CAMPEÃO DO SÉCULO #1 – Dudu acoberta os verdadeiros culpados

(Foto: Cesar Greco / Fotoarena)

O Palmeiras passou com facilidade pelo Atlético-GO fora de casa e, comparado aos últimos jogos, a melhora foi nítida. Posse de boa, jogadas verticais, passeios individuais de jogadores talentosos e segurança defensiva, principalmente até abrirmos 3 a 0. Essa partida trouxe um misto de alívio e esperança ao torcedor palmeirense, que sonha com melhores posições no campeonato.

Entretanto, uma jogada tem gerado críticas por torcedores rivais e imprensa – esta já desgastada de tanta falta de profissionalismo -: a falta do Dudu no lance do primeiro gol do Palmeiras.

Que fique bem claro que sim, foi falta, e o gol deveria ser anulado. Não me incomodo de dizer a verdade; pelo contrário, gostaria que todos o fizessem. Dudu fez. Em entrevista após o jogo, disse que fez falta no lance e que, se o árbitro não viu, segue o jogo.

A verdade é que era um lance interpretativo. E se a força imposta pelo Dudu não fosse suficiente para empurrar o adversário, que simulou ao sentir as mãos do atacante? E se o árbitro observou o lance e deixou o jogo seguir, interpretando que o contato não foi faltoso? Repito: é um lance interpretativo e passível de erro de direito, e não de fato.

Esse lance é totalmente diferente de quando o atacante Jô, exemplo de moral e bons costumes no futebol, fez o gol de mão. Ali, não tem discussão: ou bateu na mão ou não. Primeiro, Jô disse que não pegou no braço; em seguida, disse que não sabia onde a bola tinha tocado; e, no dia seguinte, disse que havia visto o replay e que realmente a bola tocou sua mão, porém ele não tinha sentido. Mentiu, portanto, três vezes.

Na minha percepção, é melhor para o futebol uma declaração como a do Dudu. Ali, cabe uma interpretação melhor do árbitro para as próximas partidas. As declarações do Jô, pelo contrário, forçam o erro por mais vezes no campeonato.

A questão central que eu não vejo ser discutida é: a arbitragem precisa de profissionalização no Brasil. O estilo ditador de hoje não só não é questionado pela imprensa, como é, vejam só, defendido. Hoje, comentaristas de arbitragem nas emissoras servem unicamente para defender as atitudes de seus colegas de profissão, e não para pedirem melhores condições de trabalho ou comentar sobre a situação dos árbitros.

As declarações de Dudu e Jô, por mais erradas que possam parecer, não deveriam ser o foco da discussão, e sim a não marcação de lances capitais nas partidas. Infelizmente, o nível da imprensa esportiva brasileira é tão pífio quanto o da arbitragem e, assim, seguiremos nos mordendo por erros que nunca acabarão.

PS: Pessoal, bem-vindos ao novo cantinho do Palmeiras. Ele terá minha participação a partir de agora. Podem criticar à vontade. Sigam o HTESports e meu perfil no Terceira Academia. Abraços!

%d blogueiros gostam disto: