Backcourt NBA – O que fizeram com os Suns?

(Foto: Barry Gossage/NBAE via Getty Images)

O começo de temporada foi assustador para os torcedores do Phoenix Suns. A equipe teve algumas derrotas feias, como o 124-76 para Portland na estreia da temporada e acabou demitindo o seu treinador Earl Watson. Como consequência, um dos seus principais jogadores, Eric Bledsoe, falou em uma rede social que não queria estar mais ali, numa clara alusão a bagunça de Phoenix se tornou nos últimos anos. Mas como uma das franquias mais promissoras dos anos 90, que chegou a disputar final de NBA em 1993, passou a ser uma sombra do que pode ser?

O exemplo dos Suns mostra o quanto uma franquia mal administrada pode colocar tudo a perder mesmo em tempos de bonança de talentos em sua equipe. Phoenix sempre foi conhecido por ser uma montanha russa nas temporadas, alternando boas temporadas com outras bem ruins. Ainda assim, o dono da franquia, Robert Sarver, sempre foi considerado um dos melhores donos da liga, pelo seu nível de relacionamento com a comunidade e os jogadores, além de conseguir fazer um mercado pequeno se tornar atrativo para bons atletas da NBA.

Entretanto, a gestão do Ryan McDonough como General Manager vem se mostrando infeliz. O gerente geral não consegue montar boas equipes e há muito tempo os Suns não tem nem presente nem um futuro próximo promissor. Tudo começou a degringolar após a saída de Amare Stoudemire para os Knicks e a troca de Steve Nash para os Lakers. A equipe se remontou com peças sem o mesmo brilho, mas ainda assim acabou fazendo uma boa campanha na temporada 2013-2014 com um time mediano mas bem organizado que ficou uma posição abaixo da zona de playoffs. O problema veio a partir daí, pois o planejamento da franquia passou a ser montar um time sob essa base, que claramente teve uma temporada acima da média. Movimentações ruins, trocas que não renderam muita coisa a franquia.

Atualmente a equipe tem uma estrela em potencial: Devin Booker. Contudo, o elenco de apoio dos Suns é triste. Além disso, não dá para esperar muita coisa de uma equipe que busca o tank mas dá um contrato alto para Tyson Chandler. Uma franquia que já anunciou que o seu plano é tankar até 2020 para a partir daí pensar em atrair um ou dois jogadores all-stars para formar uma equipe competitiva. É uma fórmula bastante confortável para um GM não ter compromisso com uma temporada vitoriosa. Mas é uma fórmula que a médio prazo pode inclusive acabar com a franquia, pois qual torcedor gasta dinheiro com uma equipe que tem como objetivo perder? Qual jogador tem interesse numa franquia com uma mentalidade derrotada?

A vida dos torcedores dos Suns não é fácil…

%d blogueiros gostam disto: