Backcourt NBA – Crise em Memphis

(Foto: NBA.com)

A notícia da semana na NBA, que pegou muitos de surpresa, foi a demissão do treinador David Fizdale do Memphis Grizzlies. Com campanha de 7 vitórias e 12 derrotas, a demissão ocorreu após o treinador deixar o principal jogador da equipe, Marc Gasol, fora do último quarto de jogo na oitava derrota seguida da equipe na temporada. Interinamente, o assistente J.B. Bickerstaff comandará a equipe de Memphis.

A demissão gerou comentários de toda a liga, incluindo Dwyane Wade, que teve Fizdale como assistente técnico na época que jogava em Miami, e LeBron James, que disse no Twitter ter conferido a notícia no site oficial da ESPN para verificar se não era uma notícia falsa. A surpresa geral é por conta do trabalho de Fizdale, que não era considerado tão ruim por todos a ponto de gerar uma demissão. Jogando no competitivo Oeste da NBA, o Memphis chegou a temporada passada a sua sétima participação consecutiva em pós-temporada, sendo eliminado pelo San Antonio Spurs.

E essa temporada começou com clima de renovação. Zach Randolph, um dos jogadores símbolos do crescimento da equipe de Memphis, foi embora pela free agency junto de Vince Carter e Tony Allen. Chegaram Ben McLemmore, Tyreke Evans e Mario Chalmers para dar uma formação mais veloz ao lado de Mike Conley e Marc Gasol. E parecia que os movimentos dariam certo no começo da temporada, em que os Grizzlies obtiveram 5 vitórias nos primeiros seis jogos da temporada, chegando a liderar o Oeste, além de boas vitórias sobre os atuais campeões Golden State Warriors.

Mas, com a lesão de Conley em novembro, a equipe de Memphis caiu de produção e não tem mantido um bom rendimento desde então. A gota d’água ocorreu no jogo contra o Brooklyn Nets, em derrota por 98 x 88, onde Fizdale deixou Gasol no banco por todo último período e o espanhol não gostou nada da decisão. O clima pesado no vestiário foi a razão dessa tentativa de mudar a direção da franquia e renovar o clima da equipe.

O que me estranha nessa história são as especulações que já surgem de troca de Marc Gasol (incluindo uma envolvendo os Celtics). Se a intenção é trocar Gasol, não seria melhor manter um treinador que fez um bom trabalho já na temporada passada, com um elenco que sabemos que não é dos melhores no Oeste, mas consegue fincar sempre uma vaga nos playoffs? Ou, se a solução era realmente demitir o treinador, por que então cogitar a troca do melhor jogador da equipe? Aliás, não tinha nenhuma maneira de contornar a situação entre Gasol e Fizdale? Certamente há algo de muito podre em Memphis e não acredito que as decisões tomadas sejam as melhores para a franquia. Memphis certamente não é um grande mercado para a equipe fazer um rebuild no modo tank e pode perder muitas receitas e torcedores se seguirem nesse caminho.

Marcelo Tadeu Parpinelli

Um cara que gosta de opinar sobre tudo, principalmente daquilo que não conhece e não entende. Aspirante a filósofo nas horas vagas.

%d blogueiros gostam disto: