CLUBE DO POVO #29 – Sport Club Incompetência

(Foto: Divulgação/SCI)

Nascido em meados de 2015, após o sumiço do vitorioso Sport Club Internacional, o clube acumula fracassos e vexames nos últimos 3 anos. Um misto de péssimas gestões, escolhas ridículas de treinadores e elencos insuficientes, o time tem em sua vasta história uma goleada de 5 a 0 contra o maior rival, uma não classificação para a Libertadores após precisar de apenas 3 pontos em duas rodadas, um rebaixamento e uma campanha vergonhosa na segunda divisão.

O grande nome da história do clube é Vitorio Piffero, presidente do rebaixamento. Não muito abaixo, na sua sucessão aparece Marcelo Medeiros, que prometeu glorias e por enquanto só consegue honrar o nível da última gestão. Entre os coadjuvantes, na questão administrativa aparecem Carlos Pellegrini e Roberto Melo como vices de futebol. Ambos são responsáveis pelas melhores elaborações de elenco das últimas décadas no futebol mundial, com direito a negociações que duraram 4 meses para depois o atleta ser vendido com 2 meses de clube e a excepcional quantia de jogadores emprestados, com mais de 30.

Na parte técnica, aparecem como expoentes Celso Roth, Argel, Zago e Guto Ferreira. Roth em seu estilo levou o time ao abismo, Argel em seu mundo alternativo de viver deixou uma herança que parece irreversível, Zago trouxe seus “bruxos” e apenas inflou o vestiário e o mais novo integrante, Guto Ferreira teve uma boa sequência de vitorias, porém, a equipe depende apenas de Leandro Damião e, só de Damião um time não consegue ir longe. Guto demitido após 4 jogos sem vitorias na B, com direito a 3 jogos sem vencer dentro do Beira Rio.

Em campo, Léo Ortiz, Ernando, Danilo Silva e Claudio Winck são exemplos de qualidade no setor defensivo atualmente, tentando honrar a trajetória de Paulão no ano passado. Na meia cancha, aparecem as contratações de luxo Gutierrez e Camilo, que até o momento demonstraram seu valor em campo. O ataque, ah o ataque, Nico Lopez queridinho da torcida sem motivo, Eduardo Sasha vulgo Eduardo Tática, William “Sem gol” Pottker, Roberson amor do Zago e Carlos são os valores ofensivos preferenciais. Lembrando que Anderson é o maior expoente ofensivo da história do clube.

Buscando seu quarto ano de fiasco, o Sport Club Incompetência está na segunda colocação da Série B e tem tudo para garantir o acesso na próxima rodada. A meta para o ano que vem é contratar o máximo de jogadores possíveis para a mesma posição, o treinador menos condizente com seu elenco e buscar novamente a meta que possivelmente é ocasionar uma vergonha ainda maior para sua imensa torcida.

Torcida essa que é uma das poucas coisas competentes no clube, dando show em todos os jogos em casa. Viúva daquele antigo Sport Club Internacional, de glorias e títulos. Infelizmente o time não corresponde a 10% do feito da torcida.

Sem citar todos os coadjuvantes, esses são os principais personagens da imponente história do Sport Club Incompetência, um clube em que todos os seus organizadores buscam sempre a situação mais vexatória possível.

(Foto: Divulgação/SCI)
A peça funcional do SC Incompetência (Foto: Divulgação/SCI)

Twitter: @oOutroLeo

Leonardo Pereira

Estudante de jornalismo e criador de teses sem noção nos momentos vagos. Twitter: @oOutroLeo

%d blogueiros gostam disto: