Extra time #8 – Um Barça que sabe lidar

(Foto: Twitter do Barcelona)

O Barcelona sente a ausência de Neymar? Claro! Afinal, é um jogador de nível mundial e faz falta a qualquer clube. Mas até o momento, o Barcelona vem encaixando bem seu jeito de jogar, se impondo e conseguindo os resultados como o clube é acostumado, mesmo com sem o substituto do brasileiro. Na liga espanhola, são 7 vitórias e 1 empate contra o Atlético de Madrid na casa do adversário. Pela Champions League, 100% de aproveitamento contra Juve, Sporting e Olympiacos.

Dembelé foi o contratado para substituir Neymar, características iniciais até semelhantes. 20 anos, habilidoso, atua na mesma faixa do campo e com muito a aprimorar. Só que o francês deu azar e lesionou a coxa em sua terceira partida pelo Barça e só volta no final de janeiro. Com isso, o Barcelona esteve numa situação não tão boa de encontrar o substituto do substituto dentro da própria equipe. E bem, até o momento, como os próprios resultados demonstram, Ernesto Valverde vem fazendo a decisão certa para cada jogo, designando essa vaga restante no XI inicial ao jogador mais adequado à partida.

Leia: Descubra quem é Ernesto Valverde

Antes de Neymar, o Barcelona sofreu um pouco para achar o terceiro homem da trinca do ataque, na época somado a David Villa e Messi. Pedro, Tello e Alexis Sánchez foram as principais opções, mas nenhum se firmou como titular de fato. Iniesta muitas vezes jogou na ponta esquerda do ataque catalão – Fàbregas ou Thiago Alcântara, principalmente, eram boas peças para reposição no meio – e desempenhava bem o papel, mesmo que menos incisivo, mas dando mais qualidade nos últimos passes antes do gol no melhor estilo Barcelona. Hoje, é claro, Iniesta não consegue fazer essa função tão bem como antes devido a uma queda normal de rendimento por conta da idade, mas já chega a atuar assim na temporada em alguns jogos.

LEIA TAMBÉM: Iniesta: renovação para a aposentadoria?

Foto: Site oficial do Barcelona

Deulofeu, a princípio, é o substituto de Dembelé. Mas o atacante está muito longe do nível de seus companheiros de frente e não passa confiança ao seu técnico de que pode dar mais depois de seu início como titular. A saída do professor foi povoar seu meio-campo com meias marcadores, mas com qualidade de chegar à frente e que possam fazer também as laterais do campo. É o caso de Iniesta, que se junta a Sergi Roberto, Aleix Vidal, Denis Suarez e até o renegado André Gomes para atuarem nos flancos. É a opção que mais vem dando certo: dos 8 jogos no campeonato espanhol, 24 gols marcados e 3 sofridos, líder e 4 pontos de diferença do segundo colocado Valencia.

Sem encantar muito em seu início e de fora por um bom tempo, a ausência de Dembelé dá ao clube uma nova alternativa de jogo que não é alterada há alguns anos. Para um jogador que tem grande potencial, mas ainda é incógnita no clube, esse é um bom teste para o clube, que vem sem sentir muito a ausência, graças também a um Messi voando com já 11 gols na liga nacional.

Igor Paulinelly

20 anos, estudante de engenharia e natural de Currais Novos/RN. São-paulino e amante do futebol desde Brasil vs Costa Rica às 3 da manhã em 2002. Social: @igorpaulinelly

%d blogueiros gostam disto: