Basquete nacional – Seleção fecha bem primeiro fim de semana de Eliminatórias

(Foto: FIBA.com)

O Brasil voltou a quadra ontem, na Arena Carioca 1, no Rio de Janeiro, para encarar a seleção da Venezuela pela segunda rodada das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2019, na China. Após vitória sobre a seleção chilena fora de casa e longa viagem de volta para casa, o Brasil fez um bom jogo, melhor que na estreia, e venceu com tranquilidade a seleção venezuelana por 72 x 60.

A Venezuela, embora não seja mais uma equipe tão forte como já foi nos últimos anos, sobretudo pelos problemas vividos pelo país nos últimos 10 anos, ainda continua sendo uma seleção respeitável e certamente de maior nível técnico que o adversário brasileiro na estreia. Por isso, dessa vez o técnico Petrovic procurou mais experiência ao entrar com Fúlvio na armação, na única alteração do quinteto titular. E mais uma vez suas armas foram mostradas. Defesa forte e agressiva, transição e bom trabalho de movimentação de bola logo no primeiro quarto fizeram a seleção brasileira abrir vantagem de cara. Varejão e Alex começaram muito bem a partida e seguiram sendo os principais destaques na seleção, com boas jogadas em pick-and-roll (com direito a uma crava sensacional de Varejão) e linhas de passe para encontrar espaço para finalização das jogadas. Foram apenas 7 pontos da Venezuela no primeiro quarto.

Rodando novamente a equipe no segundo período, com entradas de Léo Mendl, Yago (ótimo armador de apenas 18 anos da seleção), Ficher, Rafel Mineiro entre outros, a seleção continuou comandando o placar, forçando diversos erros venezuelanos, especialmente nos arremessos de três (Venezuela acertou apenas 21% desse tipo de arremesso em 28 tentativas), tornado a vantagem de 19 pontos (39×20) no intervalo de jogo incontestável.

No segundo tempo o Brasil diminuiu o ritmo e teve um susto com Varejão caindo e sentindo o joelho. Felizmente não foi nada de mais grave e ele pôde voltar a quadra. Menos agressivo na defesa e com um ataque um pouco desatendo em alguns momentos, permitiu a Venezuela uma reação, mas nada que realmente ameaçasse a vitória brasileira. Os destaques brasileiros foram Varejão, com 16 pontos e 12 rebotes, Alex Garcia, com 9 pontos, 6 rebotes e 7 assistências, além de Vítor Benite, com 10 pontos.

Nesses primeiros jogos de Petrovic, vale muito elogiar a disposição da equipe. Claro que não dá para cobrar nada taticamente brilhante em 7 dias, 2 jogos e, se tanto, 5 treinos. Mas deu para ver ideias claras do que melhor se vê em basquete FIBA ao redor do mundo. Quem viu, por exemplo, Espanha e Eslovênia nesse fim de semana pelas Eliminatórias Europeias, com as duas equipes também bem desfalcadas de jogadores da NBA e EuroLeague, pode acompanhar as práticas que o técnico croata tenta dar a seleção, principalmente na movimentação de bola ofensiva, com os 5 jogadores em quadra participando e buscando sempre o arremesso sem contestação, sobretudo na linha dos 3 pontos. Com a adição de Huertas, Lucas Bebê, Felício, Raulzinho entre outros brasileiros que jogam fora, podemos ter uma seleção bem competitiva.

O Brasil volta a quadra agora em fevereiro, com dois jogos em casa, locais ainda indefinidos. Colômbia e Chile serão os adversários. Como comentamos no post anterior, mesmo classificando 3 dos quatro do grupo, todo jogo vale na próxima e decisiva fase do qualificatório. Estou confiante em novas boas duas apresentações brasileiras.

Marcelo Tadeu Parpinelli

Um cara que gosta de opinar sobre tudo, principalmente daquilo que não conhece e não entende. Aspirante a filósofo nas horas vagas.

%d blogueiros gostam disto: