde a iminente troca de presidente, até a reformulação inevitável do elenco, mas essas mudanças ficam pra ser debatidas mais pro fim do ano com a proximidade das eleições. A dúvida aqui é: O que ainda dá pra tirar de 2017?

A resposta mais simples e obvia seria uma arrancada do time nessa reta final de Brasileirão que poderia colocar o clube na Libertadores 2018, fato que poderia contribuir para que o planejamento para o próximo ano seja mais organizado, usando 2017 como exemplo para não cometer os mesmo erros. Uma arrancada desse tipo, apesar de não parecer tão plausível, dada a forma como o time vem jogando, poderia ajudar também a recuperar o ânimo torcida nessa reta final e trazer algum tipo de entusiasmo pro inicio de 2018. Mas acho que podemos ir mais a fundo nessa situação… O final de 2017, também pode servir como um importante momento de recuperação para jogadores que não passam por boa fase, mas que podem ser muito importantes para o Galo na próxima temporada.

 

Mesmo sabendo da grande probabilidade de saída de vários jogadores do elenco atual, a recuperação da confiança e do bom futebol de alguns desses jogadores, seria muito importante, tanto pra possíveis negociações que viabilizariam a vinda de novos jogadores pro elenco de 2018, quanto pra manutenção de jogadores que em boa fase, sabemos que ainda podem render bastante se bem aproveitados.

Os erros já foram cometidos e as dúvidas e questionamentos são inevitáveis, mas em meio a tudo isso, esperamos que independente da gestão e da ideologia da mesma, o trabalho seja realizado de forma mais consistente tanto em 2018, quanto neste final de ano.

%d blogueiros gostam disto: