VIBRANTE E FORTE #1 – Estamos na final

Por: Rafael Alves (@rafaelfec_)

Conseguimos! Diante de todo sofrimento e de toda adversidade, somos finalistas da Série C 2017. Não tinha como ser melhor! Vocês lembram como foi em 2013? A fatídica eliminação, diante de uma Arena Castelão completamente lotada. O placar foi o mesmo: 2 a 2. E o golpe final no último minuto da partida. Aqui se faz, aqui se paga!

Os gols do Leão foram marcados por Bruno Melo. Que personalidade do garoto, hein!?! Desde o primeiro confronto diante do Tupi, sua maturidade e responsabilidade vêm ganhando destaque. Atuações convincentes e uma regularidade impecável sob o comando de Antônio Carlos Zago. Além de tudo, ele é o artilheiro do Fortaleza na Série C com 7 gols marcados, superando Lúcio Flávio. Quem diria, não!?! Esse rapaz merece muito respeito.

Venho falando que o objetivo já foi conquistado. Agora, vamos para realidade. É decisão. Podemos conquistar o nosso primeiro título nacional. Se você acha que não tem motivo para ir ao primeiro confronto contra o CSA, melhor repensar sobre sua torcida por qualquer clube. A CBF ainda divulgará as datas dos jogos decisivos.

Bruno Melo resolve

A partida começou nervosa demais. No início, o que mais chamou atenção foi a presença do capeta do Pici, Clodoaldo, no camarote do estádio Castelão. Claro, ele também estava apoiando o time. Ídolo. Mito!

  1. Parecia difícil para sair um gol, mas Bruno Melo apareceu. Aos 27 minutos, Leandro Lima cobrou falta em direção à grande área. Alex Alves saiu mal e se chocou com seu companheiro de time. Com isso, a bola sobrou no pé esquerdo do lateral tricolor, que só completou para as redes. Era o primeiro passo para a conquista da classificação.

Após o gol, o Fortaleza ainda teve mais duas chances para ampliar o placar. Jô cabeceou a primeira para fora. O que mais chamou atenção foi Leandro Cearense. O nosso 9 do Hexa errou a cabeçada. Foi incrível! Na segunda, Hiago – ah, Hiago… – também de cabeça, finalizou na rede pelo lado de fora. Os atacantes e a qualidade ímpar em perder gols após a abertura do placar.

Haja coração, amigo

Pois bem, eu sobrevivi ao segundo tempo para contar a vocês. Quando o Sampaio empatou, tava tudo sob controle. Porém, o que chama a atenção é a qualidade do pênalti marcado. Até na arquibancada do estádio Castelão deu pra ver que a bola não tocou no braço do Ligger de forma intencional. Nem na várzea seria marcada penalidade no lance.

A partida ainda estava empatada quando o Fortaleza criou uma nova chance. Antes de qualquer coisa, não é perseguição, não é marcação… Eu até tento deixar passar, mas a qualidade que o Leandro Cearense – vulgo 9 do Hexa – tem para perder gols é admirável. A bola sobra na marca do pênalti. Ele, o goleiro e a trave. E o cara manda pra fora? E muito pra fora? Tá de sacanagem! Quase perdi todos os meus cabelos.

Não quero comentar o segundo gol do Sampaio Corrêa porque foi muita sorte. O que passou pela minha cabeça foi aquele filme de 2013, prestes a acontecer novamente. Só que esse time do Fortaleza é exorcista. Qualquer fantasma é puro fator psicológico.

Jô foi atropelado pelo zagueiro do Sampaio Corrêa. O árbitro assinalou pênalti. Agora, a segurança do Bruno Melo é sensacional! Cobrou bem, sem chances de defesa para o goleiro. Era o carimbo que faltava no passaporte do Leão para a final. E pra quem duvidava, deixo o meu abraço!

Mensagem final

Chegou a nossa hora. Apoiar do início ao fim da decisão. O destino, agora, é Maceió. No primeiro jogo, faremos a diferença, igual aos dois últimos confrontos. Eu acredito no título! Vamos com tudo!

Mensagem final parte 2

Leandro Cearense, eu acredito em você. Nosso camisa 9 do Hexa. Se o gol do título for seu, não chuta pra fora, cara, só essa vez.

%d blogueiros gostam disto: