Backcourt NBA – Derrick Rose considera aponsentadoria

(Foto: Getty Images)

Umas das coisas mais tristes que podem acontecer com uma pessoa é ela ficar impossibilitada de fazer o que mais mais gosta. Falo isso por experiência própria. Há pouco mais de um mês, sofri um acidente de bicicleta e tive que imobilizar meu braço direito. Com isso, fiquei afastado de duas coisas que amo fazer: Trabalhar como desenvolvedor de sistemas e comentar sobre esportes aqui no HTE Sports.

Por esse motivo, entendo completamente o que está se passando na cabeça de Derrick Rose, armador do Cleveland Cavaliers. Contratado nessa temporada pelo atual vice-campeão da NBA, Rose vem lutando contra as seguidas lesões na carreira desde sua primeira cirurgia no joelho. Como torcedor do Bulls, acompanhei seu começo de carreira de perto, e não foram poucas as vezes que criamos no nosso imaginário a cena de Rose junto com Michael Jordan.  Rose era, na ocasião o frachise player e maior esperança da equipe de Chicago de vencer o primeiro título pós Jordan. Armador físico, de infiltrações fantásticas, as lesões começaram a limitar seu jogo e seu tempo de quadra.

Diante de mais lesões, Rose pediu para ser afastado agora dos Cavs e teria dito que está a repensar a carreira e considerar a aposentadoria. MVP mais jovem da história da liga, em 2011, Rose ficou de fora de 11 dos 18 jogos de Cleveland na temporada. E vinha tendo um desempenho bastante satisfatória, com médias de 14,9 pontos e praticamente 6 assistências por jogo. Seria o principal armador da equipe pelo menos até a volta de Isaiah Thomas, prevista para meados de janeiro.

A preocupação agora vai além do físico de Derrick Rose. Psicologicamente, como ele estará diante de tantas lesões? Um quadro desse pode indicar sinais de depressão, uma doença muito séria. Como falei no começo do post, é extremamente complicado não poder fazer aquilo que ama. E Rose está sendo impedido disso pelas suas limitações físicas. Uma possível decisão sobre a aposentadoria será a mais complicada que Rose terá de tomar em sua vida. O mais importante é que não seja tomada com tranquilidade e consciência do que representará para seu futuro. Aceitando sua nova condição e, quem sabe, ficando no basquete em alguma função extra-quadra, seja em franquias, imprensa ou universidades.

Para os Cavs, perder seu armador também será bem sentido nesse começo de temporada de reconstrução tática da equipe, pós saída de Kyrie Irving. A equipe ainda tenta se encontrar e não tem plena confiança em José Calderon para esse papel, tanto que LeBron James já foi testado na função. Vamos ver se a equipe de Cleveland terá condições de se manter bem até a volta de Thomas.

Marcelo Tadeu Parpinelli

Um cara que gosta de opinar sobre tudo, principalmente daquilo que não conhece e não entende. Aspirante a filósofo nas horas vagas.

%d blogueiros gostam disto: