Backcourt NBA – Há algo de podre no reino de Cleveland?

(Foto: USA Today)

O título shakesperiano é provocativo ao leitor. O começo de temporada do Cleveland Cavaliers também é. A equipe de Lebron James e companhia começou a temporada de forma sonolenta. Derrotas contra equipes consideradas mais fracas já ligaram o sinal de alerta para o atual tricampeão da conferência Leste da NBA. Será este o final de uma dinastia ou apenas uma fase ruim para uma equipe cheia de talentos e expectativas?

Os Cavs entraram na temporada cercados de expectativas. A equipe sofreu a perda do seu segundo principal jogador, que pediu para ser trocado. Kyrie Irving se foi para Boston, o principal rival pelo título do leste. Entretanto, os Cavs se reforçaram, principalmente na segunda unidade, passando a contar com nomes como Jay Crowder, Isaiah Thomas (que se recupera de lesão), Derrick Rose e Dwayne Wade. Tudo isso não só para repor a perda de Irving, como para fortalecer a segunda unidade da equipe, tentando fazer com que os Cavs consigam competir de forma mais equilibrada com os atuais campeões da liga, Warriors.

Entretanto, o que estamos acompanhando nesse início de temporada é uma equipe bagunçada, desorganizada e extremamente dependente de atuações espetaculares de Lebron James para conseguir conquistar as vitórias. O técnico Tyron Lue parece perdido, sem um caminho concreto a ser seguido na montagem tática do time. Fez experiências com Kevin Love de pivô, Wade no quinteto titular, Wade reserva, Lebron de armador, Lebron na posição 4… Enquanto isso o time não vai tendo padrão.

Outro fator que preocupa bastante é a quantidade de minutos de Lebron neste início de temporada. O reforço no banco indicava que o jogador que está na sua 13ª temporada na liga teria mais tempo para descansar e chegar mais inteiro nos playoffs, período onde as coisas realmente se resolvem. Entretanto, Lebron tem atuado durante uma quantidade enorme de minutos (média de 37.8 por partida até o fechamento do texto), o que vai contra o ideia inicial de o tirar de quadra por mais tempo e dar mais minutos ao banco de maior qualidade dos Cavs.

Como o Leste ainda é uma terra sem muitas leis, mesmo a má fase atual não deve fazer os Cavs se preocuparem de estar nos playoffs ao final da temporada regular. A classificação deve vir de forma natural devido ao talento bruto acumulado em Cleveland. Entretanto, uma campanha ruim pode dar a equipe confrontos complicados nos playoffs, dificultando o caminho para a 4ª final consecutiva para os Cavaliers. Será necessário muito mais para que a equipe brigue pelo topo da conferência.

Ao meu ver, os dias de Tyron Lue sob o comando do reino de Believeland estão contados. O treinador não consegue dar um padrão defensivo a equipe, mesmo com a chegada de especialistas na função como Crowder, tem um ataque extremamente previsível e dependente de Lebron James, além da péssima gestão de tempo entre os atletas da equipe. Tirá-lo agora pode ser até uma boa, mas o fato é que os Cavs precisam fazer algo rápido, ou ficarão a ver navios novamente. A janela de um grande time está se fechando e o que podia ser uma dinastia só gerou um anel de campeonato até agora.

%d blogueiros gostam disto: